sábado, 8 de outubro de 2016

ACORDO DE PAZ

E se o diabo propusesse a Deus um acordo de paz? Cansado de uma vida de intrigas, batalhas e clandestinidade, o diabo, com toda a sua ousadia e astúcia, bem que seria capaz de uma ideia atravessada como essa…
Tendo em seu histórico a corrupção do gênero humano, com toda sorte de consequências ruins, e com um prognóstico de completo mau augúrio, Satanás pensaria, quem sabe, em propor um pacto definitivo, não apenas um cessar-fogo. Não seria como um tradicional “pacto com o diabo”, diria ele, mas algo similar aos “acordos de paz” apreciados e incentivados pela Organização das Nações Unidas e pelo Comitê do Nobel. No limite, ganharia o prêmio, e, de qualquer modo, passaria à História como um pacificador, um ex-guerrilheiro que preteriu sua ideologia em favor de um bem maior, qual seja, a paz mundial e cósmica.
Antes de prosseguir, seria bom falar de eventual ideologia do diabo. E o diabo tem ideologia? Mais do que ideologia, que podem ser muitas, o diabo tem objetivo e estratégias. Seu objetivo, desde que a iniquidade nele se abrigou, é humilhar o Homem, e todas as suas estratégias podem ser resumidas numa palavra: “pecado”. Com o Pecado Original (a “Queda”), vieram o sofrimento, os conflitos e contendas, a racionalização das faltas, a indignidade, a degeneração do ambiente. O mundo, como sistema em rebelião contra Deus, transformou-se num campo de guerra, num vale de sombras, numa selva indevassável, num cemitério – escolhei as metáforas. Para o diabo, interessa mentir, roubar, matar e destruir. Ele sabe que está condenado, e que sua execução bate à porta, e corre contra o tempo veloz.
No entanto, com um acordo de paz, pensaria o Cão, quem garante que o mundo não o veria com bons olhos, digno de aplauso, merecedor do reconhecimento universal? Examinando os líderes mundiais, não teria dúvida do apoio político necessário. Seria aclamado em Hollywood, festejado por intelectuais, premiado com o Nobel, tomado como líder, inspiração, herói, referência! Seria um símbolo da paz, um capitão e timoneiro da justiça global.
Digamos, imaginando um pouco mais, que o diabo levasse adiante sua proposta. Sabe-se que “o papel aceita tudo”, que propostas podem ser recusadas, e que, afinal, um cão danado como ele nada teria a perder.
Feita a proposta, o SENHOR Jesus, Advogado e Príncipe da Paz, diria, com toda autoridade, ao infeliz:
- Pai de toda mentira, maligno em propósitos, pensamentos e ações, cruel assassino e insidioso tentador, sabes, ó criatura abominável, que teu pacto já foi proposto, antiga serpente, lá no Éden, e que justamente por isso Eu vim ao mundo, para desfazer as obras do diabo. Lá no Éden propuseste um pacto com o Homem, pautado pela emancipação ética em relação ao Criador, como se a Humanidade pudesse se orientar sozinha, sem a ética de Deus. Ensejaste a dúvida, a mentira, a incredulidade, a morte, o sofrimento, a contenda, o conflito, a guerra, a maldade, o fratricídio, pelo que o juízo veio a ser corretamente ordenado, a começar pelo Dilúvio, passando por Sodoma e Gomorra, atravessando séculos e alcançando as nações de Canaã, para atingir seu ápice no Juízo determinado pelo Pai a ocorrer a seu tempo.
- Sabes, ó estrela apagada, que Eu deixei minha paz em meio às aflições que ensejaste. Não a paz que o mundo oferece, mas a paz eterna, real, espiritual e interior.
- Ó perturbador das nações, acusador, destruidor e horrendo dragão, tu sabes que rejeitei aquele acordo de paz que me propuseste há tempos, quando em meu ministério fui por ti tentado a adorar-te em troca dos reinos do mundo! Recusei-o com toda firmeza de caráter e poder que o Pai me concedeu, estando Eu ali como Representante dos homens que seriam salvos.
- Tua paz é falsa, teu acordo é o próprio desacordo, tuas intenções são malignas em toda a sua extensão, tua fome é dirigida à carne e à alma daqueles que criei para meu louvor e glória. Celebrar paz com o diabo seria negar o próprio caráter justo, reto, puro, santo e bom d'Aquele que criou todas as coisas, nos Céus e na Terra, e que tem em Suas mãos todo conhecimento, domínio e poder.
- Sai correndo, Satanás! Arreda! Afasta-te de mim! Vai sem nenhuma paz, como lhe é natural! Está escrito que em perfeita paz será conservada a mente daquele que está firme em Deus, porque confia em Deus. Esta é a paz verdadeira. Sai daqui, disseminador e objeto final de toda maldição!
Recusada a proposta de acordo, sairia o diabo sem proferir palavra, sem vergonha, com o mesmo cinismo de antes. Ele sabe que sua proposta foi aceita por um sem-número de pessoas ao longo da História, como agora: pessoas que vivem uma falsa paz, de prazeres enganosos e glórias cujo fim é a destruição. Ele sabe que levará consigo, para o mundo de trevas abissais, aqueles que, em troca da paz diabólica, recebem nesta vida a mais completa ausência de Deus.

Fale comigo!

Gostaria de estabelecer contato com você. Talvez pensemos a respeito dos mesmos assuntos, e o diálogo é sempre bem-vindo e mais que necessário. Meu e-mail é alexesteves.rocha@gmail.com. Você poderá fazer sugestões de artigos, dar idéias para o formato do blog, tecer alguma crítica ou questionamento. Fique à vontade. Embora o blog seja uma coisa pessoal por natureza, gostaria de usar este espaço para conhecer um pouco de quem está do outro lado. Um abraço.

Para pensar:

Um dos terríveis problemas da Igreja evangélica brasileira é a falta de conhecimento da Bíblia como um sistema coerente de princípios, promessas e relatos que apontam para Cristo como Criador, Sustentador e Salvador. Em vez disso, prega-se um "jesus" diminuído, porque criado à imagem de seus idealizadores, e que faz uso de textos bíblicos isolados, como se fossem amuletos, peças mágicas a serem usadas ao bel-talante do indivíduo.

Arquivo do blog

Bases de Fé

Creio:
Em um só Deus e na Trindade.
Na inspiração verbal da Bíblia Sagrada, única regra infalível de fé normativa para a vida e o caráter cristão.
Na concepção virginal de Jesus, em sua morte vicária e expiatória, em sua ressurreição corporal e sua ascensão aos céus.
Na pecaminosidade do homem, e que somente o arrependimento e a fé na obra expiatória e redentora de Jesus Cristo é que pode salvá-lo.
Na necessidade absoluta do novo nascimento pela fé em Cristo e pelo poder atuante do Espírito Santo e da Palavra de Deus, para tornar o homem digno do Reino dos Céus.
No perdão dos pecados, na salvação presente e perfeita e na eterna justificação da alma recebidos gratuitamente de Deus pela fé no sacrifício efetuado por Jesus Cristo em nosso favor.
No batismo bíblico em águas, em nome do Pai, do Filho e do Espírito Santo, conforme determinou o Senhor Jesus Cristo.
Na necessidade e na possibilidade que temos de viver vida santa mediante a obra expiatória e redentora de Jesus, através do poder do Espírito Santo.
No batismo bíblico no Espírito Santo que nos é dado por Deus mediante a intercessão de Cristo.
Na atualidade dos dons espirituais distribuídos pelo Espírito Santo à Igreja para sua edificação, conforme a sua soberana vontade.
Na Segunda Vinda de Cristo.
Que todos os cristãos comparecerão ante o Tribunal de Cristo.
No juízo vindouro que recompensará os fiéis e condenará os infiéis.
E na vida eterna para os fiéis e morte eterna para os infiéis.