domingo, 19 de setembro de 2010

A mensagem do Pr. Paschoal Piragine

Circula na internet um vídeo em que o Pr. Paschoal Piragine, da Primeira Igreja Batista de Curitiba, fala sobre sua adesão ao movimento cristão contra a iniquidade, cuja preocupação central é o combate a projetos de lei que poderão sair vitoriosos nestas eleições gerais de 2010.
Trata-se, por exemplo, do PLC 122/06 - chamado de "lei da mordaça" -, que busca criminalizar a conduta de crítica ao homossexualismo, e de outros projetos e tendências, como a legalização do aborto, a união civil entre pessoas do mesmo sexo, o infanticídio em tribos indígenas, o apoio ao divórcio. Um vídeo apresentado na palestra do pastor Piragine mostra, além disso, comportamentos como a pornografia, a pedofilia e a violência familiar na condição de fatos frequentes em nossa sociedade.
O pastor cita especificamente o Partido dos Trabalhadores (PT) como aquele que "fechou questão sobre essas questões" e que expulsa filiados que votam contra "qualquer uma dessas leis". Cita ainda o Programa Nacional de Direitos Humanos III, já aprovado pelo governo petista, o qual menciona assuntos insertos no vídeo acima referido.
Tenho uma série de coisas a dizer sobre isso: primeiro, é legítimo o posicionamento de cristãos sobre temas políticos os mais diversos, e não apenas os de cunho sexual, familiar ou que toquem em valores como a vida, a fé e a liberdade.
Segundo, iniquidade não é só aborto, homossexualismo, divórcio por qualquer motivo, pornografia, pedofilia e violência doméstica, mas também injustiça social, corrupção, manipulação de mentes e confusão entre o público e o privado.
Embora pense assim, não vou atacar os irmãos que, como o pastor Piragine, levantam a sua voz política somente quanto a temas ligados à pauta evangélica, pois, para todos os demais assuntos, existem partidos políticos. Quanto a assuntos remanescentes da moral e da ética cristã, quem falará senão a Igreja?
Discordo de algumas nuances desse movimento, e penso na laicidade do Estado como um aspecto que não se pode olvidar. Por exemplo, no que concerne ao casamento gay, sou totalmente contrário - assim como, espero eu, a totalidade dos evangélicos -, pois casamento é uma palavra e um conceito empregado para pessoas de sexos opostos. Entretanto, tenho me inclinado a pensar que, se o Estado é laico, e se duas pessoas, do mesmo sexo ou não, com interesse sexual ou não, constroem uma vida em comum, com investimento de dinheiro e planejamento de vida, é necessário que se lhes assegurem direitos pelo Estado (sucessórios, previdenciários, obrigacionais). Mas isso não significa que eu aceite a agenda homossexual nem que eu concorde com eles em seu estilo de vida. É apenas o reconhecimento de sociedades que de fato existem.
Todos os temas de interesse da Igreja devem ser tratados com argumentos metarreligiosos, pois só assim a sociedade nos ouvirá. Não adianta dizermos que isso ou aquilo não é bíblico. Precisamos mostrar, por exemplo, que o PLC  122/06 fere as liberdades de crença, consciência, expressão e religião; que o aborto é verdadeiro assassinato, porque, in dubio quanto ao começo da vida, deve-se pender para o menor risco à vida do indivíduo; que o infanticídio em tribos indígenas fere direitos fundamentais da pessoa humana, aqueles que nenhuma cultura deve desprezar. Não podemos usar argumentos exclusivamente religiosos, pois ao mundo isso não importa, e é na sociedade que esses temas são debatidos.
De toda maneira, aprecio enormemente que um pastor com trinta anos de ministério use a internet para falar umas verdades de que o Brasil precisa saber. O PT constitui, sim, um problema sério, não somente nessa seara da "moralidade cristã", mas em variados setores, como a liberdade de imprensa, a legalidade, a normalidade das instituições, os bons costumes políticos e a compra de consciências.
No próximo post, vou tratar de um pronunciamento da Aliança de Batistas do Brasil sobre esse movimento que surge contra a iniquidade.


2 comentários:

www.gloriosojesusblogger disse...

Obrigada pela a oportunidade de conhecimento,que possamos ter consciência no momento de votar.

João Armando disse...

Eu fui um dos que divulgou o máximo possível o pronunciamento do pastor (que foi o pastor da minha falecida irmã, e a quem conheci pessoalmente). Sempre me preocupa quando um líder eclesiástico se posiciona tão abertamente, pois, sabe-se lá, pode haver outros interesses. Também me preocupa o conceito de iniquidade, que ele restringiu às questões de moral. Sabemos que o DEM e o PSDB não foram lá mui santos, quando no poder. Iniquidade inclui falcatruas em licitações, em privatizações etc. Mas, como o pastor bem falou, nenhum partido político fechou questão sobre a corrupção, por motivos óbvios - mas o PT fechou, sim, questão com respeito ao homossexualismo, ao aborto etc. No geral, gostei do texto e, como disse, repassei bastante.

Fale comigo!

Gostaria de estabelecer contato com você. Talvez pensemos a respeito dos mesmos assuntos, e o diálogo é sempre bem-vindo e mais que necessário. Meu e-mail é alexesteves.rocha@gmail.com. Você poderá fazer sugestões de artigos, dar idéias para o formato do blog, tecer alguma crítica ou questionamento. Fique à vontade. Embora o blog seja uma coisa pessoal por natureza, gostaria de usar este espaço para conhecer um pouco de quem está do outro lado. Um abraço.

Para pensar:

Um dos terríveis problemas da Igreja evangélica brasileira é a falta de conhecimento da Bíblia como um sistema coerente de princípios, promessas e relatos que apontam para Cristo como Criador, Sustentador e Salvador. Em vez disso, prega-se um "jesus" diminuído, porque criado à imagem de seus idealizadores, e que faz uso de textos bíblicos isolados, como se fossem amuletos, peças mágicas a serem usadas ao bel-talante do indivíduo.

Arquivo do blog

Bases de Fé

Creio:
Em um só Deus e na Trindade.
Na inspiração verbal da Bíblia Sagrada, única regra infalível de fé normativa para a vida e o caráter cristão.
Na concepção virginal de Jesus, em sua morte vicária e expiatória, em sua ressurreição corporal e sua ascensão aos céus.
Na pecaminosidade do homem, e que somente o arrependimento e a fé na obra expiatória e redentora de Jesus Cristo é que pode salvá-lo.
Na necessidade absoluta do novo nascimento pela fé em Cristo e pelo poder atuante do Espírito Santo e da Palavra de Deus, para tornar o homem digno do Reino dos Céus.
No perdão dos pecados, na salvação presente e perfeita e na eterna justificação da alma recebidos gratuitamente de Deus pela fé no sacrifício efetuado por Jesus Cristo em nosso favor.
No batismo bíblico em águas, em nome do Pai, do Filho e do Espírito Santo, conforme determinou o Senhor Jesus Cristo.
Na necessidade e na possibilidade que temos de viver vida santa mediante a obra expiatória e redentora de Jesus, através do poder do Espírito Santo.
No batismo bíblico no Espírito Santo que nos é dado por Deus mediante a intercessão de Cristo.
Na atualidade dos dons espirituais distribuídos pelo Espírito Santo à Igreja para sua edificação, conforme a sua soberana vontade.
Na Segunda Vinda de Cristo.
Que todos os cristãos comparecerão ante o Tribunal de Cristo.
No juízo vindouro que recompensará os fiéis e condenará os infiéis.
E na vida eterna para os fiéis e morte eterna para os infiéis.