segunda-feira, 22 de dezembro de 2008

Ética Bíblica

Definição de ética.
Ética divina e ética humana.
Por que a Bíblia é um Código de Ética?
A Lei de Moisés.
Os Dez Mandamentos.
Ética Cristã.
O Sermão do Monte.
Conclusão.


Definição de ética.
Ética é o conhecimento do bem e do mal, do certo e do errado, do justo e do injusto. Está relacionada ao caráter, à moralidade, aos bons costumes, ao que é bom e justo, ao que é direito, honesto.
A palavra “ética” vem do grego ethos, e significa estilo de vida, costumes, conduta ou prática. Aparece 12 vezes no Novo Testamento , enquanto o plural, ethes, surge uma só vez, em I Co 15.33 (“costumes”). É importante também ressaltar que o vocábulo “ética” decorre diretamente do texto bíblico, e assim se difundiu pelo mundo .


Ética divina e ética humana.
Além da ética divina, existe a ética humana, secular ou filosófica.
Antes da Queda, Adão e Eva alimentavam-se da ética divina. Deus dizia qual o procedimento correto.
A tentação da Serpente foi no sentido de que eles se tornassem como Deus, sabendo o bem e o mal. Ou seja: a tentação para que Adão e Eva comessem da Árvore do Conhecimento do Bem e do Mal significou uma insinuação de que eles poderiam escolher seus próprios caminhos, independentemente de Deus, e, assim, podendo se tornar autônomos, independentes, emancipados.
Veja os textos de Gn 2.16,17 (mandamento e consequência) e Gn 3.1-7 (tentação e Queda).
A tentação colocou em dúvida a Palavra de Deus; lançou a idéia de que o mandamento divino era uma tortura; lançou a idéia de que comer da Árvore proibida era necessário; lançou a idéia de que viver com Deus era mais negativo do que positivo, com uma proibição supostamente injusta; lançou a idéia de que Deus não queria que eles se tornassem como Ele, sabendo o bem e o mal, quando, na realidade, Deus queria que eles se conduzissem de acordo com a ética divina, e não com a ética pessoal.
Ali houve o pecado, que é basicamente desobediência à Palavra de Deus.
A morte, como consequência do pecado, é separação de Deus. Tem os aspectos moral, espiritual e físico.

Por que a Bíblia é um Código de Ética?
A Bíblia é um Código de Ética porque trata de como as pessoas devem se comportar diante de Deus e do próximo.
A Bíblia tem regras, mandamentos, estatutos, ordens, preceitos, juízos, normas de conduta. Essas palavras têm que ver com o certo e o errado, o bem e o mal, o justo e o injusto, o lícito e o ilícito. Por isso, a Bíblia é um Livro ou Código de Ética, mas de Ética Divina.
Nós, cristãos, temos na Bíblia nosso modelo ético absoluto, perfeito e imutável. Ela nos ensina a ter um comportamento ético na família, no trabalho, na sociedade e na igreja.

A Lei de Moisés.
A Lei de Moisés, presente nos Livros de Êxodo a Deuteronômio, contém regras de conduta para o povo de Israel, e muitos princípios de ética divina que servem para todos os seres humanos, especialmente para a Igreja de Cristo.
A Lei de Moisés possui regras morais, cerimoniais e civis. As regras cerimoniais tinham função religiosa, e eram dirigidas apenas a Israel (leis sobre sacerdotes, levitas, sistema de sacrifícios e outros rituais religiosos). As regras civis também se dirigiam a Israel, mas no sentido jurídico, para Israel enquanto Nação, e diziam respeito às normas de convivência social. Eram regras referentes a crimes, indenizações, impostos, descanso da terra, dentre outras.
As leis morais são universais, e, por isso servem para todas as pessoas em qualquer época e lugar. Estão resumidas nos Dez Mandamentos (Ex 20.1-17), e tratam do respeito a Deus e ao próximo.
Os Dez Mandamentos valorizam:
1 – O culto exclusivo, espiritual e reverente a Deus (Ex 20.1-7);
2 – A administração do tempo (Ex 20.8-11);
3 – O respeito aos pais (Ex 20.12);
4 – O direito à vida (Ex 20.13);
5 – A instituição do casamento (Ex 20.14, 17);
6 – O direito de propriedade, que envolve o direito do trabalhador e o direito de crédito (Ex 20.15, 17);
7 – O respeito à honra e à justiça, em sentido forense (Ex 20.16).
A Lei de Moisés protegia os mais fracos: pobres, escravos, estrangeiros, órfãos e viúvas.


Ética cristã.
Ética cristã é o padrão de conduta baseado nas palavras de Jesus Cristo e nas Cartas Apostólicas.
A Ética Cristã está bem caracterizada no Sermão do Monte.

O Sermão do Monte.
O Sermão do Monte encontra-se em Mt 5 a 7 (com textos paralelos em Mc 9.50 e Lc 6.20-49; 11.2-4; 34-36; 12.22-31; 13.24; 14.34,35).
A ética cristã é completamente diferente da ética humana, e pode ser resumida nos seguintes princípios:
1. Renúncia aos valores mundanos e apego aos valores do Reino dos Céus (Mt 5.3-12; Is 57.15; Sl 126.5); “mansos” são os altruístas, os que pensam nos outros, conforme Sl 37.11; II Pe 3.13; “limpos de coração vêm de uma referência a Sl 24.4, Sl 51.10 e 73.1;
2. Necessidade de fazer a diferença e conservar da corrupção (Mt 5.13-16; Jo 8.12; II Co 4.5,6);
3. Interiorização da Lei (Mt 5.17-20) – aplicado à questão do homicídio (21-26); do adultério (27-32); dos juramentos (33-37; Nm 30.2); da vingança (38-42;); e ao tema das relações entre as pessoas (43-48; Lv 19.18);
4. Humildade em tudo, como no caso das esmolas (6.2-4); das orações (6.5-8); do jejum (16-18);
5. Simplicidade quanto às coisas materiais (6.19-21, 24);
6. Entendimento de que a ética não pode ser de fora para dentro, mas de dentro para fora (6.22,23);
7. Priorização do Reino de Deus e de sua justiça, confiança na providência divina (6.25-34);
8. Fuga da hipocrisia e do julgar aos outros (7.1-5; diferente do discernimento dentro das questões da igreja, como, por exemplo, em I Co 5.3,12,13);
9. Compromisso e auto-negação, enquanto a maioria segue confortavelmente pelo caminho espaçoso (13,14);
10. Valorização dos frutos do caráter, e não dos supostos milagres nem das meras palavras ou cargos eclesiásticos (7.15-23; Jr 14.14; 27.15; Sl 6.8);
11. Aplicação das palavras de Cristo (7.24-27).

A chamada Lei Áurea está em Mt 7.12 – o critério da vida em sociedade deve ser aquilo que eu quero que façam comigo. Isso mesmo eu devo fazer aos outros.
Rm 13.10 – A Ética Cristã é o amor.

Conclusão.
Estamos vivendo na época da Pós-Modernidade. A sociedade é relativista, pluralista, hedonista, materialista, individualista e pragmática.
Vemos o avanço da criminalidade, da corrupção política, do tráfico de drogas ilícitas, do homossexualismo, do sexo livre e da desagregação familiar. Vemos também que muitos que se dizem cristãos evangélicos pensam e praticam obras segundo a ética mundana, e não segundo a Ética Cristã.
Só a Ética Cristã vai na contramão de tudo isso. Não podemos sucumbir diante da ética do mundo.
Mundanismo não é só usar roupas dessa ou daquela maneira: mundanismo é deixar que os valores do mundo tomem conta da igreja, mesmo que disfarçadamente.
*Material preparado para a "Festa dos Senhores", na Congregação da Assembléia de Deus no Bairro Jardim Petrolar, em Alagoinhas-BA, onde congreguei de 1988 a 1995. Trata-se de um estudo feito a partir da Revista da CPAD para o IV Trimestre de 2008, especificamente sobre a Lição "A Bíblia: O Código de Ética Divino". A palavra foi ministrada no dia 07 de dezembro de 2008.

Um comentário:

MamaNunes disse...

MaMaNunes,
Marcia e Marcio Nunes,
aos amigos, filhos, netos, irmãos, agregados
e quem mais chegar, desejamos que
a lembrança traga a perseverança
que a perseverança,
traga a esperança de dias melhores
sempre...
Viva o Natal!
Um grande abraço!

Fale comigo!

Gostaria de estabelecer contato com você. Talvez pensemos a respeito dos mesmos assuntos, e o diálogo é sempre bem-vindo e mais que necessário. Meu e-mail é alexesteves.rocha@gmail.com. Você poderá fazer sugestões de artigos, dar idéias para o formato do blog, tecer alguma crítica ou questionamento. Fique à vontade. Embora o blog seja uma coisa pessoal por natureza, gostaria de usar este espaço para conhecer um pouco de quem está do outro lado. Um abraço.

Para pensar:

Um dos terríveis problemas da Igreja evangélica brasileira é a falta de conhecimento da Bíblia como um sistema coerente de princípios, promessas e relatos que apontam para Cristo como Criador, Sustentador e Salvador. Em vez disso, prega-se um "jesus" diminuído, porque criado à imagem de seus idealizadores, e que faz uso de textos bíblicos isolados, como se fossem amuletos, peças mágicas a serem usadas ao bel-talante do indivíduo.

Arquivo do blog

Bases de Fé

Creio:
Em um só Deus e na Trindade.
Na inspiração verbal da Bíblia Sagrada, única regra infalível de fé normativa para a vida e o caráter cristão.
Na concepção virginal de Jesus, em sua morte vicária e expiatória, em sua ressurreição corporal e sua ascensão aos céus.
Na pecaminosidade do homem, e que somente o arrependimento e a fé na obra expiatória e redentora de Jesus Cristo é que pode salvá-lo.
Na necessidade absoluta do novo nascimento pela fé em Cristo e pelo poder atuante do Espírito Santo e da Palavra de Deus, para tornar o homem digno do Reino dos Céus.
No perdão dos pecados, na salvação presente e perfeita e na eterna justificação da alma recebidos gratuitamente de Deus pela fé no sacrifício efetuado por Jesus Cristo em nosso favor.
No batismo bíblico em águas, em nome do Pai, do Filho e do Espírito Santo, conforme determinou o Senhor Jesus Cristo.
Na necessidade e na possibilidade que temos de viver vida santa mediante a obra expiatória e redentora de Jesus, através do poder do Espírito Santo.
No batismo bíblico no Espírito Santo que nos é dado por Deus mediante a intercessão de Cristo.
Na atualidade dos dons espirituais distribuídos pelo Espírito Santo à Igreja para sua edificação, conforme a sua soberana vontade.
Na Segunda Vinda de Cristo.
Que todos os cristãos comparecerão ante o Tribunal de Cristo.
No juízo vindouro que recompensará os fiéis e condenará os infiéis.
E na vida eterna para os fiéis e morte eterna para os infiéis.