quinta-feira, 16 de dezembro de 2010

Uma palavrinha sobre o WikiLeaks

Olha, eu não sou jornalista e este blog não acompanha tudo o que sai na imprensa, mas de vez em quando eu gosto de inserir algum comentário sobre assuntos da ordem do dia. E os vazamentos do site WikiLeaks têm dado o que falar: documentos secretos da diplomacia americana têm sido divulgados no site criado pelo australiano Julian Assange; esses documentos são enviados a jornais do mundo todo, que publicam o seu teor, fazem reportagens e dão opiniões; documentos sigilosos sobre o Afeganistão e o Iraque foram acompanhados de inúmeras outras coisas, como as falas de Nelson Jobim sobre suposto câncer de Evo Morales, a pesquisa de Hillary Clinton sobre o perfil psicológico de Cristina Kirchner e a descrição de Manuel Zelaya feita pelo embaixador americano em Honduras.
As esquerdas e os que não gostam dos Estados Unidos comemoram os vazamentos e acham esse Julian Assange um herói, um candidato ao prêmio Nobel 2011, um mito em vida. Tudo ficou ainda mais interessante com sua prisão por supostos crimes sexuais praticados na Suécia.
Sabem o que eu penso? Que a imprensa tem todo o direito (na verdade, o dever) de publicar aquilo que vazou no WikiLeaks, desde, é claro, que não agrida o direito de pessoas nem ponha em risco a vida e a integridade de populações. Mas o que esse moço Julian Assange está fazendo é errado, pois, primeiro, publicar dados sigilosos é crime, e, segundo, há nações envolvidas nisso. Eu fico a pensar sobre as muitas recomendações bíblicas sobre a importância de ficar calado e não se intrometer em coisas que não se pode dominar. Dar credibilidade e poder a um site que vaza documentos confidenciais é um perigo característico de quem não tem responsabilidade, e que acha que tudo o que for constrangedor aos Estados Unidos é bom para o mundo.
Nem sempre é preciso saber toda a verdade sobre tudo. A sabedoria está em não procurar nem inventar problema.
Numa época em que o bonito é sair criticando a existência de segredos oficiais, preocupa-me o fato de poucas pessoas do mundo crítico estarem atentas para isso. Sinceridade não é falar tudo o que a gente pensa ou sabe, mas falar realmente o que se pensa ou sabe.

Nenhum comentário:

Fale comigo!

Gostaria de estabelecer contato com você. Talvez pensemos a respeito dos mesmos assuntos, e o diálogo é sempre bem-vindo e mais que necessário. Meu e-mail é alexesteves.rocha@gmail.com. Você poderá fazer sugestões de artigos, dar idéias para o formato do blog, tecer alguma crítica ou questionamento. Fique à vontade. Embora o blog seja uma coisa pessoal por natureza, gostaria de usar este espaço para conhecer um pouco de quem está do outro lado. Um abraço.

Para pensar:

Um dos terríveis problemas da Igreja evangélica brasileira é a falta de conhecimento da Bíblia como um sistema coerente de princípios, promessas e relatos que apontam para Cristo como Criador, Sustentador e Salvador. Em vez disso, prega-se um "jesus" diminuído, porque criado à imagem de seus idealizadores, e que faz uso de textos bíblicos isolados, como se fossem amuletos, peças mágicas a serem usadas ao bel-talante do indivíduo.

Arquivo do blog

Bases de Fé

Creio:
Em um só Deus e na Trindade.
Na inspiração verbal da Bíblia Sagrada, única regra infalível de fé normativa para a vida e o caráter cristão.
Na concepção virginal de Jesus, em sua morte vicária e expiatória, em sua ressurreição corporal e sua ascensão aos céus.
Na pecaminosidade do homem, e que somente o arrependimento e a fé na obra expiatória e redentora de Jesus Cristo é que pode salvá-lo.
Na necessidade absoluta do novo nascimento pela fé em Cristo e pelo poder atuante do Espírito Santo e da Palavra de Deus, para tornar o homem digno do Reino dos Céus.
No perdão dos pecados, na salvação presente e perfeita e na eterna justificação da alma recebidos gratuitamente de Deus pela fé no sacrifício efetuado por Jesus Cristo em nosso favor.
No batismo bíblico em águas, em nome do Pai, do Filho e do Espírito Santo, conforme determinou o Senhor Jesus Cristo.
Na necessidade e na possibilidade que temos de viver vida santa mediante a obra expiatória e redentora de Jesus, através do poder do Espírito Santo.
No batismo bíblico no Espírito Santo que nos é dado por Deus mediante a intercessão de Cristo.
Na atualidade dos dons espirituais distribuídos pelo Espírito Santo à Igreja para sua edificação, conforme a sua soberana vontade.
Na Segunda Vinda de Cristo.
Que todos os cristãos comparecerão ante o Tribunal de Cristo.
No juízo vindouro que recompensará os fiéis e condenará os infiéis.
E na vida eterna para os fiéis e morte eterna para os infiéis.