quarta-feira, 27 de agosto de 2008

A vida de um crente comum

Não há só o domingo - depois dele vem a segunda. É no dia-a-dia que a gente é crente. Toda aquela emoção de ser crente na igreja passa bem rápido na luta de segunda a sexta.
Promessas exclusivas de paz e prosperidade são para os incautos. Vivo com a promessa da Vida Eterna. Sim, também quero paz e prosperidade, mas não vivo em função disso.
Há tantas heresias e modismos que a gente tem dificuldade de se atualizar. Parece que estamos fora de moda. Os ortodoxos são tidos como chatos, atrasados. Os que freqüentam a escola dominical não conseguem entender os cultos de domingo à noite, nem as festas da igreja.
O errado toma o lugar do certo, e o certo fica sendo errado. Quem se insurge contra a bandalheira é chamado de rebelde, frio, arrogante, impaciente. Eles sabem usar os versículos na hora certa.
Para a maioria, a coisa vai bem, obrigado. Falam de chuva de bênçãos, eu vivo o deserto. Falam de vitória, eu passo pela prova. Falam de Deus a lhes dizer coisas inefáveis. Eu estou curtindo o silêncio.
No calor causticante sem nenhuma brisa e refrigério, é duro saber e não poder falar. É duro não ter nenhum poder. É duro ser crente hoje.
Há tempos vivo na desorientação de pertencer a um movimento que não me pertence por princípio. Há tempos me alimento do ar flamejante das contradições. É duro esse deserto, é muito difícil respirar num clima seco.
Entre glórias e aleluias, sigo como um crente comum. Minha cabeça manda, o corpo não pode obedecer, pois está amarrado pela burocracia dos santos. Estabeleceram os feudos, dominaram o terreno, tudo tem dono, tudo tem nome, todos têm credenciais.
Vivo um tempo muito, muito, muito complicado. Ser crente comum nos dias de hoje, ser crente com base na Bíblia é tarefa das mais dolorosas quando se pretende manter a integridade.
Dizem para eu não me amargurar, e estão certos. Mas não me peçam para ficar calado nem contente - se for preciso, morrerei descontente e tagarelando contra as impropriedades de um evangelhozinho carnal e medíocre.

Nenhum comentário:

Fale comigo!

Gostaria de estabelecer contato com você. Talvez pensemos a respeito dos mesmos assuntos, e o diálogo é sempre bem-vindo e mais que necessário. Meu e-mail é alexesteves.rocha@gmail.com. Você poderá fazer sugestões de artigos, dar idéias para o formato do blog, tecer alguma crítica ou questionamento. Fique à vontade. Embora o blog seja uma coisa pessoal por natureza, gostaria de usar este espaço para conhecer um pouco de quem está do outro lado. Um abraço.

Para pensar:

Um dos terríveis problemas da Igreja evangélica brasileira é a falta de conhecimento da Bíblia como um sistema coerente de princípios, promessas e relatos que apontam para Cristo como Criador, Sustentador e Salvador. Em vez disso, prega-se um "jesus" diminuído, porque criado à imagem de seus idealizadores, e que faz uso de textos bíblicos isolados, como se fossem amuletos, peças mágicas a serem usadas ao bel-talante do indivíduo.

Arquivo do blog

Bases de Fé

Creio:
Em um só Deus e na Trindade.
Na inspiração verbal da Bíblia Sagrada, única regra infalível de fé normativa para a vida e o caráter cristão.
Na concepção virginal de Jesus, em sua morte vicária e expiatória, em sua ressurreição corporal e sua ascensão aos céus.
Na pecaminosidade do homem, e que somente o arrependimento e a fé na obra expiatória e redentora de Jesus Cristo é que pode salvá-lo.
Na necessidade absoluta do novo nascimento pela fé em Cristo e pelo poder atuante do Espírito Santo e da Palavra de Deus, para tornar o homem digno do Reino dos Céus.
No perdão dos pecados, na salvação presente e perfeita e na eterna justificação da alma recebidos gratuitamente de Deus pela fé no sacrifício efetuado por Jesus Cristo em nosso favor.
No batismo bíblico em águas, em nome do Pai, do Filho e do Espírito Santo, conforme determinou o Senhor Jesus Cristo.
Na necessidade e na possibilidade que temos de viver vida santa mediante a obra expiatória e redentora de Jesus, através do poder do Espírito Santo.
No batismo bíblico no Espírito Santo que nos é dado por Deus mediante a intercessão de Cristo.
Na atualidade dos dons espirituais distribuídos pelo Espírito Santo à Igreja para sua edificação, conforme a sua soberana vontade.
Na Segunda Vinda de Cristo.
Que todos os cristãos comparecerão ante o Tribunal de Cristo.
No juízo vindouro que recompensará os fiéis e condenará os infiéis.
E na vida eterna para os fiéis e morte eterna para os infiéis.