sexta-feira, 6 de novembro de 2009

Conversando com adolescentes

A irmã que cuida de adolescentes em minha igreja me convidou para dar um estudo sobre o chamado (vocação). Dei o estudo, eles gostaram, e eu também. Depois, dei mais um estudo em que o tema deveria ser "evangelização", e optei por falar sobre a Queda, partindo do princípio de que para anunciar o Evangelho nós precisamos conhecê-lo de verdade. A Queda é um conceito fundamental para quem se aproxima da Bíblia. Talvez devesse começar pela Criação, mas comecei pela Queda. Na quarta-feira seguinte (04/11), fui lá de novo, e falei sobre o pecado. Tenho procurado falar sobre os fundamentos da Fé Cristã.
Os adolescentes são muito vivos, perspicazes. Eles têm o raciocínio rápido, memorizam muito do que a gente fala, e conseguem fazer interpretação de texto melhor do que a média dos irmãos de gerações precedentes - pelo menos essa é a impressão que fica, sem caráter científico...
Não é a primeira vez que me dirijo a adolescentes. Parece que eles gostam de mim, embora eu seja uma pessoa considerada formal. Bem, na Assembleia de Deus a gente usa a gravata até para falar a adolescentes, mas minha formalidade está mais nas palavras do que no figurino.
De toda sorte, tem sido muito bom esse aprendizado com meus amigos adolescentes. Quero continuar falando sobre o tema do pecado, mas abordando outros textos bíblicos, avançando na conscientização do conceito de pecado para que eles vão se distanciando daqueles conceitos limitados que muitos ainda mantém e dos conceitos preconceituosos que o senso comum espalha. Refletir sobre a Queda e o pecado é uma coisa necessária para quem vai evangelizar. Como iremos anunciar o remédio se não conhecemos direito os males da doença? Na verdade, conhecemos na prática os males do pecado - nós que somos pecadores - mas é necessário formular sistematicamente o nosso entendimento a respeito da necessidade moral e espiritual da Humanidade.
Ore por nós, prezado (a) leitor (a). Esse tem sido o meu primeiro trabalho aqui em Salvador, e o primeiro também depois de sete meses*.
*Corrigi o texto porque antes colocara um ano, mas havia esquecido de que quando chegamos à Bahia e moramos um período em Alagoinhas (de novembro de 2008 a abril de 2009), eu fui professor de adolescentes e segundo superintendente da Escola Dominical da igreja-sede naquela cidade.

Nenhum comentário:

Fale comigo!

Gostaria de estabelecer contato com você. Talvez pensemos a respeito dos mesmos assuntos, e o diálogo é sempre bem-vindo e mais que necessário. Meu e-mail é alexesteves.rocha@gmail.com. Você poderá fazer sugestões de artigos, dar idéias para o formato do blog, tecer alguma crítica ou questionamento. Fique à vontade. Embora o blog seja uma coisa pessoal por natureza, gostaria de usar este espaço para conhecer um pouco de quem está do outro lado. Um abraço.

Para pensar:

Um dos terríveis problemas da Igreja evangélica brasileira é a falta de conhecimento da Bíblia como um sistema coerente de princípios, promessas e relatos que apontam para Cristo como Criador, Sustentador e Salvador. Em vez disso, prega-se um "jesus" diminuído, porque criado à imagem de seus idealizadores, e que faz uso de textos bíblicos isolados, como se fossem amuletos, peças mágicas a serem usadas ao bel-talante do indivíduo.

Arquivo do blog

Bases de Fé

Creio:
Em um só Deus e na Trindade.
Na inspiração verbal da Bíblia Sagrada, única regra infalível de fé normativa para a vida e o caráter cristão.
Na concepção virginal de Jesus, em sua morte vicária e expiatória, em sua ressurreição corporal e sua ascensão aos céus.
Na pecaminosidade do homem, e que somente o arrependimento e a fé na obra expiatória e redentora de Jesus Cristo é que pode salvá-lo.
Na necessidade absoluta do novo nascimento pela fé em Cristo e pelo poder atuante do Espírito Santo e da Palavra de Deus, para tornar o homem digno do Reino dos Céus.
No perdão dos pecados, na salvação presente e perfeita e na eterna justificação da alma recebidos gratuitamente de Deus pela fé no sacrifício efetuado por Jesus Cristo em nosso favor.
No batismo bíblico em águas, em nome do Pai, do Filho e do Espírito Santo, conforme determinou o Senhor Jesus Cristo.
Na necessidade e na possibilidade que temos de viver vida santa mediante a obra expiatória e redentora de Jesus, através do poder do Espírito Santo.
No batismo bíblico no Espírito Santo que nos é dado por Deus mediante a intercessão de Cristo.
Na atualidade dos dons espirituais distribuídos pelo Espírito Santo à Igreja para sua edificação, conforme a sua soberana vontade.
Na Segunda Vinda de Cristo.
Que todos os cristãos comparecerão ante o Tribunal de Cristo.
No juízo vindouro que recompensará os fiéis e condenará os infiéis.
E na vida eterna para os fiéis e morte eterna para os infiéis.