sábado, 9 de maio de 2015

O futuro regime do politicamente correto

No futuro, num regime politicamente correto, todas as pessoas serão iguais na boniteza, no carisma, na capacidade de comunicação, nas artes manuais, nos jogos de azar, nas artes marciais, na compleição física, na leitura dos Clássicos...
Desde a infância as pessoas serão religiosamente ensinadas que o mérito é apenas uma invenção burguesa. Não haverá competições nas escolas, porque será proibido ganhar do coleguinha. E serão extirpados dos colégios os dias comemorativos dos pais e das mães, para não haver constrangimento à criança cujos pais estão separados e não conseguem conversar nem sobre a guarda de filhos.
Todos terão direito à felicidade, a elogios, a promoções, a participações empresariais, a um carro do ano, a uma casa com piscina, a uma viagem bacana. O supérfluo será um direito fundamental constitucionalmente reconhecido.
As mulheres, todas elas, terão direito a ouvir aquelas frases generosas do pessoal da construção civil, e a pelo menos uma vitória em concurso de beleza. Será proibido o poema "Receita de Mulher", de Vinicius de Moraes - aquele em que o poetinha pede desculpas às feias, porque "beleza é fundamental".
Piadas deverão passar previamente pelo Controle Social e Democrático de Anedotas, a fim de não se ofenderem os acima do peso, os abaixo do peso, os homoafetivos, as pessoas com o crânio levemente avantajado e achatado, os portadores de nariz de comprimento superior ao nariz mediano...
As redes sociais serão monitoradas para que governos defensores do Bem, do Belo e do Justo não venham a ser achincalhados por coxinhas reacionários e fundamentalistas da elite branca paulista.
A Bíblia deverá ser lida e mencionada em lugares fechados, sem tentativa de evangelização, e sem discriminar as pessoas com palavras torpes como "pecador", "ímpio", "iníquo", "incrédulo", exceto se, nesses espaços reservados, a própria pessoa aceitar, no gozo de sua  liberdade, esses adjetivos dantescos.
Aquelas histórias bíblicas que registram guerras, assassinato, incesto, julgamento divino, regime patriarcal e opressão social deverão vir acompanhadas de notas explicativas sobre tudo o que o leitor precisa saber sobre temas universais, como sexismo, luta de classes, acumulação de riquezas, imperialismo, identidade de gênero e valor inerente ao Ser Humano, independentemente do credo em um deus. E ficará claro que o deus monoteísta é somente mais um entre tantos possíveis.
Os pastores não poderão dizer em público que homossexualismo (ops! "homossexualidade") é pecado, senão apenas em recinto fechado. O mesmo para aborto, eutanásia, divórcio, relações sexuais antes ou fora do casamento e outras práticas que ninguém será compelido a condenar se a lei não o fizer primeiro.
Nesse futuro totalitário em favor da Bondade e da Harmonia entre todas as pessoas, serão punidos aqueles que não se conformarem à Verdade Suprema do Plural, do Relativo e do Subjetivo. A morte será uma opção àqueles que, recusando-se a tudo o que é bom, preferirem a desumanização.

Nenhum comentário:

Fale comigo!

Gostaria de estabelecer contato com você. Talvez pensemos a respeito dos mesmos assuntos, e o diálogo é sempre bem-vindo e mais que necessário. Meu e-mail é alexesteves.rocha@gmail.com. Você poderá fazer sugestões de artigos, dar idéias para o formato do blog, tecer alguma crítica ou questionamento. Fique à vontade. Embora o blog seja uma coisa pessoal por natureza, gostaria de usar este espaço para conhecer um pouco de quem está do outro lado. Um abraço.

Para pensar:

Um dos terríveis problemas da Igreja evangélica brasileira é a falta de conhecimento da Bíblia como um sistema coerente de princípios, promessas e relatos que apontam para Cristo como Criador, Sustentador e Salvador. Em vez disso, prega-se um "jesus" diminuído, porque criado à imagem de seus idealizadores, e que faz uso de textos bíblicos isolados, como se fossem amuletos, peças mágicas a serem usadas ao bel-talante do indivíduo.

Arquivo do blog

Bases de Fé

Creio:
Em um só Deus e na Trindade.
Na inspiração verbal da Bíblia Sagrada, única regra infalível de fé normativa para a vida e o caráter cristão.
Na concepção virginal de Jesus, em sua morte vicária e expiatória, em sua ressurreição corporal e sua ascensão aos céus.
Na pecaminosidade do homem, e que somente o arrependimento e a fé na obra expiatória e redentora de Jesus Cristo é que pode salvá-lo.
Na necessidade absoluta do novo nascimento pela fé em Cristo e pelo poder atuante do Espírito Santo e da Palavra de Deus, para tornar o homem digno do Reino dos Céus.
No perdão dos pecados, na salvação presente e perfeita e na eterna justificação da alma recebidos gratuitamente de Deus pela fé no sacrifício efetuado por Jesus Cristo em nosso favor.
No batismo bíblico em águas, em nome do Pai, do Filho e do Espírito Santo, conforme determinou o Senhor Jesus Cristo.
Na necessidade e na possibilidade que temos de viver vida santa mediante a obra expiatória e redentora de Jesus, através do poder do Espírito Santo.
No batismo bíblico no Espírito Santo que nos é dado por Deus mediante a intercessão de Cristo.
Na atualidade dos dons espirituais distribuídos pelo Espírito Santo à Igreja para sua edificação, conforme a sua soberana vontade.
Na Segunda Vinda de Cristo.
Que todos os cristãos comparecerão ante o Tribunal de Cristo.
No juízo vindouro que recompensará os fiéis e condenará os infiéis.
E na vida eterna para os fiéis e morte eterna para os infiéis.