domingo, 1 de março de 2015

Um sonho de terror

Sonhei que acordava de repente num país estranho, em que tudo parecia estar ao contrário. Por estar sem os documentos pessoais e não saber direito o que fazia ali, acabei sendo preso, mas sem direito a advogado ou telefonema.
Vi que aquele país era governado por uma mulher de cabeça gigante, que falava numa língua que ninguém entendia e tinha sido criada por um velho barbudo e sabichão. Quem mandava mesmo era o velho barbudo, chefe de uma gangue vestida de vermelho e que habitava o subterrâneo.
Soube que no início pessoas inteligentes aceitaram bem aquela dupla, porque acreditavam numa coisa chamada "democracia", e em outra chamada "república". Mas o velho barbudo e a mulher cabeçuda deram um golpe e passaram a governar à base de leis imperiais, exército vermelho e linguagem mágica. Os que viviam de maneira nababesca sustentavam tudo, com o apoio maciço dos miseráveis esfaimados.
Quando menos se percebeu, o velho barbudo e a cabeçuda já dominavam todas as coisas. 
Até que um dia, enquanto eu estava lá, o velho matou a cabeçuda e comeu sua carne. As leis imperiais ainda persistiam, mas o exército vermelho se dividiu, e a linguagem mágica perdeu efeito. Foi um caso curioso em que o criador matou a criatura.
A comida, então, desapareceu do prato dos miseráveis esfaimados, e os que viviam de maneira nababesca se voltaram contra o velho sabichão. Este foi encurralado num castelo e lá apodreceu até ser esquecido para sempre. O povo escolheu um novo governante, que aboliu as leis imperiais e instituiu novamente a república e a democracia, convocando o parlamento.
Os de vida opulenta dividiram-se, com saudade das benesses patrocinadas pelo velho barbudo e sua cabeçuda criatura, mas tinham vontade de explorar agora o novo governante. Os miseráveis continuavam a esperar um messias. Mas a classe que trabalhava e estudava voltou a ter confiança em seu próprio destino.
Foi assim que acordei, um pouco tenso depois de tanta emoção, mas com esperança de que pesadelos podem ser esquecidos para sempre. 


Nenhum comentário:

Fale comigo!

Gostaria de estabelecer contato com você. Talvez pensemos a respeito dos mesmos assuntos, e o diálogo é sempre bem-vindo e mais que necessário. Meu e-mail é alexesteves.rocha@gmail.com. Você poderá fazer sugestões de artigos, dar idéias para o formato do blog, tecer alguma crítica ou questionamento. Fique à vontade. Embora o blog seja uma coisa pessoal por natureza, gostaria de usar este espaço para conhecer um pouco de quem está do outro lado. Um abraço.

Para pensar:

Um dos terríveis problemas da Igreja evangélica brasileira é a falta de conhecimento da Bíblia como um sistema coerente de princípios, promessas e relatos que apontam para Cristo como Criador, Sustentador e Salvador. Em vez disso, prega-se um "jesus" diminuído, porque criado à imagem de seus idealizadores, e que faz uso de textos bíblicos isolados, como se fossem amuletos, peças mágicas a serem usadas ao bel-talante do indivíduo.

Arquivo do blog

Bases de Fé

Creio:
Em um só Deus e na Trindade.
Na inspiração verbal da Bíblia Sagrada, única regra infalível de fé normativa para a vida e o caráter cristão.
Na concepção virginal de Jesus, em sua morte vicária e expiatória, em sua ressurreição corporal e sua ascensão aos céus.
Na pecaminosidade do homem, e que somente o arrependimento e a fé na obra expiatória e redentora de Jesus Cristo é que pode salvá-lo.
Na necessidade absoluta do novo nascimento pela fé em Cristo e pelo poder atuante do Espírito Santo e da Palavra de Deus, para tornar o homem digno do Reino dos Céus.
No perdão dos pecados, na salvação presente e perfeita e na eterna justificação da alma recebidos gratuitamente de Deus pela fé no sacrifício efetuado por Jesus Cristo em nosso favor.
No batismo bíblico em águas, em nome do Pai, do Filho e do Espírito Santo, conforme determinou o Senhor Jesus Cristo.
Na necessidade e na possibilidade que temos de viver vida santa mediante a obra expiatória e redentora de Jesus, através do poder do Espírito Santo.
No batismo bíblico no Espírito Santo que nos é dado por Deus mediante a intercessão de Cristo.
Na atualidade dos dons espirituais distribuídos pelo Espírito Santo à Igreja para sua edificação, conforme a sua soberana vontade.
Na Segunda Vinda de Cristo.
Que todos os cristãos comparecerão ante o Tribunal de Cristo.
No juízo vindouro que recompensará os fiéis e condenará os infiéis.
E na vida eterna para os fiéis e morte eterna para os infiéis.