quinta-feira, 3 de dezembro de 2009

Mais leveza, mais leveza...

Olhar os problemas da igreja com um coração mais sereno é um desafio para mim. Tenho por natureza uma percepção bastante racional, ou, talvez, racionalista das coisas - se eu tiver algum crítico, ele preferirá a palavra "racionalista". Analiso ou tenho a tendência de analisar os fatos com implacável senso de laboratório: é preto no branco, sim ou não, bom ou ruim, correto ou incorreto, valioso ou medíocre. Sou, de fato, um tanto cartesiano.
Todavia, o Ser Humano não é feito somente de razão. Há também a emoção e a espiritualidade. Alguém que prezo muito, e que tem opinião qualificada, me disse um dia desses que "a razão é depressiva, niilista". Se enxergarmos a vida apenas com a razão, as coisas ficarão muito, muito feias, porque "o mundo inteiro jaz no maligno" (I Jo 5.19). Mas há que se observar que, ao criar o mundo, Deus disse que todas as coisas criadas eram boas ou muito boas (Gn 1.1-31), no que vejo uma apreciação também estética, não simplesmente funcional. O próprio Deus ama o mundo-humanidade (Jo 3.16), é o SENHOR do mundo-cosmos (Sl 24.1), embora não aprove o amor das pessoas ao mundo-sistema de valores (I Jo 2.15-17).
É preciso entendermos que tudo o que existe deve ser analisado sob essa ótica de Deus: o mundo que jaz no maligno é o sistema de valores pecaminosos, mas há um traço do mundo que não é ruim em si mesmo: o mundo em seus aspectos humano e cosmológico.
É por isso que a razão deve estar acompanhada de sentimento e espiritualidade, pois, se deixarmos a razão por si só, não veremos nada de bom nas pessoas nem na Criação. Tudo será um grande sistema corrompido em que tudo deve ser apreciado friamente, sem emoção e sem sensibilidade à esfera espiritual.
Ao examinar a eclesiologia (notadamente a forma de governo) de determinada igreja, se centralizadora ou anarquista; a (de)formação moral e/ou intelectual de pastores e outros líderes; a liturgia muitas vezes tacanha ou formalista...é preciso verificar a existência das coisas boas: a vivência em comunidade, o abraço sincero, o telefonema de solidariedade em momentos difíceis (como recebi deles dois hoje), a palavra dita a seu tempo, a doação do Espírito Santo, o registro da Vontade de Deus em Sua Palavra, que nos enche de esperança.
Bem por isso, eis aqui este discípulo de Cristo disposto a avaliar a Igreja e as igrejas com a mente, mas também com o coração e com o espírito, que formam a habitação do Espírito de Deus em mim.

3 comentários:

Danilo Fernandes disse...

A paz, Alex!

Outro dia vi o link do seu blog e vim conhecer. Parabéns pelo excelente trabalho virtual. Hoje me tornei seu seguidor. Aproveitando, quero convidar-lhe para conhecer o Genizah um blog de apologética cristã, notícias e humor. Contamos com um time de editores e colaboradores diversificado e inteligente.

Esperamos você por lá e, se gostar, acompanha a gente!

Um abração, do seu mais novo leitor,

Danilo Fernandes

www.genizahvirtual.com

Alex Esteves da Rocha Sousa disse...

Danilo, fico muito feliz mesmo com o fato de você ter conhecido o blog e se interessado em continuar lendo as coisas que coloco aqui. Principalmente por se tratar de um editor de um blog tão bem feito e interessante como o que vocês fazem, e que já havia visitado. Aproveito para parabenizá-los pelo trabalho bem-humorado e crítico que fazem ali. Um abraço fraterno.

Alex Malta Raposo disse...

Parabéns pelo belo blog e, principalmente, pela proposta.

Já estou seguindo e estarei sempre visitando.

Que o Pai prossiga abençoando a sua caminhada e o seu trabalho.

alexmaltta.blogspot.com
Evangelho da Graça

Fale comigo!

Gostaria de estabelecer contato com você. Talvez pensemos a respeito dos mesmos assuntos, e o diálogo é sempre bem-vindo e mais que necessário. Meu e-mail é alexesteves.rocha@gmail.com. Você poderá fazer sugestões de artigos, dar idéias para o formato do blog, tecer alguma crítica ou questionamento. Fique à vontade. Embora o blog seja uma coisa pessoal por natureza, gostaria de usar este espaço para conhecer um pouco de quem está do outro lado. Um abraço.

Para pensar:

Um dos terríveis problemas da Igreja evangélica brasileira é a falta de conhecimento da Bíblia como um sistema coerente de princípios, promessas e relatos que apontam para Cristo como Criador, Sustentador e Salvador. Em vez disso, prega-se um "jesus" diminuído, porque criado à imagem de seus idealizadores, e que faz uso de textos bíblicos isolados, como se fossem amuletos, peças mágicas a serem usadas ao bel-talante do indivíduo.

Arquivo do blog

Bases de Fé

Creio:
Em um só Deus e na Trindade.
Na inspiração verbal da Bíblia Sagrada, única regra infalível de fé normativa para a vida e o caráter cristão.
Na concepção virginal de Jesus, em sua morte vicária e expiatória, em sua ressurreição corporal e sua ascensão aos céus.
Na pecaminosidade do homem, e que somente o arrependimento e a fé na obra expiatória e redentora de Jesus Cristo é que pode salvá-lo.
Na necessidade absoluta do novo nascimento pela fé em Cristo e pelo poder atuante do Espírito Santo e da Palavra de Deus, para tornar o homem digno do Reino dos Céus.
No perdão dos pecados, na salvação presente e perfeita e na eterna justificação da alma recebidos gratuitamente de Deus pela fé no sacrifício efetuado por Jesus Cristo em nosso favor.
No batismo bíblico em águas, em nome do Pai, do Filho e do Espírito Santo, conforme determinou o Senhor Jesus Cristo.
Na necessidade e na possibilidade que temos de viver vida santa mediante a obra expiatória e redentora de Jesus, através do poder do Espírito Santo.
No batismo bíblico no Espírito Santo que nos é dado por Deus mediante a intercessão de Cristo.
Na atualidade dos dons espirituais distribuídos pelo Espírito Santo à Igreja para sua edificação, conforme a sua soberana vontade.
Na Segunda Vinda de Cristo.
Que todos os cristãos comparecerão ante o Tribunal de Cristo.
No juízo vindouro que recompensará os fiéis e condenará os infiéis.
E na vida eterna para os fiéis e morte eterna para os infiéis.