domingo, 26 de julho de 2015

Material de apresentação de aula na Escola Dominical (revista da CPAD, Lição 4, 26 de julho de 2015)

A ERA DA INFORMAÇÃO INSTANTÂNEA*

TEXTO DO DIA:
“Bem-aventurado o homem que acha sabedoria, e o
homem que adquire conhecimento” (Pv 3.13).

TEXTO BÍBLICO:
Ex 35.30-35
OBJETIVOS:
EXPLICAR as invenções antes e depois da
Queda;
CONSCIENTIZAR dos males do consumismo
tecnológico;
COMPREENDER que a mídia tem o poder de
manipular as pessoas.

INTRODUÇÃO
Amplo acesso à informação;
Novas tecnologias;
Transformação dos meios de comunicação;
Benefícios e malefícios;
Oportunidade de ampliação do conhecimento;
Excesso de informação;
Qualidade da informação.
Como reagir à era da informação instantânea?

TÓPICOS:
I – As invenções antes e depois da Queda;
II – O consumismo tecnológico;
III – A manipulação midiática da mente;
IV – As redes sociais e os relacionamentos.

I – AS INVENÇÕES ANTES E DEPOIS DA QUEDA.
1.  O  TRABALHO  COMO  FORMA  DE
ADMINISTRAÇÃO DA TERRA.
Mandato cultural (Gn 1.26-28);
O trabalho como instituição divina (Gn 2.15);
Racionalidade e criatividade (Gn 2.19,20);
Provérbios, Eclesiastes (“teologia do trabalho”);
José, Moisés, Daniel, Neemias, Paulo;
Lucas era médico (Cl 4.14);
Paulo, Áquila e Priscila eram fazedores de tendas
(At 18.3).

2. INVENÇÕES QUE AFRONTAM A DEUS.
O homem foi criado em estado de perfeição (Ec 7.29);
Exemplo da Torre de Babel (Gn 11.1-6);
Tudo o que é bom provém do SENHOR (Tg 1.17);
Devemos promover o bem (Gl 6.10).

3. A ARTE DIVINAMENTE INSPIRADA.
Exemplo de Bezalel e Aoliabe;
Tudo para a glória do SENHOR (I Co 10.31).

II. O CONSUMISMO TECNOLÓGICO.
1. A QUASE ILIMITADA CAPACIDADE HUMANA DE PROJETAR INVENÇÕES.
Não há limite para o fazer livros (Ec 12.12);
O conceito de Graça Comum (Mt 5.45).

2.  O  ASSOMBROSO  CRESCIMENTO
TECNOLÓGICO.

A ciência se multiplicará (Dn 12.4).


                                                       AVANÇO DA TECNOLOGIA
Máquina de escrever
Laptops, palmtops, ipads,
 Maior agilidade e eficiência;
aparelhos menores e mais

leves.
Telégrafo 
Internet 
Rapidez na informação
Disquete
Pen-drive
Maior armazenamento de

dados em um espaço menor
Máquina fotográfica com filme
Máquinas digitais 
 Você vê a imagem em tempo
real. Se não gostar pode
deletar e ainda fazer outra

foto.
TV com válvula. 
TV digital, 3D e com comando de voz
Nitidez na imagem e efeitos
especiais.
Ultrassonografia
Ressonância Magnética
Maior precisão nos

diagnósticos médicos
Carta 
E-mail, MSN, Whatsapp 
Maior rapidez de comunicação



3.  O  PERIGO  DO  CONSUMISMO
TECNOLÓGICO.
Gasta-se muito dinheiro com coisas supérfluas
(Is 55.2);
A tecnologia foi criada por causa do homem, e não o homem por causa da tecnologia (cf. Mc 2.27);
Não compre produtos ou serviços tecnológicos para manter aparências.

III. A MANIPULAÇÃO MIDIÁTICA DA MENTE.
1. ANALFABETISMO DIGITAL.
Analfabeto digital e analfabeto funcional;
Ilusão de disseminação do conhecimento;
Exército de consumidores fast food e repetidores de informações;
Pobreza  cognitiva,  intelectual,  ética  e espiritual.

2. O EXCESSO DE INFORMAÇÃO NA ERA DIGITAL.
O que contamina o homem é o que sai do seu próprio coração (Mc 7.18-23);
É necessário controlar os próprios pensamentos (Fp 4.8);
Devemos exercitar o juízo crítico (At 17.11; I Ts 5.21; I Pe 4.7).

3. A MENTALIDADE ATUAL FORMADA PELA MÍDIA.
Aspectos da pós-modernidade;
Interesses político-ideológicos e econômicos;
Crentes e igrejas virtuais;
Diferentes “tribos” evangélicas;
Crentes e pregadores “de ouvido”;
Pregações baseadas na internet;
Pluralidade de vozes dissonantes;
Falsos mestres tomados como sábios.

3. A MENTALIDADE ATUAL FORMADA PELA MÍDIA.
Renovação do entendimento (Rm 12.2);
O parâmetro de Cristo (Ef 4.13);
A sã doutrina (I Tm 6.3; II Tm 1.13).

IV.  AS  REDES  SOCIAIS  E  OS
RELACIONAMENTOS.
1. COMUNICAÇÃO HUMANA.
Princípio gregário (Gn 2.18);
A comunicação decorre da identificação (Gn 2.20-25);
Comunicar-se é relacionar-se (Gn 3.8).

2. COMUNICAÇÃO ANTIGA.
De uma forma ou de outra, o Homem sempre se comunicou;
Meios de comunicação antigos: mensageiros,
cartas, sinais de fumaça...

3. COMUNICAÇÃO ATUAL.
Orkut (extinto), MSN, Facebook, Whatsapp,
Twitter, Telegram, Blogs…
Aproximação ou distanciamento?
Sintomas de mau uso das redes sociais.

CONCLUSÃO.

*Elaborei esse material para ministrar aula na Classe de Jovens da Assembleia de Deus na Pituba. Os tópicos são da própria lição, e o conteúdo tem informações da própria lição e outras que acrescentei.

quinta-feira, 23 de julho de 2015

SOBRE MULHERES QUE NÃO QUEREM TER FILHOS

Vamos a um assunto controvertido: o número crescente de mulheres que não querem ter filhos. A Bíblia tem algo a dizer sobre esse fenômeno social?
Antes, é necessário situar o problema: você, leitor (a), deve conhecer algumas mulheres que não querem gerar filhos. São, em geral, mulheres com um bom nível social e educacional, que constroem um casamento ou união estável, mas não querem gerar filhos tão cedo ou nunca. Motivos? Elas querem aproveitar a vida; acham muito chato acordar no meio da madrugada para acudir uma criança chorosa; não querem a dor ou as cicatrizes do parto; não planejam levar crianças a festinhas infantis; querem viajar, passear, conhecer o mundo, construir uma carreira de sucesso, enfim, ser felizes...
Reconheço que nem todas as pessoas são vocacionadas ao casamento - estas seriam as celibatárias - mas são a minoria. Se alguém se casa, o desejo de não ter filhos é antinatural. O natural é querer filhos. Gerar filhos é uma das maiores realizações de uma pessoa.
Se eu dissesse que algumas pessoas não deveriam mesmo ter filhos, dada a sua falta de devoção à vida paterna/materna, logo veria que todos os motivos para isso poderiam se resumir na palavra "pecado". Assim pensando, uma pessoa egoísta não poderia ter filhos porque só pensa em si mesma; uma pessoa preguiçosa não poderia ter filhos porque não gosta de trabalhar; uma pessoa maligna não deveria ter filhos porque só pensa em produzir o mal...
No entanto, como o pecado é uma coisa a ser repudiada no procedimento humano, ainda que, em determinados casos, entendêssemos que certas pessoas não estariam preparadas para a geração de filhos, tratar-se-ia de situações excepcionais e não recomendadas como paradigma.
O mesmo movimento feminista que "despertou" a mulher para a suposta dispensabilidade do marido conduziu-a ao entendimento de que filhos também seriam dispensáveis. 
A Bíblia diz, entre outras numerosas passagens sobre a família, que "os filhos são herança do Senhor" (Sl 127.3), e que a mulher deve cumprir a "missão de mãe" (I Tm 2.15).
Terá sido machismo de Paulo o afirmar que existe uma missão de mãe? Se é de machismo que se cuida, então essa passagem não foi divinamente inspirada (Deus é machista?). E, se essa passagem não foi divinamente inspirada, logo poderíamos afirmar que algumas passagens bíblicas seriam fruto de pressuposições culturais e circunstâncias históricas... Mas é isso o que diz a "Teologia Gay", e, num contexto ampliado, o Liberalismo Teológico!
A missão de mãe existe, tem origem divina e alto valor histórico e social. A educação e a preparação para a vida passam, em grande medida, pelos conselhos e cuidados de u'a mãe zelosa.
Não querer filhos é o contrário da vocação da mulher, é a negação da natureza, é um verdadeiro contrassenso, é um dos frutos do egoísmo (sempre decorrente do Pecado Original).
Pobre da nação que já não tem prazer em gerar filhos: sofrerá com o enfraquecimento de sua cultura, com a queda da população economicamente ativa, com o aumento exponencial de idosos desamparados, com dificuldades econômicas relacionadas a sistemas de saúde e previdência, com a necessária importação de enormes levas de imigrantes nem sempre preocupados com os fundamentos histórico-culturais do país.
Dou graças a Deus porque tenho mãe, que cumpriu sua missão com maestria. Dou graças a Deus porque minha esposa é u'a mãe exemplar, dedicada, firme, inteligente, amorosa. Dou graças a Deus porque temos três filhos.
Nesses tempos difíceis, alguns crentes pensam que os maiores desafios são impostos pela ideologia de gênero e outras bandeiras da agenda gay... Mas há variados problemas que esses tempos difíceis têm introduzido em nossas próprias casas e igrejas, enquanto achamos tudo muito normal.




terça-feira, 21 de julho de 2015

AS FINANÇAS E O RELACIONAMENTO

Palestra que proferi no Seminário da Família, da Assembleia de Deus na Pituba (2015)1


I. INTRODUÇÃO.
Por que tratar de finanças num Seminário sobre a Família?
  • Porque a administração de finanças é parte importante da vida conjugal e familiar;
  • Porque muitos casamentos são prejudicados por problemas relacionados às finanças;
  • Porque o povo brasileiro tem dificuldade com a administração de finanças;
  • Porque problemas financeiros podem exigir compromissos e sacrifícios em conjunto.

II. ASPECTOS BÍBLICOS.
Algumas passagens bíblicas pertinentes:
  • Gn 1.26-28 (mandato cultural):
26 Também disse Deus: Façamos o homem à nossa imagem, conforme a nossa semelhança; tenha ele domínio sobre os peixes do mar, sobre as aves dos céus, sobre os animais domésticos, sobre toda a terra e sobre todos os répteis que rastejam pela terra. 27 Criou Deus, pois, o homem à sua imagem, à imagem de Deus o criou; homem e mulher os criou28 E Deus os abençoou e lhes disse: Sede fecundos, multiplicai-vos, enchei a terra e sujeitai-a; dominai sobre os peixes do mar, sobre as aves dos céus e sobre todo animal que rasteja pela terra.


  • Sl 115.16 (mordomia):
16 Os céus são os céus do SENHOR, mas a terra, deu-a ele aos filhos dos homens.
  • Pv 13.11 (a riqueza fácil e os bens oriundos do trabalho):
11 Os bens que facilmente se ganham, esses diminuem, mas o que ajunta à força do trabalho terá aumento.
  • Pv 15.17; 17.1 (vida modesta, mas com alegria e paz):
17 Melhor é um prato de hortaliças onde há amor do que o boi cevado e, com ele, o ódio.
1 Melhor é um bocado seco e tranqüilidade do que a casa farta de carnes e contendas.
  • Pv 14.1; 19.14 (o valor da esposa sábia e prudente):
1 A mulher sábia edifica a sua casa, mas a insensata, com as próprias mãos, a derriba.
14 A casa e os bens vêm como herança dos pais; mas do SENHOR, a esposa prudente.
  • Pv 22.1 (o valor do bom nome):
1 Mais vale o bom nome do que as muitas riquezas; e o ser estimado é melhor do que a prata e o ouro.
  • Pv 31.10-31 (a mulher virtuosa é uma administradora prudente, capaz e plenamente confiável): leia em sua Bíblia.
  • I Tm 6.6-10 (piedade com contentamento):
6 De fato, grande fonte de lucro é a piedade com o contentamento.
7 Porque nada temos trazido para o mundo, nem coisa alguma podemos levar dele.
8 Tendo sustento e com que nos vestir, estejamos contentes.
9 Ora, os que querem ficar ricos caem em tentação, e cilada, e em muitas concupiscências insensatas e perniciosas, as quais afogam os homens na ruína e perdição.
10 Porque o amor do dinheiro é raiz de todos os males; e alguns, nessa cobiça, se desviaram da fé e a si mesmos se atormentaram com muitas dores.

O planejamento financeiro é medida prudente:
    Pois qual de vós, querendo edificar uma torre, não se assenta primeiro a fazer as contas dos gastos, para ver se tem com que a acabar? Para que não aconteça que, depois de haver posto os alicerces, e não a podendo acabar, todos os que a virem comecem a escarnecer dele, dizendo: Este homem começou a edificar e não pôde acabar.” (Lc 14.28-30).

III. ASPECTOS PRÁTICOS.
O que é planejamento financeiro:
Planejamento financeiro é um processo racional de administrar sua renda, seus investimentos, suas despesas, seu patrimônio, suas dívidas, objetivando tornar realidade seus sonhos, desejos e objetivos”.

Receita:
  • Salário mensal (incluindo abono de férias, 13º, restituição do imposto de renda).
  • Renda variável (calcule os meses bons e ruins; pense em clientes bons e maus pagadores).

Despesas:

  • Fixas (financiamentos, escola, condomínio etc.);
  • Variáveis (água, luz, telefone, supermercado, combustível);
  • Temporárias (contas parceladas, seguro de carro, IPVA, livros dos filhos);
  • Extraordinárias (sinistro, remédio, festas, viagens, presentes).


DESPESAS
EFEITOS FINANCEIROS

Nível
de
comprometimento
da renda
Até 30%
Parcela administrável
Entre 30% e 35%
Importante trabalhar para reduzir as dívidas.
Entre 35% e 40%
Corre-se o risco de inadimplência e problemas em caso de emergências.

Algumas sugestões objetivas:
  • Não vida de aparências;
  • Não gaste mais do que tem;
  • Separe o dízimo;
  • Classifique suas despesas (fixas, variáveis e temporárias);
  • Faça anotações dos gastos fixos mensalmente;
  • Faça um balanço doméstico periódico (sugere-se a cada trimestre);
  • Não conte com dinheiro que ainda não tem;
  • Não comprometa mais do que 30% de sua renda com empréstimos ou crediário;
  • Estabeleça metas (adquirir um bem móvel ou imóvel, uma viagem, uma festa);
  • Faça reservas em investimentos de curto prazo (Poupança, CDB e outros);
  • Fuja da agiotagem;
  • Fuja (correndo) de propostas de ganho fácil, como pirâmides financeiras;
  • Busque substituir taxas de juros maiores por taxas menores;
  • Negocie dívidas e prazos;
  • Cuidado com a redução da parcela com aumento de prazo, o que pode significar aumento do saldo devedor;
  • Venda casada” nos bancos (seguros, títulos de capitalização).
  • Empréstimo consignado (observar cobrança de taxa administrativa s e prazos);
  • Nas compras coletivas (Peixe Urbano, Grupom...) veja as regras da promoção e compare os preços com os do mercado antes de comprar;
  • Pesquise preços antes de comprar;
  • Fique atento (a) às taxas de juros, promoções e parcelamentos;
  • Controle o uso do cartão de crédito;
  • Fique atento (a) ao uso de cheque especial.

Sugestão específica para os esposos:
  • Reconheçam o papel da mulher como auxiliadora idônea.

Sugestão específica para as esposas:
  • Reconheçam o papel de liderança conferido por Deus ao homem.

Cuidados no uso do Cartão de crédito:
  • Evite o pagamento mínimo;
  • Evite compras para outra pessoa;
  • Negocie a taxa de anuidade;
  • Cuidado com contas parceladas (“Casas Bahia”).

Pense em situações em que pode haver economia:
  • Taxas e juros por atrasos;
  • Consumo elevado de energia elétrica;
  • Pagamento à vista;
  • Pagamento antecipado somente com desconto dos juros já embutidos no preço.

O que fazer para se livrar das dívidas:
  • Mapeie as dívidas;
  • Avalie a capacidade de pagamento;
  • Pesquise melhores ofertas de crédito;
  • Negocie as dívidas (sempre das maiores para as menores);
  • Cumpra o que for acordado;
  • Organize o orçamento.

Algumas taxas de juros praticadas no mercado2:
  • Cartão de crédito – Entre 9% a 18% a.m. (ao mês);
  • Cheque especial – Entre 8% a 15% a.m.;
  • Empréstimo pessoal – Entre 5% a 20% a.m.;
  • Empréstimo consignado – Entre 1.70% a 5% a.m.

Sugestões para as compras no supermercado:
  • Faça a sua lista de compras;
  • Não faça compras com fome;
  • Prefira os dias de promoção;
  • Cuidado com falsas promoções;
  • Calcule o preço por unidade;
  • Procure supermercados com os melhores preços.

Modelo de lista de compras:









Modelo de orçamento doméstico:
1 Material elaborado a partir do conteúdo fornecido pela Coordenação do Seminário da Família na ADESAL, além da contribuição valiosa da economista GILZA CHERVINSKI, membro da Igreja Batista Metropolitana.

2 O leitor deve verificar a atualização dos dados.

Fale comigo!

Gostaria de estabelecer contato com você. Talvez pensemos a respeito dos mesmos assuntos, e o diálogo é sempre bem-vindo e mais que necessário. Meu e-mail é alexesteves.rocha@gmail.com. Você poderá fazer sugestões de artigos, dar idéias para o formato do blog, tecer alguma crítica ou questionamento. Fique à vontade. Embora o blog seja uma coisa pessoal por natureza, gostaria de usar este espaço para conhecer um pouco de quem está do outro lado. Um abraço.

Para pensar:

Um dos terríveis problemas da Igreja evangélica brasileira é a falta de conhecimento da Bíblia como um sistema coerente de princípios, promessas e relatos que apontam para Cristo como Criador, Sustentador e Salvador. Em vez disso, prega-se um "jesus" diminuído, porque criado à imagem de seus idealizadores, e que faz uso de textos bíblicos isolados, como se fossem amuletos, peças mágicas a serem usadas ao bel-talante do indivíduo.

Arquivo do blog

Bases de Fé

Creio:
Em um só Deus e na Trindade.
Na inspiração verbal da Bíblia Sagrada, única regra infalível de fé normativa para a vida e o caráter cristão.
Na concepção virginal de Jesus, em sua morte vicária e expiatória, em sua ressurreição corporal e sua ascensão aos céus.
Na pecaminosidade do homem, e que somente o arrependimento e a fé na obra expiatória e redentora de Jesus Cristo é que pode salvá-lo.
Na necessidade absoluta do novo nascimento pela fé em Cristo e pelo poder atuante do Espírito Santo e da Palavra de Deus, para tornar o homem digno do Reino dos Céus.
No perdão dos pecados, na salvação presente e perfeita e na eterna justificação da alma recebidos gratuitamente de Deus pela fé no sacrifício efetuado por Jesus Cristo em nosso favor.
No batismo bíblico em águas, em nome do Pai, do Filho e do Espírito Santo, conforme determinou o Senhor Jesus Cristo.
Na necessidade e na possibilidade que temos de viver vida santa mediante a obra expiatória e redentora de Jesus, através do poder do Espírito Santo.
No batismo bíblico no Espírito Santo que nos é dado por Deus mediante a intercessão de Cristo.
Na atualidade dos dons espirituais distribuídos pelo Espírito Santo à Igreja para sua edificação, conforme a sua soberana vontade.
Na Segunda Vinda de Cristo.
Que todos os cristãos comparecerão ante o Tribunal de Cristo.
No juízo vindouro que recompensará os fiéis e condenará os infiéis.
E na vida eterna para os fiéis e morte eterna para os infiéis.