sábado, 30 de maio de 2015

Compadecer-se dos pobres

"O pobre é odiado até do vizinho, mas o rico tem muitos amigos. O que despreza ao seu vizinho peca, mas o que se compadece dos pobres é feliz" (Pv 14.20,21).

A Bíblia tem inúmeras passagens a respeito da compaixão, amor e justiça em favor dos pobres, tanto no Antigo como no Novo Testamento. O trecho de Pv 14.20,21, acima transcrito, é um desses muitos exemplos.
Compadecer-se dos pobres é uma virtude bíblica e cristã. O Conservadorismo Moral e Político também destaca o socorro voluntário aos pobres como algo necessário e valioso.
A esquerda (socialista, comunista, social-democrata) tem propalado a falsa noção de que somente os "progressistas" pensam no bem das pessoas menos favorecidas... Isso é bobagem e engodo.
A chamada "esquerda caviar" (radical chic, liberal limusine, gauche caviar) promove a si mesma como amiga dos pobres, mas quer que o Estado cresça e cuide deles, com uma visão distorcida do valor do trabalho, do direito de propriedade, da liberdade individual, das leis de mercado. E não é incomum ver esses esquerdistas de boutique enchendo as burras de dinheiro em nome da causa, desfrutando de tudo o que o capitalismo pode oferecer, enquanto falam mal dele e deixam de cumprimentar o porteiro do prédio e a diarista que moram na "comunidade".
Compadecer-se do pobre não é fazer da pobreza uma categoria social estática, uma bandeira política, uma plataforma eleitoral. Compadecer-se do pobre é ajudá-lo materialmente quando ele realmente necessita, e orientá-lo, se possível, a buscar uma vida melhor por meio do trabalho ou de algum benefício social ofertado àqueles incapacitados à atividade produtiva.
A Igreja cumpre um papel relevante na assistência aos pobres, embora sua missão primordial seja a evangelização. Igrejas não são organizações filantrópicas, mas podem criar entidades com esse fim ou exercer a responsabilidade social de muitas outras maneiras. É isso o que se tem visto em todo o mundo, onde existem igrejas cristãs.
Agora leia novamente Pv 14.21,22: não vês ali aqueles socialistas verborrágicos que se julgam defensores dos pobres, mas que nunca chegaram perto (mesmo) de um pobre de verdade? Não vês ali aqueles "burguesinhos" nascidos em berço esplêndido, mas que se vestem de revoltados nas ruas em favor de causas supostamente progressistas? 
Ora, o mundo está repleto de gente que despreza o vizinho pobre, bajula os ricos em mesas abastadas e depois vêm com aquela empulhação em nome do Bom, do Belo e do Justo. Não são apenas os conservadores que se chateiam com isso! Deus - e é o que se deduz de sua própria Palavra - anda chateado com essas besteiras.

Nenhum comentário:

Fale comigo!

Gostaria de estabelecer contato com você. Talvez pensemos a respeito dos mesmos assuntos, e o diálogo é sempre bem-vindo e mais que necessário. Meu e-mail é alexesteves.rocha@gmail.com. Você poderá fazer sugestões de artigos, dar idéias para o formato do blog, tecer alguma crítica ou questionamento. Fique à vontade. Embora o blog seja uma coisa pessoal por natureza, gostaria de usar este espaço para conhecer um pouco de quem está do outro lado. Um abraço.

Para pensar:

Um dos terríveis problemas da Igreja evangélica brasileira é a falta de conhecimento da Bíblia como um sistema coerente de princípios, promessas e relatos que apontam para Cristo como Criador, Sustentador e Salvador. Em vez disso, prega-se um "jesus" diminuído, porque criado à imagem de seus idealizadores, e que faz uso de textos bíblicos isolados, como se fossem amuletos, peças mágicas a serem usadas ao bel-talante do indivíduo.

Arquivo do blog

Bases de Fé

Creio:
Em um só Deus e na Trindade.
Na inspiração verbal da Bíblia Sagrada, única regra infalível de fé normativa para a vida e o caráter cristão.
Na concepção virginal de Jesus, em sua morte vicária e expiatória, em sua ressurreição corporal e sua ascensão aos céus.
Na pecaminosidade do homem, e que somente o arrependimento e a fé na obra expiatória e redentora de Jesus Cristo é que pode salvá-lo.
Na necessidade absoluta do novo nascimento pela fé em Cristo e pelo poder atuante do Espírito Santo e da Palavra de Deus, para tornar o homem digno do Reino dos Céus.
No perdão dos pecados, na salvação presente e perfeita e na eterna justificação da alma recebidos gratuitamente de Deus pela fé no sacrifício efetuado por Jesus Cristo em nosso favor.
No batismo bíblico em águas, em nome do Pai, do Filho e do Espírito Santo, conforme determinou o Senhor Jesus Cristo.
Na necessidade e na possibilidade que temos de viver vida santa mediante a obra expiatória e redentora de Jesus, através do poder do Espírito Santo.
No batismo bíblico no Espírito Santo que nos é dado por Deus mediante a intercessão de Cristo.
Na atualidade dos dons espirituais distribuídos pelo Espírito Santo à Igreja para sua edificação, conforme a sua soberana vontade.
Na Segunda Vinda de Cristo.
Que todos os cristãos comparecerão ante o Tribunal de Cristo.
No juízo vindouro que recompensará os fiéis e condenará os infiéis.
E na vida eterna para os fiéis e morte eterna para os infiéis.