sábado, 28 de fevereiro de 2015

A ideia de Deus

Eu não consigo acreditar que Deus não existe. Deus precisa existir. 
A existência de Deus é o fundamento de tudo, é a causa primeira, é a conexão entre uma coisa e qualquer outra.
Pensar que Deus não existe é uma tolice, uma estupidez, uma vergonha - é a própria falta de lógica e de bom senso; é o estupro da Razão e o total desconhecimento do Logos, por meio do qual todas as coisas foram criadas.
Querer provar a existência de Deus é uma intenção fora de toda possibilidade de sentido. Existem argumentos favoráveis à existência de Deus, mas prova, não. A prova da existência de Deus é a fé em Sua Palavra.
Deus valida a Sua Palavra, e é por isso que as Escrituras são a verdade. Não é a Bíblia que empresta validade a Deus, e, em consequência, não é nas páginas do Livro Sagrado que iremos descobrir todos os tesouros da Astrofísica, da Biologia ou da Metafísica, a sustentar por A + B que Deus existe e como o Universo se relaciona com o Criador. A existência e personalidade e caráter de Deus é que atribuem todo o santo valor às Escrituras.
Dá para entender isso? Dá para você crer nisso, que é a base de tudo?
Não é bonito ser ateu nem agnóstico. É muito feio dizer que Deus não existe. O ateu diz que não crê em Deus, e o agnóstico diz que só pode crer no que se pode provar. Quanta besteira!
O ateu que professa sua falta de fé em Deus é o ateu que eu poderia chamar de "cognitivo", porque ele diz não acreditar; mas existe o ateu prático, a saber, o que diz acreditar, mas vive como se Deus não existisse. Quero me deter, porém, neste instante, no problema do ateísmo declarado: a pessoa diz não acreditar em Deus, e para isso utiliza argumentos variados, como a impossibilidade de tocar, provar ou ver a Deus, argumentos estes totalmente tolos, porque não é da essência de Deus que Ele possa ser tocado, provado ou visto!
Quanto ao agnóstico, ele não diz que não crê, escapando pela estrada da dúvida: "Se não posso provar, não digo que existe". Ora, esse erro é semelhante ao do ateu declarado, porque a pessoa limita a existência de Deus às suas próprias ideias limitadas e bobas.
Se Deus coubesse em nossas mentes finitas, Ele não seria Deus! É difícil entender isso? 
A Bíblia não requer que acreditemos em duendes, gnomos ou nas promessas de Dilma Rousseff - a Bíblia apresenta Um Ser Transcendente e Imanente, Subsistente em Três Pessoas - Pai, Filho e Espírito Santo -, Criador de todas as coisas, Espiritual, Eterno, Infinito, Absoluto, Todo-poderoso, Justo, Santo, Puro, Reto, Benigno e Bom, que enviou Seu Filho para remissão dos nossos pecados. Qual a dificuldade lógica, qual a contradição nessas assertivas? Estou pedindo prova científica para isso? Não! Estou me referindo à fé.
Olhe o mundo à sua volta, o corpo humano, a busca por sentido na vida, a filosofia, a ciência, a tecnologia, o desejo de viver plenamente. Tudo isso conduz necessariamente à existência de Deus.
Inventaram até mesmo uma contradição em termos, que é a figura do ateu militante (?!): uma pessoa que se dedica a tentar provar que Deus não existe, para persuasão dos crentes "ignorantes" e "simplórios". 
Se tu és ateu, meu caro, qual o propósito de provar a outros que Deus não existe? Se Deus não existe, que te importa? Será que sua luta é contra o fanatismo religioso, o atraso científico ou as guerras santas? Ora, nada disso precisa ser combatido em nome de um não-Deus! 
E se sua agenda consiste em tentar provar, por meio de achados e teorias científicas, que Deus não existe, estás numa batalha inglória, porque confunde dois métodos distintos de busca do conhecimento, que são a Razão e a Fé. 
A Razão dá testemunho do acerto da Fé, e a Fé nunca se divorcia da verdadeira Razão, mas não podes provar o espiritual mediante técnicas e raciocínios limitados. 
Querer provar que Deus não existe é nada mais que um erro lógico, porque nesse caso toda conclusão servirá apenas para corroborar o pressuposto de que Deus não existe. Assim, o ateu continua onde começou: em sua simples falta de fé.

Nenhum comentário:

Fale comigo!

Gostaria de estabelecer contato com você. Talvez pensemos a respeito dos mesmos assuntos, e o diálogo é sempre bem-vindo e mais que necessário. Meu e-mail é alexesteves.rocha@gmail.com. Você poderá fazer sugestões de artigos, dar idéias para o formato do blog, tecer alguma crítica ou questionamento. Fique à vontade. Embora o blog seja uma coisa pessoal por natureza, gostaria de usar este espaço para conhecer um pouco de quem está do outro lado. Um abraço.

Para pensar:

Um dos terríveis problemas da Igreja evangélica brasileira é a falta de conhecimento da Bíblia como um sistema coerente de princípios, promessas e relatos que apontam para Cristo como Criador, Sustentador e Salvador. Em vez disso, prega-se um "jesus" diminuído, porque criado à imagem de seus idealizadores, e que faz uso de textos bíblicos isolados, como se fossem amuletos, peças mágicas a serem usadas ao bel-talante do indivíduo.

Arquivo do blog

Bases de Fé

Creio:
Em um só Deus e na Trindade.
Na inspiração verbal da Bíblia Sagrada, única regra infalível de fé normativa para a vida e o caráter cristão.
Na concepção virginal de Jesus, em sua morte vicária e expiatória, em sua ressurreição corporal e sua ascensão aos céus.
Na pecaminosidade do homem, e que somente o arrependimento e a fé na obra expiatória e redentora de Jesus Cristo é que pode salvá-lo.
Na necessidade absoluta do novo nascimento pela fé em Cristo e pelo poder atuante do Espírito Santo e da Palavra de Deus, para tornar o homem digno do Reino dos Céus.
No perdão dos pecados, na salvação presente e perfeita e na eterna justificação da alma recebidos gratuitamente de Deus pela fé no sacrifício efetuado por Jesus Cristo em nosso favor.
No batismo bíblico em águas, em nome do Pai, do Filho e do Espírito Santo, conforme determinou o Senhor Jesus Cristo.
Na necessidade e na possibilidade que temos de viver vida santa mediante a obra expiatória e redentora de Jesus, através do poder do Espírito Santo.
No batismo bíblico no Espírito Santo que nos é dado por Deus mediante a intercessão de Cristo.
Na atualidade dos dons espirituais distribuídos pelo Espírito Santo à Igreja para sua edificação, conforme a sua soberana vontade.
Na Segunda Vinda de Cristo.
Que todos os cristãos comparecerão ante o Tribunal de Cristo.
No juízo vindouro que recompensará os fiéis e condenará os infiéis.
E na vida eterna para os fiéis e morte eterna para os infiéis.