sábado, 19 de junho de 2010

Todo mundo quer ser pregador

Assim como o que fascina meninos no futebol é geralmente a posição de atacante, na igreja muitos jovens querem ser pregadores de multidões.
Embora o futebol seja um esporte coletivo, o atacante é mais prestigiado por causa dos gols, ainda que sua artilharia dependa do esquema tático, da técnica dos companheiros e da preparação física. Da mesma forma, a igreja, como entidade coletiva, não vive só de pregadores, mas são eles que mais aparecem, e, se não houver o devido cuidado, o que era para ser pregação se torna palestra motivacional e especáculo; e a igreja deixa de ser corpo, rebanho e edifício de Deus para ser mera espectadora de alguns homens.
Se o pregador deve falar a um grupo, é natural que o número de pregadores deve ser consideravelmente menor que o número de ouvintes. Todavia, se não estou equivocado, há muitos pregadores não-vocacionados e/ou não-preparados que deveriam fazer outras coisas ou sentar para estudar a Bíblia.
Um dos aspectos desse desequilíbrio é que não se vê o mesmo entusiasmo desses jovens pregadores ao discipulado e à teologia. Não trabalham nos bastidores, não imitam os anônimos, não fazem o trabalho pesado, não ensinam, não fazem estudos sequenciados e sistemáticos, para que a igreja entenda o fio da meada e, desse jeito, entenda a mensagem bíblica. Ao contrário, vivem procurando novidades e informações teológicas apenas para ilustrar o sermão, agradar a plateia e trazer emoção. Não estimulam a continuidade do raciocínio teológico por parte da igreja e não se interessam pelo que haverá na mente dos irmãos.
A teologia não foi feita para produzir curiosidades bíblicas. Não é incidental nem opcional. Todo pensamento a respeito de Deus é teológico. Até mesmo um José Saramago, morto no dia de ontem, fez sua teologia, ainda que divorciada da Palavra de Deus. Em seu ateísmo, comunismo e ironia da fé, ele construiu uma teologia para quem não crê, por meio de livros como O Evangelho Segundo Jesus Cristo. E quanto a nós, que nos queremos pregadores, estamos construindo o mínimo raciocínio teológico para rebater sem raiva nem emocionalismo o discurso anti-fé de Saramago e outros?
Precisamos, claro, de pregadores, mas precisamos urgentemente de teólogos, professores e discipuladores. A igreja não pode viver de pílulas diárias ou semanais - ela precisa de alimento contínuo e sólido, como aquele maná que descia do céu. A igreja não pode ser palco para nossas vaidades. Pregar a Palavra não é brincadeira: há uma missão nisso tudo, e por isso deve haver um concatenamento entre o que pensamos e transmitimos aos nossos irmãos.
Se a Igreja depender desses pregadores que imitam seus ídolos ou referenciais duvidosos, perderemos muito no futuro. Que Deus nos guarde da mediocridade no púlpito. Que possamos, logo, entender nossa missão querigmática.

4 comentários:

francisco disse...

Se os pregadores imitassem ao menos a fé e exemplo de homens de Deus seria bom ,mas eles imitam os idolos gospel do momento

francisco disse...

O que esta matando nossas igrejas sao os animadores de auditorio e seus imitadores, queria ver esses caras imitando , loyd jhones , david lighstone, daniel berg , gunar vingren entre outros

francisco disse...

Infelizmente mais um escandalo na assembleia de Deus

http://cristisantana.blogspot.com/2010/06/relato-de-um-membro-sobre-o-violento.html

a coisa esta tomando proporçoes gigantescas, pastores sao tratados como papas, infaliveis , intocaveis, quem vai contra o sistema e eliminado,casado, difamado e totalmente escarnecido

francisco disse...

Quando aceitei a Cristo em 1990 fui aconselhado a participar de algumas coisas: ebd, oraçoes, consagraçoes e cultos de doutrina ,alem de ler a biblia, estudar, jenjuar e orar e pedir o don da palavra e outros dons espirituais para um dia se tornar um pregador da palavra de Deus
Hoje a primeira coisa que a geraçao DVD faz e: asssita dvds dos gideoes, pule grite, gesticule, imite ,decore etc E DEPOIS faça igualzinho na igreja ,o pior e que eles nao examinam nada , nao se importam se as mensagens sao biblicas ou nao o que vale e levar a galera a o delirio

Fale comigo!

Gostaria de estabelecer contato com você. Talvez pensemos a respeito dos mesmos assuntos, e o diálogo é sempre bem-vindo e mais que necessário. Meu e-mail é alexesteves.rocha@gmail.com. Você poderá fazer sugestões de artigos, dar idéias para o formato do blog, tecer alguma crítica ou questionamento. Fique à vontade. Embora o blog seja uma coisa pessoal por natureza, gostaria de usar este espaço para conhecer um pouco de quem está do outro lado. Um abraço.

Para pensar:

Um dos terríveis problemas da Igreja evangélica brasileira é a falta de conhecimento da Bíblia como um sistema coerente de princípios, promessas e relatos que apontam para Cristo como Criador, Sustentador e Salvador. Em vez disso, prega-se um "jesus" diminuído, porque criado à imagem de seus idealizadores, e que faz uso de textos bíblicos isolados, como se fossem amuletos, peças mágicas a serem usadas ao bel-talante do indivíduo.

Arquivo do blog

Bases de Fé

Creio:
Em um só Deus e na Trindade.
Na inspiração verbal da Bíblia Sagrada, única regra infalível de fé normativa para a vida e o caráter cristão.
Na concepção virginal de Jesus, em sua morte vicária e expiatória, em sua ressurreição corporal e sua ascensão aos céus.
Na pecaminosidade do homem, e que somente o arrependimento e a fé na obra expiatória e redentora de Jesus Cristo é que pode salvá-lo.
Na necessidade absoluta do novo nascimento pela fé em Cristo e pelo poder atuante do Espírito Santo e da Palavra de Deus, para tornar o homem digno do Reino dos Céus.
No perdão dos pecados, na salvação presente e perfeita e na eterna justificação da alma recebidos gratuitamente de Deus pela fé no sacrifício efetuado por Jesus Cristo em nosso favor.
No batismo bíblico em águas, em nome do Pai, do Filho e do Espírito Santo, conforme determinou o Senhor Jesus Cristo.
Na necessidade e na possibilidade que temos de viver vida santa mediante a obra expiatória e redentora de Jesus, através do poder do Espírito Santo.
No batismo bíblico no Espírito Santo que nos é dado por Deus mediante a intercessão de Cristo.
Na atualidade dos dons espirituais distribuídos pelo Espírito Santo à Igreja para sua edificação, conforme a sua soberana vontade.
Na Segunda Vinda de Cristo.
Que todos os cristãos comparecerão ante o Tribunal de Cristo.
No juízo vindouro que recompensará os fiéis e condenará os infiéis.
E na vida eterna para os fiéis e morte eterna para os infiéis.