terça-feira, 29 de junho de 2010

A graça salvadora, a santificação pessoal e a esperança da Igreja

No domingo, preguei sobre a passagem de Tt 2.11-15. Segue um resumo:
  • A graça salvadora é muito mais do que pode expressar o repetido clichê "favor imerecido". É a intervenção da bondade, da justiça e do amor de Deus no curso da História humana, interrompendo o fluxo que ia do pecado ao inferno. Só existe salvação por causa da manifestação da graça de Deus, por iniciativa do próprio Deus. Por isso, não há mérito, qualidade ou esforço humano que possa adquirir algum valor salvífico. Toda salvação procede do SENHOR. Em todas as religiões, com exceção do Cristianismo Bíblico, o Homem (acha que) pode fazer alguma coisa para ser salvo, aperfeiçoado ou para obter a vida eterna. Somente o Evangelho declara que o Homem nada pode fazer por si mesmo.
  • O objetivo da salvação pela graça é a santificação pessoal, por meio da qual o crente deixa a "impiedade" e as "paixões mundanas". "Impiedade" é falta de piedade. "Paixões mundanas" vão muito além de práticas sexuais ilícitas, dizendo respeito a pecados em geral, como, por exemplo, invejas, ciúmes, altercações, ódio, relacionamentos conturbados e sentimentos atrapalhados quanto a Deus. Fomos salvos para deixarmos a condição de ímpios e as paixões de toda sorte. Isso exige uma reflexão constante sobre a nossa conduta como cristãos.
  • Todo crente em Cristo guarda em seu coração a "bendita esperança" da Vida Eterna. Assim como a graça se manifestou salvadora, a glória de Cristo se manifestará aos salvos. Mais uma vez, a iniciativa parte do SENHOR. Só alcança a glória quem foi alcançado pela graça. Não devemos esperar em Cristo apenas para as coisas desta vida (I Co 15.19).
  • Diante disso, urge tomarmos atitudes. Não podemos continuar vivendo da mesma forma. Precisamos entender que o Evangelho produz transformação radical. Devemos influenciar as pessoas com a Palavra de Deus em qualquer lugar. A mensagem de salvação chegou a nós gratuitamente, sem que houvéssemos feito absolutamente nada para isso. É como naquela ilustração do mendigo que disse ao outro onde encontrou o pão.

sábado, 26 de junho de 2010

Só Kaká não pode errar

Dia desses ouvi uma manchete dizendo que Kaká alegara ser perseguido por sua fé em Jesus. A princípio, imaginei que ele pudesse estar exagerando. No entanto, ouvi sua resposta a um jornalista, numa entrevista coletiva, e entendi: segundo ele, o pai do jornalista, que vem a ser Juca Kfouri, o persegue por discordar de sua fé. Logo a reportagem disse que, em resposta, Juca Kfouri declarou apenas discordar de que Kaká faça "propaganda" religiosa por meio do futebol.
Não sei até que ponto a suspeita de Kaká procede, pois não conheço o contexto, mas ele me pareceu muito seguro do que dizia. Além disso, pergunto: por que o jogador não pode fazer declarações de fé em Jesus? Fazer propaganda de produtos do patrocinador é lícito, mas não é lícito falar de Jesus?
Usar a expressão "propaganda" no que toca à fé é muito complicado. Estamos na seara da liberdade de expressão e da liberdade religiosa.
Kaká não faz propaganda da Renascer, mas divulgação de sua fé. Isso é errado? Ele não pode usar seu prestígio e fama para mostrar ao mundo em que ele acredita?
Agora, uma outra questão, ainda mais profunda: percebo existir certa má vontade em relação a Kaká, sim, e complacência demasiada com outros jogadores. É como se Kaká fosse hipócrita por ser bom moço, e como se ele estivesse escondendo alguma coisa, como se não pudesse existir alguém tão "certinho".
Os jornalistas parecem gostar muito mais da briga de Adriano com a namorada, da confusão de Ronaldo com os travestis, da vida financeira conturbada de Romário. Esses mostram todo o seu potencial para a imprensa, enquanto Kaká leva uma vida sem graça: é cristão evangélico, membro da Igreja Renascer em Cristo, casou virgem, não costuma ser violento em campo e ainda por cima é o principal jogador da seleção brasileira de 2010. Que raiva muitos devem sentir! Querem falar mal e o que conseguem fica entre gozar da fama de bom menino ou criticar sua pretensão de ser correto.
Quanto ao fato de o rapaz ser membro da Renascer, que temos nós com isso? Eu mesmo discordo veementemente do evangelho do casal Hernandes, mas não tenho nenhuma dificuldade de acreditar que Kaká seja um autêntico seguidor de Jesus. Não podemos ser levianos e acusar o rapaz pelo rótulo.


sábado, 19 de junho de 2010

Todo mundo quer ser pregador

Assim como o que fascina meninos no futebol é geralmente a posição de atacante, na igreja muitos jovens querem ser pregadores de multidões.
Embora o futebol seja um esporte coletivo, o atacante é mais prestigiado por causa dos gols, ainda que sua artilharia dependa do esquema tático, da técnica dos companheiros e da preparação física. Da mesma forma, a igreja, como entidade coletiva, não vive só de pregadores, mas são eles que mais aparecem, e, se não houver o devido cuidado, o que era para ser pregação se torna palestra motivacional e especáculo; e a igreja deixa de ser corpo, rebanho e edifício de Deus para ser mera espectadora de alguns homens.
Se o pregador deve falar a um grupo, é natural que o número de pregadores deve ser consideravelmente menor que o número de ouvintes. Todavia, se não estou equivocado, há muitos pregadores não-vocacionados e/ou não-preparados que deveriam fazer outras coisas ou sentar para estudar a Bíblia.
Um dos aspectos desse desequilíbrio é que não se vê o mesmo entusiasmo desses jovens pregadores ao discipulado e à teologia. Não trabalham nos bastidores, não imitam os anônimos, não fazem o trabalho pesado, não ensinam, não fazem estudos sequenciados e sistemáticos, para que a igreja entenda o fio da meada e, desse jeito, entenda a mensagem bíblica. Ao contrário, vivem procurando novidades e informações teológicas apenas para ilustrar o sermão, agradar a plateia e trazer emoção. Não estimulam a continuidade do raciocínio teológico por parte da igreja e não se interessam pelo que haverá na mente dos irmãos.
A teologia não foi feita para produzir curiosidades bíblicas. Não é incidental nem opcional. Todo pensamento a respeito de Deus é teológico. Até mesmo um José Saramago, morto no dia de ontem, fez sua teologia, ainda que divorciada da Palavra de Deus. Em seu ateísmo, comunismo e ironia da fé, ele construiu uma teologia para quem não crê, por meio de livros como O Evangelho Segundo Jesus Cristo. E quanto a nós, que nos queremos pregadores, estamos construindo o mínimo raciocínio teológico para rebater sem raiva nem emocionalismo o discurso anti-fé de Saramago e outros?
Precisamos, claro, de pregadores, mas precisamos urgentemente de teólogos, professores e discipuladores. A igreja não pode viver de pílulas diárias ou semanais - ela precisa de alimento contínuo e sólido, como aquele maná que descia do céu. A igreja não pode ser palco para nossas vaidades. Pregar a Palavra não é brincadeira: há uma missão nisso tudo, e por isso deve haver um concatenamento entre o que pensamos e transmitimos aos nossos irmãos.
Se a Igreja depender desses pregadores que imitam seus ídolos ou referenciais duvidosos, perderemos muito no futuro. Que Deus nos guarde da mediocridade no púlpito. Que possamos, logo, entender nossa missão querigmática.

quarta-feira, 16 de junho de 2010

Se o TSE for coerente, o registro de candidatura de Dilma Rousseff será cassado

Em 2009, o mandato do governador do Maranhão, Jackson Lago, foi cassado por abuso de poder político. Os ministros da cúpula da Justiça Eleitoral brasileira entenderam que o governador José Reinaldo Tavares, aliado de Jackson Lago (e ex-aliado dos Sarney), favorecera seu candidato por meio de convênios com municípios e associações civis, além de manifestação pública, na pequena cidade de Codó, de que somente o pedetista Lago poderia dar continuidade às ações do governo.
Por causa disso, Jackson Lago perdeu o poder. A segunda colocada, Roseana Sarney, que perdera por menos de cem mil votos de diferença, assumiu a cadeira de governadora do Maranhão.
Vale registrar um trecho de reportagem do Estadão:

"Entre outras acusações, a oposição alegou que foram feitos 1.817 convênios no ano da eleição entre o governo estadual e municipais e associações civis. Os ministros também se sensibilizaram com imagens de um DVD na qual foi mostrado um evento no município de Codó, no qual José Reinaldo declarou apoio explícito a Lago.

'Quatro votos concluíram pelo abuso do poder político, revestido de potencialidade para influenciar o resultado do pleito', resumiu ontem o presidente do TSE. 'Ficou assentado um entrelace de administrações na perspectiva de forçar o eleitorado a dar sequência de trabalho que somente seria assegurada se o governador de então (José Reinaldo) fizesse o seu sucessor', afirmou Britto. 'Houve assinatura de convênio em palanque'", ressaltou o presidente do TSE".
Claro como a água. Assim como Jackson Lago teve o mandato cassado por abuso político, dentre outras coisas por ter recebido, em palanque, antes das eleições, apoio explícito do governador, Dilma Rousseff deverá ter seu registro de candidatura cassado, ou, se isso não ocorrer a tempo, deverá ter seu mandato impugnado. Essa é a forma de se evitar o fenômeno de dois pesos e duas medidas. Afinal de contas, o presidente Lula, quando Dilma ainda era ministra, abusou de atos governamentais para promover a ministra desconhecida. No derradeiro 1º de maio, em evento das Centrais pago com dinheiro público, Lula mais uma vez violou a legislação eleitoral e sofreu apenas uma multa. A cassação do registro da candidata e até mesmo o impeachment são medidas que juridicamente se impõem. No caso de Lula, por ser o impeachment uma medida complexa e faltarem as condições políticas necessárias, pode-se objetar que não seria oportuno. Mas no caso de Dilma não vejo solução.
Na comparação entre Codó/MA e o público que assiste aos discursos de Lula pela televisão ou pessoalmente, em apoio desvelado a Dilma, não há o que discutir. É claro que o suposto abuso de Jackson Lago, se existiu, exige seja, com muito maior razão, apurado e devidamente rechaçado o abuso cometido por Lula e a candidata que ele criou.
Portanto, se o Tribunal Superior Eleitoral quiser ser coerente, Dilma não poderá ser candidata.


Veja o link que usei no texto:
http://www.estadao.com.br/noticias/nacional,tse-confirma-cassacao-de-jackson-lago,356073,0.htm

A greve do fome de petistas maranhenses e o poder dos Sarney

Ontem assisti a um vídeo em que o deputado federal petista Domingos Dutra, do Maranhão, discursava na tribuna da Câmara contra a decisão do Diretório Nacional do PT de anular decisão anterior do PT maranhense e, com isso, determinar que o mesmo apoie a candidatura de Roseana Sarney à eleição para o governo do Estado (eleição, e não reeleição, pois ela perdeu para o pedetista Jackson Lago e só chegou ao poder por determinação do TSE).
Emocionado e em greve de fome, o petista clamou contra o seu próprio partido por ter passado por cima da vontade dos petistas daquele Estado, um dos mais pobres do Brasil. Confesso que, embora discorde da greve de fome em quaisquer circunstâncias, e acredite que o deputado já teve outros motivos para se desencantar com o PT nacional (muitos mesmo!), fiquei comovido. Ele, a ex-deputada Tereza Fernandes e o fundador do PT do Maranhão Manuel da Conceição estão juntos no jejum. Os dois homens chegaram a tomar banho no banheiro dos vigilantes da Casa Legislativa. Dormem no plenário. O petista histórico Manuel da Conceição já apresentou problemas de saúde nesse período.
Em seu discurso, o deputado chorou, clamou, usou palavras duras, mas, acima de tudo, demonstrou uma coisa: ali estava o resumo dramático da contradição que reside no processo político do PT, aliado a movimentos sociais e ao mesmo tempo aliado a Sarney, Collor, Renan, Jader Barbalho e o PP de Paulo Maluf, fazendo de tudo para eleger Dilma Rousseff presidente do Brasil.
Até entendo por que em Minas Gerais Lula aceitou fulminar o palanque petista, com Fernando Pimentel, e obrigar os petistas a apoiar Hélio Costa. Afinal, Minas é o segundo maior colégio eleitoral do país, e o apoio a Hélio Costa parece ter sido uma das exigências do PMDB para acertar de vez com Dilma. Seja o que for, dá para entender a ação lulista quando se trata do caso mineiro. Agora, e quanto ao Maranhão, com pequena densidade eleitoral? Está claro que não se trata apenas de querer absorver os votos maranhenses, mas, isto sim, de pagar uma eterna dívida com José Sarney, aliado máximo de Lula desde a eleição de 2002. Como presidente do Senado, Sarney deve ajudar Lula em muitas coisas... Mas, pensando bem, isso seria suficiente para ter receio de Sarney? O que Lula teme da família Sarney?
Como disse Domingos Dutra, os Sarney estão há 46 anos no poder, e desde a redemocratização é o único Estado em que não houve transição para outro grupo. Na verdade, houve com a eleição de Jackson Lago em 2006, mas, como lembrado acima, ele teve seu mandato cassado pela Justiça Eleitoral por abuso de poder político. Roseana Sarney, a segunda colocada, se tornou governadora. Pronto. O clã Sarney retornava ao poder.
O PT nacional desprezou a fúria de petistas maranhenses contra o poder do déspota esclarecido José Sarney. É uma pena, uma coisa lamentável. A esperança daqueles esquerdistas que gritavam "Lula-lá" não merecia ser tão francamente desolada.
Mas há outro aspecto a considerar: onde está a cobertura da imprensa sobre esse episódio? Alguém já disse que o poder da mídia começa na seleção do que vai ser exibido. Ah! São os petistas que gostam de dizer isso! E não deixa de ser verdade. Só que deveria ser noticiada, sim, na televisão, a greve de fome de três petistas - um deles deputado federal - que há dias vivem em parcas condições dentro da Câmara dos Deputados. Se isso não for digno de ser noticiado, não sei mais o que pode ser.
Será que a Copa do Mundo cegou a imprensa? Há olhos suficientes para todos os lances na África do Sul e nenhum para esses fatos preocupantes? Não é isso. Se o eventual leitor viu alguma reportagem televisiva sobre isso, por favor me diga.

sábado, 12 de junho de 2010

Leiam o excelente texto de José Danon no Estadão!

Acabo de ler um excelente texto do economista José Danon no site do Estado de S. Paulo, sob o título Ave, Lula. Não por acaso, a sugestão foi de um leitor do Reinaldo Azevedo, que considero um dos mais lúcidos jornalistas políticos do Brasil na atualidade.
Com grande clareza, o economista retrata os erros da política externa de Lula, já comentados neste blog, e o embevecimento do presidente com o poder. Lembra que os Césares tinham sempre alguém a lhes recordar a humanidade, enquanto Lula parece não ter.
Nao vou comentar mais. Prefiro que o eventual leitor analise por si mesmo.
Segue o link:

http://www.estadao.com.br/estadaodehoje/20100611/not_imp564898,0.php

O discurso vazio do Movimento Gay

O ativismo homossexual cresce a cada dia em nosso país. A Parada Gay é apenas um dos muitos movimentos desse grupo altamente organizado. Com a sua bandeira da "diversidade", militantes gays, lésbicas, bissexuais e transexuais passam à sociedade uma mensagem política que faz muito barulho mas não transmite nada de concreto em termos de defesa dos direitos civis.
De fato, tudo de que os homossexuais precisam já existe na ordem jurídica brasileira. Querem respeito e tolerância? Já têm proteção nessa esfera, pois, se forem discriminados, injuriados ou agredidos por sua opção sexual, têm à disposição toda a legislação civil, penal e de direitos humanos, como qualquer cidadão brasileiro.
A sociedade brasileira é tolerante com o comportamento homossexual, e isso é saudável, mas os homossexuais ativistas querem transmitir a ideia de que existe um ódio homofóbico, o que é pura ilusão. Buscam a aprovação de alterações à Lei nº 7.716/89, que penaliza diversas formas de discriminação. Pretendem acrescentar a discriminação quanto à "orientação sexual". Mas, com isso, criariam a chamada "ditadura gay", pois até mesmo opiniões e pregações contra a conduta homossexual poderiam ser perseguidas na Justiça. Essa impressão, compartilhada por outros, não é terrorista. Procuro pautar minhas opiniões pela razoabilidade, e, com essa perspectiva, posso afirmar que li o projeto e sei que, do jeito que foi proposto, haveria cerceamento de direitos fundamentais dos que não concordam com o pensamento gay.
Não existe perseguição aos homossexuais da forma como eles dizem. Se o direito brasileiro assimilar a plataforma política dos ativistas gays, teremos, aí sim, a instituição de uma categoria especial de indivíduos, com mais direitos do que a população em geral.


sexta-feira, 11 de junho de 2010

O terceiro mandato de Lula

Entendo perfeitamente por que Lula nem precisou dar azo ao projeto de terceiro mandato: é que ele pensou numa melhor maneira de exercer um terceiro mandato por meio de sua gerente Dilma Rousseff. É como aquela história do chefe imediato e do chefe mediato, do mandatário e do mandante, do preposto e do dono da empresa. O representante faz, administra, dá as ordens, coordena, enquanto o representado determina a filosofia e colhe os louros do sucesso.
Pelo andar da carruagem, José Serra e Marina Silva terão muitas dificuldades pela frente com a Sra. Rousseff e com os petistas. Aliás, que guerra terrível dentro do PT, que abateu os petistas mineiros em favor dos petistas paulistas! E de novo a história de dossiês, contratação de "equipe de inteligência", vazamentos...E ainda nem começou a campanha oficial!
Por falar nisso, já me referi neste blog à forma como o presidente Lula desrespeitou a legislação eleitoral, e já se vão cinco multas aplicadas ao homem que por duas vezes jurou guardar a Constituição e as leis do país. É um descalabro! Em minha humilde opinião, isso configura abuso de poder político e poderia render até mesmo o indeferimento ou cassação do registro da candidatura de Dilma Rousseff, assim como o impeachment de Lula. Um presidente não deve descumprir as leis.
Mas, voltando à questão do terceiro mandato, tenho muita preocupação com os rumos de nosso país. A sociedade está anestesiada pelo populismo de Lula. As pessoas, em sua maioria, não refletem sobre o mal que esse senhor está causando para os nossos costumes políticos e sociais como Primeiro-Descumpridor da Ordem Jurídica. E para os próximos quatro anos deveremos ter (tomara que não!) a gerente no poder e o Lula de ideólogo principal de um governo montado em alianças com Sarney, Collor, Renan, partidos pequenos, Jader Barbalho...Será que a população não vê isso mesmo?

A gozação israelense a Lula

Circula pela internet um vídeo do programa israelense Latma em que dois humoristas fazem perguntas a um "imitador" de Lula sobre o acordo fechado entre Brasil, Turquia e Irã sobre o programa nuclear do país dos aiatolás. Descontados os equívocos de sempre - como achar que falamos espanhol e dançamos aqueles ritmos caribenhos -, os humoristas foram felizes, não indo além do que qualquer comediante faz: tirar sarro.
O foco do programa foi mostrar que Lula não entende do assunto, com insinuações de que ele não sabe onde ficam Irã e Israel, além de uma pergunta taxativa da "entrevistadora": "por que você se meteu onde não foi chamado"? Outra linha foi enfatizar o desejo de exibição pessoal de Lula - emulando Hugo Chávez -, aliado à tese de Brasil-potência e à eterna pendência esquerdista com os Estados Unidos.
O resumo da ópera é o seguinte: o Brasil não tem autoridade para mediar o conflito e o Irã continua enriquecendo urânio. Pronto. Se a antiga Pérsia um dia lançar sua bomba contra Israel, país que pretende "riscar do mapa", o Brasil de Lula terá assinado sua participação nisso.

quarta-feira, 9 de junho de 2010

Irmã Dulce e a tendência humana à veneração

Ontem e hoje o corpo da Irmã Dulce, falecida em 1992 aos 77 anos, esteve exposto à visitação pública na Igreja da Imaculada Conceição da Mãe de Deus, no Largo de Roma, aqui em Salvador. Já considerada "venerável" pelo Sr. Joseph Ratzinger (Papa Bento XVI) desde 2009, a freira baiana segue, depois de morta, para ser beatificada, e, talvez, canonizada, para ser a primeira "santa brasileira" (Madre Paulina nasceu na Itália).
A Irmã Dulce fez um belo trabalho com os pobres na área de saúde e assistência social. As "Obras Sociais Irmã Dulce" tomaram vulto. Todos os dias passo em frente à sua sede, onde há um convite de visita ao túmulo do "anjo bom do Brasil", conforme uma das inscrições. Outra diz: "Venerável Dulce".
Imagino que aquela senhora de que me recordo desde os tempos de infância, na década de 80, não gostaria de testemunhar uma coisa dessas. Lembro-me de que ela sofria de algum problema respiratório, e sempre aparecia um tanto arqueada, mas com o olhar sereno. Por cinco décadas, fez o que o Poder Público não se preocupava em fazer: cuidar dos pobres. Ainda hoje são muitos os que procuram socorro nas Obras Sociais que ela deixou.
Todavia, percebo aqui o fenômeno social e religioso da santificação de um indivíduo como antídoto à necessidade de santificação pessoal. Explico: em vez de buscarem a separação do pecado e a promoção do bem, as pessoas preferem se contentar com uma vida comum e relegar ao santo as maiores proezas, como se somente ele pudesse parecer mais com Deus.
Essa é verdade: à semelhança dos heróis cinematográficos, os santos católicos são como paradigmas inalcançáveis, postos como modelo de santidade e operação de milagres para que no coração do povo permaneça a ideia de que ninguém pode ser santo.
Soa para mim altamente artificial o processo de canonização, segundo o qual por meio de um ou mais milagres "comprovados" alguém passa a ser considerado santo. Ora, santos são todos aqueles que um dia foram separados do pecado pelo sangue de Jesus, e que a partir de então ingressaram no processo de santificação sob o poder do Espírito de Deus. Somos santos e nos santificamos a vida toda na Pessoa de Cristo.
Colocar o "santo" no pedestal é perigoso. A proposta do Evangelho vai no sentido diametralmente oposto: "Sede santos, porque eu sou santo" é o que nos diz o SENHOR (I Pe 1.16).

Fale comigo!

Gostaria de estabelecer contato com você. Talvez pensemos a respeito dos mesmos assuntos, e o diálogo é sempre bem-vindo e mais que necessário. Meu e-mail é alexesteves.rocha@gmail.com. Você poderá fazer sugestões de artigos, dar idéias para o formato do blog, tecer alguma crítica ou questionamento. Fique à vontade. Embora o blog seja uma coisa pessoal por natureza, gostaria de usar este espaço para conhecer um pouco de quem está do outro lado. Um abraço.

Para pensar:

Um dos terríveis problemas da Igreja evangélica brasileira é a falta de conhecimento da Bíblia como um sistema coerente de princípios, promessas e relatos que apontam para Cristo como Criador, Sustentador e Salvador. Em vez disso, prega-se um "jesus" diminuído, porque criado à imagem de seus idealizadores, e que faz uso de textos bíblicos isolados, como se fossem amuletos, peças mágicas a serem usadas ao bel-talante do indivíduo.

Arquivo do blog

Bases de Fé

Creio:
Em um só Deus e na Trindade.
Na inspiração verbal da Bíblia Sagrada, única regra infalível de fé normativa para a vida e o caráter cristão.
Na concepção virginal de Jesus, em sua morte vicária e expiatória, em sua ressurreição corporal e sua ascensão aos céus.
Na pecaminosidade do homem, e que somente o arrependimento e a fé na obra expiatória e redentora de Jesus Cristo é que pode salvá-lo.
Na necessidade absoluta do novo nascimento pela fé em Cristo e pelo poder atuante do Espírito Santo e da Palavra de Deus, para tornar o homem digno do Reino dos Céus.
No perdão dos pecados, na salvação presente e perfeita e na eterna justificação da alma recebidos gratuitamente de Deus pela fé no sacrifício efetuado por Jesus Cristo em nosso favor.
No batismo bíblico em águas, em nome do Pai, do Filho e do Espírito Santo, conforme determinou o Senhor Jesus Cristo.
Na necessidade e na possibilidade que temos de viver vida santa mediante a obra expiatória e redentora de Jesus, através do poder do Espírito Santo.
No batismo bíblico no Espírito Santo que nos é dado por Deus mediante a intercessão de Cristo.
Na atualidade dos dons espirituais distribuídos pelo Espírito Santo à Igreja para sua edificação, conforme a sua soberana vontade.
Na Segunda Vinda de Cristo.
Que todos os cristãos comparecerão ante o Tribunal de Cristo.
No juízo vindouro que recompensará os fiéis e condenará os infiéis.
E na vida eterna para os fiéis e morte eterna para os infiéis.