sábado, 19 de abril de 2014

Lugar nenhum

Utopia, do Grego, significa literalmente "não-lugar" - é o lugar nenhum, o lugar que não existe. É para esse lugar que os esquerdistas querem te levar.
O paraíso na Terra, a sociedade sem classes, o "outro mundo possível", o sonho que não acabou... Essas promessas são repetidas pela esquerda universal, distribuída em diferentes grupos: socialistas, comunistas, social-democratas, democratas norte-americanos, além da nova esquerda. 
De maneira geral, o esquerdista crê - uso a palavra propositalmente - na possibilidade de um mundo melhor porque pressupõe a pureza inata do Homem, à moda de Rousseau. Esse mito do "bom selvagem" conduz à leniência com a criminalidade, ao assistencialismo, à política indigenista que trata os indígenas como coitados, e, enfim, à ideia de que o Estado deve resolver a desigualdade social por meio de intervenção econômica e distribuição artificial de renda.
A esquerda tem uma proposta de vida quase religiosa, mas sem religião (Russell Kirk escreveu sobre isso em A Política da Prudência, um livro muito bom para quem deseja conhecer o verdadeiro Conservadorismo). Desiludidos com a religião, considerada "o ópio do povo", muitos desencantados com a vida passam a buscar novos dogmas, mas agora arraigados na matéria e desprovidos do Céu. O céu deles é aqui, assim como o inferno.
É curioso que muitos esquerdistas sejam religiosos. Esses conseguem misturar sua religião espiritual à religião política. São os adeptos da Teologia da Libertação, com a sua hermenêutica bíblica marxista; são os prosélitos da Teologia da Missão Integral, irmã protestante da Teologia da Libertação; são os padres vermelhos; são os pastores do Liberalismo Teológico com matiz social. Além do Paraíso Celestial, eles querem o paraíso político de sua mui estranha escatologia.
Mas as coisas não existem só porque você pensa que existem. Os utópicos, que enchem de alegria os corações juvenis dos fóruns sociais mundiais, das manifestações de junho e das invasões de reitoria irão para lugar nenhum, e arrastarão consigo os que conseguirem cair em seu conto do vigário.

 


Um comentário:

Ualace Matos disse...

Várias igrejas evangélicas, infelizmente, perderam a verdadeira essência da Palavra de Deus e hoje vivemos numa época onde os seus líderes se preocupam mais com as necessidades do homem do que as necessidades de Deus, haja vista a grande propagação de uma falsa e equivocada prosperidade que não tem nada em comum com a proposta do Evangelho de Cristo.
Digo que atende mais as necessidades do homem levando em consideração o contexto de Cristianismo que é pregado hoje nas congregações, onde são utilizados textos isolados de um contexto para argumentar e reforçar várias deturpações bíblicas, heréticas e nocivas por líderes mal-intencionados que não tem interesse na edificação dos seus membros,mas nos seus próprios interesses,desleixo também dos irmãos, infelizmente,que não se preocupam em observar as Santas Escrituras em oração na comunhão pessoal com o Senhor(Mateus 6.6),colocando a culpa nos seus compromissos pessoais (trabalho,estudo,etc) e negligenciam esse pilar importante da edificação, a Palavra, e por falta de conhecimento que culmina na falta de discernimento,abraçam todo pão levedado que é pregado por aí, por conta disso temos irmãos de 5,10,15 anos de Evangelho que ainda são neófitos tais quais os irmãos de Coríntios que citou o apóstolo Paulo,sendo assim, é muito conveniente para os tais "líderes" essa situação, pois já sabemos que um povo ignorante é mais fácil de manobrar.
Aos amigos e irmãos que tiverem a oportunidade de ler este post do irmão Alex e o meu comentário, deixo-lhes um conselho, vamos voltar ao princípio da Palavra de Deus e desfrutá-la como pão asmo, ou seja, sem fermento, sem mistura, sem contaminação, pura, pois só essa Palavra traz a verdadeira edificação.

Fale comigo!

Gostaria de estabelecer contato com você. Talvez pensemos a respeito dos mesmos assuntos, e o diálogo é sempre bem-vindo e mais que necessário. Meu e-mail é alexesteves.rocha@gmail.com. Você poderá fazer sugestões de artigos, dar idéias para o formato do blog, tecer alguma crítica ou questionamento. Fique à vontade. Embora o blog seja uma coisa pessoal por natureza, gostaria de usar este espaço para conhecer um pouco de quem está do outro lado. Um abraço.

Para pensar:

Um dos terríveis problemas da Igreja evangélica brasileira é a falta de conhecimento da Bíblia como um sistema coerente de princípios, promessas e relatos que apontam para Cristo como Criador, Sustentador e Salvador. Em vez disso, prega-se um "jesus" diminuído, porque criado à imagem de seus idealizadores, e que faz uso de textos bíblicos isolados, como se fossem amuletos, peças mágicas a serem usadas ao bel-talante do indivíduo.

Arquivo do blog

Bases de Fé

Creio:
Em um só Deus e na Trindade.
Na inspiração verbal da Bíblia Sagrada, única regra infalível de fé normativa para a vida e o caráter cristão.
Na concepção virginal de Jesus, em sua morte vicária e expiatória, em sua ressurreição corporal e sua ascensão aos céus.
Na pecaminosidade do homem, e que somente o arrependimento e a fé na obra expiatória e redentora de Jesus Cristo é que pode salvá-lo.
Na necessidade absoluta do novo nascimento pela fé em Cristo e pelo poder atuante do Espírito Santo e da Palavra de Deus, para tornar o homem digno do Reino dos Céus.
No perdão dos pecados, na salvação presente e perfeita e na eterna justificação da alma recebidos gratuitamente de Deus pela fé no sacrifício efetuado por Jesus Cristo em nosso favor.
No batismo bíblico em águas, em nome do Pai, do Filho e do Espírito Santo, conforme determinou o Senhor Jesus Cristo.
Na necessidade e na possibilidade que temos de viver vida santa mediante a obra expiatória e redentora de Jesus, através do poder do Espírito Santo.
No batismo bíblico no Espírito Santo que nos é dado por Deus mediante a intercessão de Cristo.
Na atualidade dos dons espirituais distribuídos pelo Espírito Santo à Igreja para sua edificação, conforme a sua soberana vontade.
Na Segunda Vinda de Cristo.
Que todos os cristãos comparecerão ante o Tribunal de Cristo.
No juízo vindouro que recompensará os fiéis e condenará os infiéis.
E na vida eterna para os fiéis e morte eterna para os infiéis.