quinta-feira, 7 de outubro de 2010

Submissão e amor

Tive o prazer de, na terça-feira, dia 05 de outubro, falar aos irmãos da Igreja Batista Nacional Bom Samaritano, igreja dirigida pelo Pr. Ezequias Conrado dos Santos. Usei o texto de Ef 5.22-33, umas das passagens necessárias ao estudo da família cristã, tema daquele culto. Vejamos um resumo do que refletimos ali:
Quando deparamos com textos bíblicos a respeito da família, precisamos nos despojar de princípios e valores mundanos, nos livrando, pois, de perspectivas, costumes e filosofias seculares.
Os textos de Paulo são comumente considerados machistas, fruto de uma sociedade patriarcal, como se o apóstolo escrevesse a partir de seus preconceitos sociais. Precisamos, portanto, deixar de lado os "óculos" que herdamos da tradição secular, sob pena de não entendermos a mensagem bíblica.
O pensamento de Paulo no texto em questão gira em torno de dois conceitos: a submissão e o amor.
Submissão, aos olhos do mundo, é o mesmo que subserviência, sujeição à opressão, à força, ao poder de outrem. Dizem as feministas que a mulher não deve ser submissa ao marido, mas sua ótica difere da ótica cristã, pela qual submissão é tolerância, respeito, paciência, andar junto.
Além disso, o versículo 21, imediatamente anterior ao texto comentado, exorta a uma sujeição recíproca e democrática, em que todos os crentes se sujeitam "uns aos outros". Assim, antes da submissão da esposa a seu marido, existe a submissão coletiva, que ocorre na Igreja, de uns para com os outros - o que naturalmente inclui a sujeição do homem para com sua mulher e da mulher para com o marido, na condição de cristãos. Em Cristo, todos são iguais.
Ainda sobre o movimento feminista, é preciso dizer que ele fez pesar sobre a mulher que escolhe ficar em casa um encargo injusto: ai da mulher que prefere, ao menos por um período, trabalhar em casa, cuidar dos filhos e do marido! Todo o peso do feminismo cai em suas costas, a dizer que ela não se emancipou. Isso é justo? E mais: as escolhas da mulher devem, antes de tudo, decorrer de sua individualidade, e não do gênero.
Entendo que, nesse texto de Paulo, o desafio maior e mais profundo é o do amor, e a exortação paulina ao amor dirige-se aos maridos, que devem amar suas esposas "como Cristo amou a Igreja e se entregou por ela". Amor é compromisso radical, renúncia e sacrifício. O homem deve amar a sua esposa. Garanto que a mulher pratica a submissão cristã a um marido que a ama!
Ser cabeça do lar não significa que o homem deve ser autoritário. Longe disso! O homem deve ter atitude, não pode ser indeciso demais, fraco demais, inepto para tomar posição. Toda mulher aprecia a atitude, a postura do homem.
É necessário compreendermos o caráter revolucionário e transformador do Evangelho. Muitas vezes diremos coisas "politicamente incorretas" e "polêmicas", mas somos, de fato, uma contra-cultura. Se quisermos influenciar positivamente a sociedade, deveremos abraçar os princípios e valores cristãos em sua pureza.

Um comentário:

www.gloriosojesusblogger disse...

Permanecer-nos membro do corpo de Cristo Jesus... É possível por causa do amor do Pai ainda manifestado pelos meios da graça em Jesus.Shalom!

Fale comigo!

Gostaria de estabelecer contato com você. Talvez pensemos a respeito dos mesmos assuntos, e o diálogo é sempre bem-vindo e mais que necessário. Meu e-mail é alexesteves.rocha@gmail.com. Você poderá fazer sugestões de artigos, dar idéias para o formato do blog, tecer alguma crítica ou questionamento. Fique à vontade. Embora o blog seja uma coisa pessoal por natureza, gostaria de usar este espaço para conhecer um pouco de quem está do outro lado. Um abraço.

Para pensar:

Um dos terríveis problemas da Igreja evangélica brasileira é a falta de conhecimento da Bíblia como um sistema coerente de princípios, promessas e relatos que apontam para Cristo como Criador, Sustentador e Salvador. Em vez disso, prega-se um "jesus" diminuído, porque criado à imagem de seus idealizadores, e que faz uso de textos bíblicos isolados, como se fossem amuletos, peças mágicas a serem usadas ao bel-talante do indivíduo.

Arquivo do blog

Bases de Fé

Creio:
Em um só Deus e na Trindade.
Na inspiração verbal da Bíblia Sagrada, única regra infalível de fé normativa para a vida e o caráter cristão.
Na concepção virginal de Jesus, em sua morte vicária e expiatória, em sua ressurreição corporal e sua ascensão aos céus.
Na pecaminosidade do homem, e que somente o arrependimento e a fé na obra expiatória e redentora de Jesus Cristo é que pode salvá-lo.
Na necessidade absoluta do novo nascimento pela fé em Cristo e pelo poder atuante do Espírito Santo e da Palavra de Deus, para tornar o homem digno do Reino dos Céus.
No perdão dos pecados, na salvação presente e perfeita e na eterna justificação da alma recebidos gratuitamente de Deus pela fé no sacrifício efetuado por Jesus Cristo em nosso favor.
No batismo bíblico em águas, em nome do Pai, do Filho e do Espírito Santo, conforme determinou o Senhor Jesus Cristo.
Na necessidade e na possibilidade que temos de viver vida santa mediante a obra expiatória e redentora de Jesus, através do poder do Espírito Santo.
No batismo bíblico no Espírito Santo que nos é dado por Deus mediante a intercessão de Cristo.
Na atualidade dos dons espirituais distribuídos pelo Espírito Santo à Igreja para sua edificação, conforme a sua soberana vontade.
Na Segunda Vinda de Cristo.
Que todos os cristãos comparecerão ante o Tribunal de Cristo.
No juízo vindouro que recompensará os fiéis e condenará os infiéis.
E na vida eterna para os fiéis e morte eterna para os infiéis.