sexta-feira, 1 de outubro de 2010

Uma opinião sobre os candidatos à Presidência depois do último debate

Os candidatos José Serra (PSDB) e Dilma Rousseff (PT) evitaram o confronto no debate da Rede Globo, de maneira que nem Serra perguntou a Dilma, nem Dilma perguntou a Serra. Buscaram eles manter os votos que têm. Na minha opinião, o erro é de Serra, que está atrás e precisaria mostrar um diferencial, notadamente no campo dos princípios republicanos.
Poderia Serra perguntar a Dilma por que Lula diz que ela é responsável por tudo de bom do seu governo, mas ao mesmo tempo nada sabe de tudo de ruim que ocorreu na Casa Civil, como o provável tráfico de influência sob as barbas de Erenice Guerra, pessoa de sua confiança e que a sucedeu no comando daquele ministério. Poderia ter perguntado por que ela esconde sua verdadeira opinião sobre o aborto. Poderia ter perguntado por que ela hoje acolhe informalmente o José Dirceu em sua campanha, assim como Antonio Palocci, além de ser acompanhada por políticos que são réus do mensalão petista federal. Poderia comparar o que o PT fez com mensaleiros e aloprados com o que o DEM fez com José Roberto Arruda e outros do mensalão candango. Poderia perguntar sobre liberdade de imprensa. Poderia defender mais o governo FHC, e explicar que o que existe de bom no governo Lula decorre fundamentalmente da política que os petistas atacaram ferozmente a vida toda.
Como sempre, Plínio de Arruda Sampaio (PSOL) pregou suas propostas socialistas, como o aluguel compulsório e o não-pagamento e auditoria da dívida externa, sob aquela toada de que seu partido luta contra o sistema capitalista, contra as elites dominantes. De qualquer modo, é o único candidato que emociona. Confesso que quase chorei em suas considerações finais (sem ironia!) - ele falou muito bem, e ao final proclamou um sonoro "Viva o Brasil", com as mãos para cima. O que falta nele principalmente é uma boa proposta política, mas, sem nenhuma dúvida, tem capacidade de comunicação como nenhum dos seus adversários.
Marina Silva (PV) veio mais uma vez com aquele discurso de planejamento estratégico do Brasil e de candidatura de terceira via, a fim de furar o tal plebiscito PT/PSDB, mas creio que teoriza demais e não se faz compreender pelo eleitor. Teve que ouvir de Serra que, na época do mensalão, continuou no governo.
Dilma e Serra saíram-se bem, e digo isso quanto à forma de comunicar propostas, mas Serra me parece muito mais preparado. Fora essas promessas estranhas de 13º bolsa família e salário mínimo de R$600,00, ele me convence mais.
Foi a primeira vez que ouvi Dilma Rousseff se referir a Deus, o que fez em suas considerações finais. É claro que fez isso de caso pensado, porque há aquele problema com evangélicos e católicos por causa do seu pensamento sobre o aborto. Aliás, como sustenta corretamente Reinaldo Azevedo em seu blog, alguns jornalistas entraram no erro de dizer que a defesa dilmista do aborto seria mero "boato", quando ela efetivamente concorda com o aborto, como escrevi no post anterior. Algumas coisas espalhadas na internet devem ser boatos, como aquela história referente à sua vida íntima, mas isso não importa na escolha de um representante político. Todavia, não é boato que Dilma Rousseff defende o aborto, participou de grupos terroristas de esquerda, escolheu mal pessoas para ocupar a Casa Civil e é suspeita de ter comandado a elaboração de um dossiê com dados sigilosos de FHC e sua esposa, dona Ruth Cardoso.
Voltando a Marina Silva, no início eu criei grande expectativa sobre ela por ser uma pessoa honesta, séria, que tem experiência política e não usa o ser evangélica para ganhar votos. Entretanto, erra ao defender plebiscito para a decisão política sobre descriminação do aborto e descriminação do uso de maconha, quando se trata de temas em que deveria mostrar sua firme posição cristã. Marina Silva tem sua origem petista bem evidente. Muitos dos artistas, socialistas e ambientalistas que hoje apóiam Marina votaram em Lula em 1989, crendo que ele seria extremamente ético e revolucionário. Não estou supondo que Marina seja uma versão feminina de Lula, pois são figuras muitíssimo diferentes. O fato é que muito desse pessoal que cultiva esperanças em Marina Silva vem da mesma cepa daqueles que apoiavam Lula em causas libertárias mas sem consistência prática. E há também uma tardia onda evangélica.
Gostaria imensamente de que houvesse segundo turno. Fico triste com a situação do Brasil, em que um presidente populista, mitificador e violador da Constituição segue com quase 80% de aprovação popular, operando uma revisão da história com muita propaganda errada, iludindo o povo com números fantasiosos, como os do PAC e do Minha Casa, Minha Vida, além do bolsa-família, que é útil, mas não pode ser mais do que um mecanismo provisório de transferência de renda.
No próximo dia 3, a decisão é do povo. Que Deus nos ajude.

Um comentário:

www.gloriosojesusblogger disse...

"No próximo dia 3, a decisão é do povo. Que Deus nos ajude."E guiarei os cegos pelo caminho que nunca conheceram, fá-los-ei caminhar pelas veredas que não conheceram; tornarei as trevas em luz perante eles, e as coisas tortas farei direitas. Estas coisas lhes farei, e nunca os desampararei. ISAIAS 42:16

Fale comigo!

Gostaria de estabelecer contato com você. Talvez pensemos a respeito dos mesmos assuntos, e o diálogo é sempre bem-vindo e mais que necessário. Meu e-mail é alexesteves.rocha@gmail.com. Você poderá fazer sugestões de artigos, dar idéias para o formato do blog, tecer alguma crítica ou questionamento. Fique à vontade. Embora o blog seja uma coisa pessoal por natureza, gostaria de usar este espaço para conhecer um pouco de quem está do outro lado. Um abraço.

Para pensar:

Um dos terríveis problemas da Igreja evangélica brasileira é a falta de conhecimento da Bíblia como um sistema coerente de princípios, promessas e relatos que apontam para Cristo como Criador, Sustentador e Salvador. Em vez disso, prega-se um "jesus" diminuído, porque criado à imagem de seus idealizadores, e que faz uso de textos bíblicos isolados, como se fossem amuletos, peças mágicas a serem usadas ao bel-talante do indivíduo.

Arquivo do blog

Bases de Fé

Creio:
Em um só Deus e na Trindade.
Na inspiração verbal da Bíblia Sagrada, única regra infalível de fé normativa para a vida e o caráter cristão.
Na concepção virginal de Jesus, em sua morte vicária e expiatória, em sua ressurreição corporal e sua ascensão aos céus.
Na pecaminosidade do homem, e que somente o arrependimento e a fé na obra expiatória e redentora de Jesus Cristo é que pode salvá-lo.
Na necessidade absoluta do novo nascimento pela fé em Cristo e pelo poder atuante do Espírito Santo e da Palavra de Deus, para tornar o homem digno do Reino dos Céus.
No perdão dos pecados, na salvação presente e perfeita e na eterna justificação da alma recebidos gratuitamente de Deus pela fé no sacrifício efetuado por Jesus Cristo em nosso favor.
No batismo bíblico em águas, em nome do Pai, do Filho e do Espírito Santo, conforme determinou o Senhor Jesus Cristo.
Na necessidade e na possibilidade que temos de viver vida santa mediante a obra expiatória e redentora de Jesus, através do poder do Espírito Santo.
No batismo bíblico no Espírito Santo que nos é dado por Deus mediante a intercessão de Cristo.
Na atualidade dos dons espirituais distribuídos pelo Espírito Santo à Igreja para sua edificação, conforme a sua soberana vontade.
Na Segunda Vinda de Cristo.
Que todos os cristãos comparecerão ante o Tribunal de Cristo.
No juízo vindouro que recompensará os fiéis e condenará os infiéis.
E na vida eterna para os fiéis e morte eterna para os infiéis.