quarta-feira, 11 de agosto de 2010

Se estivéssemos num país sério...

Assisti há poucos minutos ao vídeo em que o presidente Lula se mostra preocupado com o prejuízo eleitoral, e o governador Sérgio Cabral chama de "otário" e "sacana" um jovem que fazia algumas reclamações.
Assistido, até aquele momento, por 428.428 pessoas, o vídeo postado por Ricardo Gama no youtube mostra algumas incongruências da dupla Lula/Cabral:
Diante do rapaz que pede a possibilidade de jogar tênis no complexo poliesportivo de sua comunidade, Lula diz que "tênis é esporte de burguês". O que é isso, companheiro? Que discriminação com os tenistas e com os aspirantes a tenistas! Quer dizer que os nossos jovens de baixa renda só podem sonhar em jogar futebol, ou, como diz o Lula, fazer natação? Quem disse que a sociedade deve estar dividida em grupos e seus nichos, como se não pudesse haver igualdade de oportunidades? Se o tênis tem sido um esporte mais procurado e acessado por pessoas de alta renda, não se trata de uma pecha de "esporte de burguês", mas de uma situação histórica que pode ser alterada com políticas públicas.
Ouvir o Lula falar em coisas de burguês é curioso porque ele governa amparado na burguesia que ele tanto ofendeu no passado. Seu discurso diante do jovem Leandro é uma daquelas relíquias de um passado supostamente socialista do político Lula.
Quando ouviu do rapaz que não dava para nadar no complexo esportivo nos finais de semana porque o mesmo se encontrava fechado, Lula deu uma bronca em alguém, dizendo que o custo político desse fato seria muito maior do que colocar duas pessoas para tomar conta do lugar. Sua preocupação não era com o programa de lazer para jovens carentes de uma comunidade pobre (favela do Rio), mas, sim, com os votos que poderiam ser perdidos.
Já o Sérgio Cabral conseguiu se sair pior, afirmando que o jovem fazia "discurso de otário", por sua reclamação contra a presença do Caveirão, e que ele, a quem chamou de "sacana", deveria estudar. Sim, ele deve estudar, mas não deve ser chamado assim por ninguém, muito menos pelo governador de seu Estado.
Se estivéssemos num país sério, o que aconteceria com Lula e Sérgio Cabral? Isso não é grave? Um governador xingar um rapaz não é grave? Um presidente preocupado apenas com prejuízo eleitoral não é grave?

Um comentário:

Anônimo disse...

Não vejo nada de mais neste vídeo, um ar de descontração e gírias cariocas entre um "CARA" conhecido mundialmente e um "menino" que está ali para alfinetar Cabral. Cabral é esperto e sacou logo que a do "menino" era "sacanear" o seu governo.

Fale comigo!

Gostaria de estabelecer contato com você. Talvez pensemos a respeito dos mesmos assuntos, e o diálogo é sempre bem-vindo e mais que necessário. Meu e-mail é alexesteves.rocha@gmail.com. Você poderá fazer sugestões de artigos, dar idéias para o formato do blog, tecer alguma crítica ou questionamento. Fique à vontade. Embora o blog seja uma coisa pessoal por natureza, gostaria de usar este espaço para conhecer um pouco de quem está do outro lado. Um abraço.

Para pensar:

Um dos terríveis problemas da Igreja evangélica brasileira é a falta de conhecimento da Bíblia como um sistema coerente de princípios, promessas e relatos que apontam para Cristo como Criador, Sustentador e Salvador. Em vez disso, prega-se um "jesus" diminuído, porque criado à imagem de seus idealizadores, e que faz uso de textos bíblicos isolados, como se fossem amuletos, peças mágicas a serem usadas ao bel-talante do indivíduo.

Arquivo do blog

Bases de Fé

Creio:
Em um só Deus e na Trindade.
Na inspiração verbal da Bíblia Sagrada, única regra infalível de fé normativa para a vida e o caráter cristão.
Na concepção virginal de Jesus, em sua morte vicária e expiatória, em sua ressurreição corporal e sua ascensão aos céus.
Na pecaminosidade do homem, e que somente o arrependimento e a fé na obra expiatória e redentora de Jesus Cristo é que pode salvá-lo.
Na necessidade absoluta do novo nascimento pela fé em Cristo e pelo poder atuante do Espírito Santo e da Palavra de Deus, para tornar o homem digno do Reino dos Céus.
No perdão dos pecados, na salvação presente e perfeita e na eterna justificação da alma recebidos gratuitamente de Deus pela fé no sacrifício efetuado por Jesus Cristo em nosso favor.
No batismo bíblico em águas, em nome do Pai, do Filho e do Espírito Santo, conforme determinou o Senhor Jesus Cristo.
Na necessidade e na possibilidade que temos de viver vida santa mediante a obra expiatória e redentora de Jesus, através do poder do Espírito Santo.
No batismo bíblico no Espírito Santo que nos é dado por Deus mediante a intercessão de Cristo.
Na atualidade dos dons espirituais distribuídos pelo Espírito Santo à Igreja para sua edificação, conforme a sua soberana vontade.
Na Segunda Vinda de Cristo.
Que todos os cristãos comparecerão ante o Tribunal de Cristo.
No juízo vindouro que recompensará os fiéis e condenará os infiéis.
E na vida eterna para os fiéis e morte eterna para os infiéis.