quinta-feira, 31 de dezembro de 2009

Carta de repúdio

Abomino a "lei da semeadura financeira".
Abomino os apelos financeiros de telepastores.
Abomino a "consagração" de apóstolos.
Abomino os ministérios centrados em personalidades.
Abomino a Teologia da Prosperidade.
Abomino o Triunfalismo.
Abomino o engano travestido de orações para curas e milagres, que na verdade são artifícios de homens e mulheres sem escrúpulos.
Abomino a invasão do pseudopentecostalismo em igrejas históricas.
Abomino o ufanismo evangélico e a bajulação de governantes.
Abomino a conflagração de líderes pseudo-evangélicos contra os que pensam diferente e os criticam.
Abomino a infiltração de heresias da falsa prosperidade em minha denominação.
Abomino o sensacionalismo e o emocionalismo que marca infelizmente, na prática das igrejas, a minha denominação.
Abomino o misticismo de um pentecostalismo atravessado e do pseudopentecostalismo.
Abomino o fetichismo.
Abomino as pregações vazias, baseadas em textos retirados de contexto.
Abomino a politicagem, o nepotismo e as monarquias hereditárias eclesiásticas.
Abomino as candidaturas de evangélicos com a missão de representarem os interesses de suas igrejas.
Abomino a importação irrefletida de lixo "teológico" ou de autoajuda dos Estados Unidos.
Abomino a insinuação do marxismo e da teologia gay dentro da Igreja como se fosse Missão Integral.
Abomino o ecumenismo que não passa de tolerância demasiada com o que não é Evangelho.
Abomino as campanhas para construção de templos e outros projetos quando acabam oprimindo o povo pobre.
Abomino as construções de catedrais como se o Espírito Santo habitasse em templos feitos por mãos humanas.
Abomino o cinismo, a falta de senso crítico e a cultura da ignorância.
Abomino a repressão e a retaliação a quem pensa de forma divergente daqueles que lideram igrejas de maneira centralizadora.
Abomino o apoio de igrejas a políticos, evangélicos ou não.
Abomino o movimento da mordaça gay.
Abomino o liberalismo moral e teológico.
Abomino o relativismo, o secularismo, o individualismo e o hedonismo.
Abomino a alienação política evangélica.
Abomino ideias como "unção financeira", "unção do leão", "unção diferente", "nova unção".
Abomino a distinção entre crentes conforme o falar ou o não falar em línguas estranhas.
Abomino a violência moral ou neurótica contra as pessoas que padecem de problemas de saúde física ou mental.
Abomino os shows mentirosos de cura e milagres quando os verdadeiros doentes não são procurados quando precisam e onde se encontram.
Abomino o comportamento pueril de confundir julgamento sóbrio com julgamento das intenções do coração.
Por fim, encerrando essa lista não taxativa de uma necessária Carta de Repúdio, afirmo que não vou calar minha boca nem secar minha pena enquanto Deus me der saúde e condições de dizer o que penso.
Muitos profetas foram calados, presos, açoitados, torturados, mortos, alguns cerrados ao meio. Outros, embora não assassinados nem fisicamente agredidos, foram alvo de preconceito e desconfiança, caindo no completo descrédito.
O grande profeta Jeremias não teve um público que o quisesse ouvir. Noé conseguiu levar para a Arca apenas sua família, de oito pessoas contando consigo. João Batista acabou com a cabeça numa bandeja. Todos os apóstolos, exceto João, foram assassinados, e João foi exilado e preso numa ilha. Enfim, Jesus Cristo, nosso SENHOR, morreu como Cordeiro imaculado, pelos pecados humanos.
A missão profética da Igreja requer sacrifício, ainda que não seja da própria vida - para alguns poderá ser. Se não pudermos sacrificar ao menos um pouco, nada poderemos fazer quando nos for exigido algo mais.
Agora, não sendo vindicada a própria vida, ao menos pode ser criticada a nossa postura, aviltada nossa condição de crentes em Cristo, amaldiçoada pela boca de "cristãos" a nossa profissão de fé. Se isso ocorrer, nada passará de nossa participação nas aflições de Cristo, nosso comungar do sofrimento do Mestre, nossa empatia com as dores dos santos.
Que será do Evangelho se não for seguido o Sermão do Monte como modelo ético?
Que o ano de 2010 seja um período de reflexão e arrependimento, mudança de vida e trabalho duro pela implantação do Reino de Deus!
Eu estou aqui porque tenho esperanças em meu coração.

Nenhum comentário:

Fale comigo!

Gostaria de estabelecer contato com você. Talvez pensemos a respeito dos mesmos assuntos, e o diálogo é sempre bem-vindo e mais que necessário. Meu e-mail é alexesteves.rocha@gmail.com. Você poderá fazer sugestões de artigos, dar idéias para o formato do blog, tecer alguma crítica ou questionamento. Fique à vontade. Embora o blog seja uma coisa pessoal por natureza, gostaria de usar este espaço para conhecer um pouco de quem está do outro lado. Um abraço.

Para pensar:

Um dos terríveis problemas da Igreja evangélica brasileira é a falta de conhecimento da Bíblia como um sistema coerente de princípios, promessas e relatos que apontam para Cristo como Criador, Sustentador e Salvador. Em vez disso, prega-se um "jesus" diminuído, porque criado à imagem de seus idealizadores, e que faz uso de textos bíblicos isolados, como se fossem amuletos, peças mágicas a serem usadas ao bel-talante do indivíduo.

Arquivo do blog

Bases de Fé

Creio:
Em um só Deus e na Trindade.
Na inspiração verbal da Bíblia Sagrada, única regra infalível de fé normativa para a vida e o caráter cristão.
Na concepção virginal de Jesus, em sua morte vicária e expiatória, em sua ressurreição corporal e sua ascensão aos céus.
Na pecaminosidade do homem, e que somente o arrependimento e a fé na obra expiatória e redentora de Jesus Cristo é que pode salvá-lo.
Na necessidade absoluta do novo nascimento pela fé em Cristo e pelo poder atuante do Espírito Santo e da Palavra de Deus, para tornar o homem digno do Reino dos Céus.
No perdão dos pecados, na salvação presente e perfeita e na eterna justificação da alma recebidos gratuitamente de Deus pela fé no sacrifício efetuado por Jesus Cristo em nosso favor.
No batismo bíblico em águas, em nome do Pai, do Filho e do Espírito Santo, conforme determinou o Senhor Jesus Cristo.
Na necessidade e na possibilidade que temos de viver vida santa mediante a obra expiatória e redentora de Jesus, através do poder do Espírito Santo.
No batismo bíblico no Espírito Santo que nos é dado por Deus mediante a intercessão de Cristo.
Na atualidade dos dons espirituais distribuídos pelo Espírito Santo à Igreja para sua edificação, conforme a sua soberana vontade.
Na Segunda Vinda de Cristo.
Que todos os cristãos comparecerão ante o Tribunal de Cristo.
No juízo vindouro que recompensará os fiéis e condenará os infiéis.
E na vida eterna para os fiéis e morte eterna para os infiéis.