sexta-feira, 2 de abril de 2010

A denúncia do sobrinho de Chico Xavier e algumas considerações bíblicas sobre o Espiritismo

Se estivesse vivo, o médium Chico Xavier completaria 100 anos hoje. Nascido em Pedro Leopoldo/MG, tornou-se o principal representante do Espiritismo em solo brasileiro, com 412 livros, muitos deles supostamente psicografados. Morreu em 2002, em Uberaba/MG, cidade para onde teve que fugir depois de um escândalo.
Que escândalo teria sido esse? A revelação feita por seu sobrinho Amauri Xavier Pena de que as supostas psicografias não passavam de criação de sua mente, na arte de imitar autores da literatura. E mais: a farsa seria não só dele, mas de seu tio também.
Encontrei um texto de LUIZ ROBERTO TURATTI, em Usina de Letras, que resume o que ocorreu:

"CHICO XAVIER – O TESTEMUNHO DO SOBRINHO
Amauri Xavier Pena, filho da irmã mais velha de Chico Xavier, Dona Maria Xavier, foi escolhido pelo tio para ser seu sucessor. Vinha treinando desde os treze anos. Aos 17 anos cedeu às insistências do tio. Treinado com grande constância na 'psicografia', mostrou maior facilidade do que o famoso tio para imitar os autores que lia. E assim publicou mais de cinqüenta livros 'psicografados' imitando mais de cinqüenta autores, 'cada qual no seu próprio e inconfundível estilo. Recebeu também uma epopéia de Camões em estilo quinhentista', Cruz e Sousa, Gonçalves Dias, Castro Alves, Augusto dos Anjos, Olavo Bilac, Luís Guimarães Jr., Casemiro Cunha, Inácio Bittencourt, Cícero Pereira, Hermes Fontes, Fabiano de Cristo (?!), Anália Franco..., e até Bocage e Rabindranath Tagore. O boletim espiritista 'Síntese', de Belo Horizonte, fazia a divulgação.
'Um grande médium' era proclamado, mesmo depois da auto-retratação em Julho de 1958 no 'Diário de Minas'. E lá mesmo, perante os jornalistas, imitou diversos estilos de autores famosos. 'Tudo o que tenho ‘psicografado’ até hoje, apesar das diferenças de estilo, foi criado pela minha própria habilidade, usando apenas conhecimentos literários', declarou.
E proclamou que seu tio Chico Xavier 'não passa de um grande farsante'. E à revista 'Manchete': 'Revoltava-me contra as afirmações dos espiritistas (que diziam que era médium). Levado à presença do meu tio, ele me assegurou, depois de ler o que eu escrevera, que um dia eu seria seu sucessor. Passei a viver pressionado pelos adeptos da ‘terceira revelação’... como absurdamente chamam ao Espiritismo, com ele pretendendo suplantar, após as revelações do Pai e do Filho, a Terceira Revelação pelo Divino Espírito Santo o dia de Pentecostes.'
'A situação torturava-me, e várias vezes, procurando fugir àquele inferno interior, entreguei-me a perigosas aventuras, diversas vezes saí de casa, fugindo à convivência de espíritas. Cansado, enfim, cedi dando os primeiros passos no caminho da farsa constante. Tinha então 17 anos'.
'Perseguido pelo remorso e atormentado pelo desespero, cometi vários desatinos (...). Vi-me então diante da alternativa: mergulhar de vez na mentira e arruinar-me para sempre diante de mim mesmo, ou levantar-me corajosamente para penitenciar-me diante do mundo, libertando-me definitivamente. Foi o que decidi fazer procurando um jornal mineiro e revelando toda a farsa' (...).
'Meu tio é também um revoltado, não conseguindo mais recuar diante da farsa que há longos anos vem representando'.
'Eu, depois de ter-me submetido a esse papel mistificador, durante anos (...), resolvi, por uma questão de consciência, contar toda a verdade' (Ver também 'Estado de Minas', 20/1/1971; revista 'Realidade', Novembro 1971, pág. 65; etc.)".

Dessa forma, temos o testemunho de ninguém menos que o potencial sucessor de Chico Xavier dizendo que ele e seu tio eram uma farsa. É claro que os espíritas rechaçam a denúncia feita por Amauri Xavier Pena, mas há que se fazer a seguinte consideração: existem três tipos de espíritos que agem no mundo: o Espírito de Deus, o espírito humano e os espíritos dos demônios. Nada há que vá além disso. Qualquer manifestação espiritual sobrenatural será proveniente de Deus ou dos demônios, já que o espírito humano só intervém neste mundo quando a pessoa está viva, pois os mortos não se comunicam com os vivos em nenhuma hipótese.
Isso é o que diz a Escritura.
Em Is 8.19,20, está escrito: "Quando vos disserem: consultai os necromantes e os adivinhos, que chilreiam e murmuram, acaso, não consultará o povo ao seu Deus? A favor dos vivos se consultarão os mortos? À lei e ao testemunho! Se eles não falarem desta maneira, jamais verão a alva".
Em Lc 16.19-31, na Parábola do rico e Lázaro, Jesus ensina, por meio de um diálogo entre Abraão e o rico pecador, que os vivos devem ouvir a Lei e os Profetas, e não aguardar que um morto volte para contar o que sabe. Se não creem nas Escrituras Sagradas, não crerão por causa de um defunto que retorna para falar do que viu.
A Bíblia é muito clara ao reprovar a conduta de necromantes, adivinhos e de toda forma de consulta aos mortos (Lv 19.31; 20.6, 27; Dt 18.11; II Rs 21.6; 23.24; I Cr 10.13; II Cr 33.6; Is 19.3; 29.4). Normativamente, a Palavra de Deus reprova esses comportamentos porque eles não têm base na realidade espiritual. Como diz o autor da Epístola aos Hebreus, depois da morte segue-se o juízo, sendo aos homens ordenado morrer uma só vez (Hb 9.27).
Nem se diga que em I Sm 28 a Bíblia aprova a necromancia praticada por uma pitonisa que Saul consultou, pois em I Cr 10.13 está escrito com todas as letras que Saul foi reprovado por isso. Em interpretação lógica e sistemática, é impossível admitir que Deus aprove a necromancia.
Quem crê na Bíblia não pode acreditar em Espiritismo. Mas os espíritas gostam de dizer que são cristãos, que há mediunidade na Bíblia. Qual é, pois, a saída? Dizer que as passagens contrárias aos dogmas espíritas foram adulterados pela Igreja Católica. Assim é fácil: eles ficam com a parte que lhes convém e desprezam como texto espúrio aquilo que diz que estão pecando. É uma teologia de conveniência, que expressa desonestidade intelectual.
Por que muitas pessoas têm inclinação pelo Espiritismo? Uma das razões é que elas não conseguem explicar fenômenos espirituais e certas coincidências. Por exemplo, quando veem um médium "psicografar" cartas de um ente querido, contando coisas que só ele e familiares podem saber, logo acreditam que se trata de comunicação com os mortos. Todavia, se conhecessem a Bíblia, veriam que os magos do Egito souberam imitar, até certo ponto, as obras maravilhosas operadas por Moisés, só que se utilizando de "suas ciências ocultas" (Ex 7-8.19).
Também reconheceriam que Satanás pode se transformar em anjo de luz, se quiser (II Co 11.14,15).
O apóstolo João nos exorta a provas os espíritos, a ver se procedem de Deus (I Jo 4.1).
Dizer que os cristãos evangélicos são crédulos por acreditarem na Bíblia não é correto. Temos fé porque confiamos no testemunho objetivo das Escrituras, não num conto de fadas. Não cremos em tudo o que ouvimos ou lemos, só porque não temos explicações racionais. Não cremos em mitos, duendes, fadas, fantasmas, comunicação com os mortos, gnomos, nada do que esteja fora das Escrituras. Cremos na Bíblia, com tudo o que ela tem para nos dizer, mesmo que ela se refira a realidades dolorosas, como Queda, pecado, inferno e juízo de Deus. Cremos na totalidade da Palavra, não naquilo que convém ao nosso apetite espiritual.
Neste 2 de abril, em que a TV fará uma apologia de Chico Xavier, tento, na minha pequenez, fazer aqui um contraponto. Creiamos na Bíblia, e não em coisas aparentemente verdadeiras, simplesmente por não podermos explicar.

Onde encontrei o texto de LUIZ ROBERTO TURATTI, reproduzido aqui por expressa permissão geral na página eletrônica:
http://www.usinadeletras.com.br/exibelotexto.php?cod=35060&cat=Artigos&vinda=S


28 comentários:

Anônimo disse...

Parabéns pelo texto, objetivo, esclarecedor e verdadeiro, é uma lastima que tantas pessoas se deixem enganar e entreguem suas almas assim de forma tão fútil e fácil.

Que Deus te abençoe!

Carlos Rebouças
(85) 8888 8825

Anônimo disse...

Quanto às acusações do sobrinho de Chico Xavier. Ele era mentalmente perturbado e um alcoólatra inveterado e até seu pai confirmou isto. Será que dá pra levar a sério as acusações de alguém com tal perfil? As acusações dele não se confirmaram. Tanto não se confirmaram que Chico Xavier passou 75 anos psicografando e ninguém o desmascarou (nem o padre Quevedo). Todos os opositores de Chico Xavier só ficavam (a ainda ficam) no campo das especulações (Turatti e Quevedo, por exemplo).
O jornal Diário da Tarde, também de Belo Horizonte, visando uma melhor cobertura, enviou um repórter a Sabará para entrevistar Amauri, que entretanto, ainda se encontrava na capital mineira. O repórter procurou então o delegado Agostinho Couto, que informou ser o jovem um alcoólatra inveterado, "um desordeiro", que já tinha sido apanhado tentando roubar uma casa e fora expulso da cidade por várias vezes pelo policial. O pai de Amauri, Jaci Pena, confirmou as acusações, complementando: "Meu filho é um doente da alma. Todo mundo sabe disso. É dado a bebidas. Ontem mesmo eu o apanhei caído no jardim no maior pileque. Chico conhece Amauri. As declarações dele não alteram nada." (Diário da Tarde. apud op. cit., p. 140.)

Anônimo disse...

Conheçam mais sobre o Turatti e o Quevedo.
1. Turatti, discípulo do manjado padre Quevedo, e sua arrogante cegueira: http://jefferson.freetzi.com/Resposta-Catolico5.html
2. Turatti, não seja parcial tal qual a sua Santa Madre Igreja. Vejam a história completa sobre a acusação do sobrinho de Chico Xavier: http://www.midiaindependente.org/pt/blue/2005/03/310499.shtml
3. Quevedo - A melhor agência de propaganda do Espiritismo: http://www.apologiaespirita.org/objecoes_refutadas/a_verdade_sobre_chico_xavier.htm
4. Uma análise imparcial sobre algumas obras do famigerado padre Quevedo. Acesse: http://www.pucsp.br/pos/cos/cepe/intercon/revista/artigos/taboas.htm
5. Chico Xavier e Quevedo. Vejam quão vil é este Quevedo: http://jefferson.freetzi.com/SrChico2.html
6. Debates não respondidos e desafios não aceitos pelo famigerado padre Quevedo e seu pupilo, Luiz Roberto Turatti: http://www.molan.somee.com/carlos.guimaraes/turaquevedo.html
7. Para ver o desafio científico que o Prof. Dr. Wellington Zangari fez ao Luiz Roberto Turatti e ao Padre Quevedo (e ainda não respondido), acessem: http://www.forumnow.com.br/vip/mensagens.asp?forum=15836&topico=2491903
8. Para saber mais sobre o Turatti e o Quevedo:
9. http://www.eneascorrea.com/news/136/ARTICLE/1128/6/2007-05-09.html
10. http://br.oocities.com/anossaverdade/pg140.htm
11. http://www.eneascorrea.com/news/136/ARTICLE/1128/6/2007-05-09.html
12. http://www.espiritualidades.com.br/Artigos_D_L/Guimaraes_Carlos_Espiritismo.htm
13. http://www.terraespiritual.locaweb.com.br/espiritismo/artigo1466.html

Anônimo disse...

Uma vez perguntaram ao padre Quevedo acerca das aparições da Virgem Maria àquelas crianças em Fátima, Portugal. Essa pergunta deixou o “caçador de enigmas” em posição bastante delicada. Em função de sua posição anti-Espiritismo, tendo em vista que ele já deixou bem claro que não acredita em espíritos, ou seja, não poderia confirmar a tal aparição, pois poderia incorrer no risco de também confirmar a possibilidade de aparições espirituais, ou seja, confirmando a aparição, estaria bem com a Igreja, mas entraria em contradição, contudo, negando a aparição, contradiria a Igreja. Porém, o orgulho e a soberba venceram: Ele afirmou taxativamente que aparições não existem. Ele disse que é energia corporal que se plasma externamente, tomando a forma que a pessoa imaginar. Segundo o Quevedo, foi isso que ocorreu em Fátima. Uma explicação totalmente subjetiva. Assim ele também explica a mediunidade de clarividência. Como ele pode provar que é realmente isso? Essa é a opinião dele; a sua idiossincrasia. É por isso que a Parapsicologia não é considerada Ciência. Assim como os espíritas explicam que a clarividência é a faculdade de ver espíritos, o padre Quevedo, por não admitir a existência desses, explica que é energia corporal plasmada. Cada um tem o seu ponto de vista, mas o padre Quevedo quer impor o dele. Em suma, a Ciência verdadeira ainda não conseguiu comprovar nenhuma das proposições, e o Quevedo ainda se considera cientista, achando que, com explanações subjetivas, expondo apenas a sua opinião, alegando insolentemente que tem base científica, está desbancando o Espiritismo. É por isso que ele foi relegado ao ostracismo, caindo no esquecimento, tornando-se objeto de escárnio. Quem segue o Quevedo, vai pro mesmo buraco.

Luiz Roberto Turatti disse...

CHICO XAVIER FOI DESMASCARADO PELO PRÓPRIO SOBRINHO

Você sabia que Amauri Pena, um sobrinho de Chico Xavier, desmascarou o tio e toda a farsa espírita na qual ele foi educado e persuadido a ser um grande médium, em 1958? Ele disse ao “Diário de Minas”:

“Tudo o que tenho psicografado até hoje foi criado por minha própria imaginação, sem que precisasse de interferência de almas do outro mundo. Resolvi por uma questão de consciência contar toda a verdade. Não desmascaro meu tio como homem, mas como médium”.

Confira também “Estado de Minas”, 20/1/1971 e revista “Realidade”, Novembro 1971, página 65.

Assim como em outras oportunidades, os espíritas daqui também dirão que Amauri estava “louco”; que ele era “dependente químico”..., mas nada que demonstre que ele mentiu.

Luiz Roberto Turatti.

Luiz Roberto Turatti disse...

Há uns 10 anos eu disse, e deve estar publicado em algum lugar pela web, que o espiritismo não resistiria mais 3 ou 4 gerações, se tanto. Com esta muito oportuna, plausível, corajosa reportagem “Chico Xavier – Uma investigação” (Superinteressante, Abril 2010: http://super.abril.com.br/religiao/investigacao-chico-xavier-561667.shtml), da competente jornalista investigativa Gisela Blanco, concluo que começou a derrocada. Ou teria iniciado já no ano 2000, quando o “Fantástico”, da Rede Globo de Televisão, apresentou o quadro “Padre Quevedo – O Caçador de Enigmas”, sua maior audiência em 30 anos? Ou talvez, ainda, as denúncias muito bem documentadas pela revista “O Cruzeiro”, lá nos idos de 1970, 1964 e 1944? Deus tarda, mas não falta. Quem viver verá!

Anônimo disse...

Turatti, você tem o costume de afirmar que o Espiritismo não resistiria a 3 ou 4 gerações, no máximo, contudo, o Espiritismo continua firme, do mesmo jeito, com poucos adeptos e simpatizantes, mas quantidade nunca foi o objetivo do Espiritismo, e Chico Xavier está em alta. Até filme do Chico Xavier fizeram, e que está estourando as bilheterias, diga-se de passagem. Atenção, Turatti! Outro filme espiritualista será lançado em breve: Nosso Lar. Filme oriundo do livro de mesmo nome, e adivinha quem escreveu? Chico Xavier! Isso sem contar em inúmeros outros filmes espiritualistas estrangeiros que já fizeram sucesso. Agora, eu te pergunto: Onde está a falácia da Parapsicologia do Quevedo? Onde está o Quevedo e o Turatti? Existe algum filme do Quevedo ou do Turatti? O que o Quevedo ou o Turatti fizeram de bom para merecessem algum filme ou documentário? O fanfarrão do Quevedo caiu no esquecimento há anos. Faz tempo que ninguém vê o Quevedo na mídia. Não se ouve mais falar do Quevedo, a não ser você, que fica exaltando o nome dele por aí, como se fosse um renomado cientista. Você, Turatti, é quem fica perambulando pela WEB, tentando inutilmente, destruir o Espiritismo, através de hipóteses, mentiras e distorções de fatos, seguindo os passos do falido Quevedo, que, por nunca provar suas afirmações, caiu no ostracismo e é lembrado como bufão. Acorda Turatti!!!

Anônimo disse...

Vejam a história completa sobre a acusação do sobrinho de Chico Xavier: http://www.midiaindependente.org/pt/blue/2005/03/310499

Anônimo disse...

O curioso é que o sobrinho de Chico Xavier fez a tal acusação, mas Chico Xavier passou 75 anos psicografando e ninguém o desmascarou nesse período. Morreu com 92 anos e nunca foi desmascarado de verdade. Teve inúmeros inimigos. Muitos e muitos o acusavam, mas nunca provaram realmente coisa alguma contra a sua mediunidade. Ficavam tão somente nas especulações, explicações subjetivas e simulações com ilusionismos, tal qual o fanfarrão do Quevedo. Contudo, nada disso desmascarou Chico Xavier. Por exemplo: O mágico Cris Angel já andou sobre a água. Tudo ilusionismo. Mas se isso provasse alguma coisa contra Jesus, significaria que Jesus nunca realmente andou sobre as águas. A verdade é que ninguém nunca conseguiu provar que Jesus andou ou não sobre as águas, mas o fato do supracitado mágico ter feito o mesmo através de ilusionismo, não prova que Jesus tenha lançado mão de tal artifício, ou seja, não prova que Jesus era embusteiro e nem que era verdadeiro. Outra coisa: Nunca o bufão do Quevedo e a sua sombra, o Turatti, tiveram coragem de ir até Uberaba ou enviar alguém até lá para desmascarar de verdade Chico Xavier. Agora que ele está morto é muitíssimo fácil tripudiar, acusar, etc. E, assim, se dizem verdadeiros cristãos e cientistas! São apenas fanáticos católicos tentando legitimar a sua crença (em face da evidente decadência da ICAR, diga-se de passagem), e, com isso, transformam-se em grandes humoristas.

Anônimo disse...

Onde está o padre Quevedo, Turatti?
Ninguém nem ouve mais falar dele.
Turatti, a Igreja Católica sempre foi uma grande farsa, que se manteve por conta de seus conluios com o poder, todavia, a derrocada da ICAR já começou há alguns anos com os primeiros escândalos sexuais!
O Espiritismo continua aí, do mesmo jeito. Chico Xavier está em alta. Fizeram um filme sobre ele, e que já bateu recordes de bilheteria. Será que tem algum filme do Quevedo por aí? O que o Quevedo fez de bom para o próximo para que fizessem algum filme sobre ele? O que o Quevedo fez na vida, além de invejar Chico Xavier?
Olha! Vem outro filme espírita aí, hein: Nosso Lar. Esse nome... não me é estranho... Ah! Lembrei! É um dos livros do Chico Xavier! Mas que coisa, né? Desse jeito, o Espiritismo não vai resistir mesmo a 3 ou 4 gerações... será a derrocada do Espiritismo (rsrsrsrsrsrs...)?

Anônimo disse...

A Igreja Católica apoiou o nazismo: http://www.midiaindependente.org/pt/blue/2010/02/465837.shtml
A igreja foi comadre do nazismo: http://forums.myspace.com/t/4775312.aspx?fuseaction=forums.viewthread
A Igreja e o nazismo: http://www.direitos.org.br/index.php?option=com_fireboard&Itemid=113&func=view&id=9&catid=19
Igreja cúmplice do nazismo, fascismo e outras ditaduras: http://mais.uol.com.br/view/2aaymwseihnu/igreja-cumplice-do-nazismofascismo-e-outras-ditaduras-0402376ECC894327?types=A& ou http://vodpod.com/watch/2897198-igreja-cmplice-do-nazismo-fascismo-e-outras-ditaduras

Alex Esteves da Rocha Sousa disse...

Publiquei vários comentários anônimos contra o que escreveu o Sr. Luiz Roberto Turatti. Gostaria, porém, que os anônimos se manifestassem, pois assim fica melhor. Como não considerei nada ofensivo, publiquei tudo, mas gostaria imensamente de que de agora em diante os comentários fossem identificados.
Alex.

Suriman disse...

A Bíblia é uma farsa, assim como o cristianismo praticado atualmente. O VT é mitologia sumeriana adaptada e o NT é mitraísmo adaptado. A Bíblia não tem nada de Palavra de Deus. Está coalhada de contradições, fábulas (próprias para o entendimento do povo daquela época) oriundas da mitologia sumeriana, um Deus execrável e diversos dogmas aprisionadores. A Bíblia foi criada para aprisionar consciências, assim como o Tanach para os judeus. Jesus não veio fundamentar religião alguma, Ele veio mostrar uma filosofia de vida, que liberta a consciência dos grilhões religiosos. Gananciosos adulteraram a Sua mensagem para fundar uma religião sólida, que cativasse Roma e suplantasse o mitraísmo. Para tal, deturparam tudo o que podiam para tornar a mensagem Crística aprazível às elites romanas. Fundiram a mitologia mitraica à vida de Jesus, transformando-O no deus-solar Mitra redivivo, e criaram a Bíblia (a galinha dos ovos de ouro), para servir de base ao aprisionamento consciencial. Isso atraiu a elite romana ao cristianismo. O golpe final contra o mitraísmo foi o dogma do Cordeiro de Deus, no qual Jesus havia morrido para livrar os pecados do mundo, salvando a humanidade. Algo que Mitra não havia feito. Sendo assim, quem fosse cristão estaria previamente salvo. Um golpe de mestre; um checkmate, por assim dizer, perpetrado pelos fundadores da ICAR, contra os últimos mitraístas. Tudo em conluio com Constantino. A ICAR estava de mãos dadas com o poder, o resto veio fácil: Concílio de Nicéia, édito de Milão, etc. Com isso, a ICAR, sem querer, criou um grande filão para inúmeras vertentes cristãs, na posteridade, acumularem riquezas e alcançarem o poder, sugando incautos. Algo bastante notório nos dias de hoje, através de inúmeros programas televisivos neo-pentecostais e pentecostais. Pastores enriquecendo a olhos vistos... É claro que não se pode generalizar. Nem todos são pilantras, mas a maioria é. A ICAR começou tudo isso e se transformou num império mundial. Essas outras denominações cristãs só estão trilhando os passos da ICAR, porque têm a intenção de se tornarem impérios também. Pregam o Reino dos Céus, mas se estabelecem na Terra. Assim faziam (e fazem) os judeus na época de Jesus, e Ele criticava severamente tal conduta. A ICAR ignorou a mensagem Crística e seguiu o mesmo caminho do judaísmo farisaico (o judaísmo dominante - até hoje, diga-se de passagem): Vender o Céu para comprar a Terra. Nessa estrada, caminha um sem-número de denominações cristãs, atualmente, comercializando Jesus.
O Espiritismo, em si, não é uma religião. É tão somente uma doutrina. Muitos querem transformá-lo em religião, e se isso acontecer realmente, será o início de sua queda.
O Espiritismo não cobra dízimos, ofertas, não aprisiona, não corre atrás de prosélitos, porque o Espiritismo não objetiva quantidade. Quem busca números, busca riquezas terrenas. O Espiritismo não almeja o poder e nem o acúmulo de riquezas através da fé. O Espiritismo não vende o Céu para se estabelecer na Terra; não comercializa Jesus e nem o PAI-MÃE Celestial. Certamente, isso é o maior motivo para combaterem tanto o Espiritismo. O Espiritismo é uma ameaça à galinha dos ovos de ouro.
Não sou espírita, não sou ateu e não tenho religião, mas admiro o Espiritismo. Acessem estes sítios na internet e reflitam: http://videolog.uol.com.br/video.php?id=197033 e http://www.youtube.com/watch?v=gp8F-kzLmks

Suriman disse...

Êxodo, capítulo 20, verso 15: “Não furtarás”.
Comentário(s): Mais um dos dez mandamentos: A proibição do roubo.
Êxodo, capítulo 3, versos de 21 e 22: “[21] E eu darei graça a este povo aos olhos dos egípcios; e acontecerá que, quando sairdes, não saireis vazios, [22] Porque cada mulher pedirá à sua vizinha e à sua hóspeda jóias de prata, e jóias de ouro, e vestes, as quais poreis sobre vossos filhos e sobre vossas filhas; e despojareis os egípcios”.
Comentário(s): Deus manda os hebreus roubarem os egípcios (“e despojareis os egípcios”). Isto é o que diz o texto, irrefragavelmente. Que Deus é este que manda saquear? Ordena que pessoas apropriem-se indevidamente de patrimônio alheio e depois proíbe tal ilícito. Puramente contraditório. No Decálogo, Deus ordena: “Não furtarás”; No Êxodo, Deus ordena: “despojareis os egípcios”.

Suriman disse...

As contradições bíblicas são muitas. Se a Bíblia fosse a palavra de Deus, não teria uma contradição sequer. Sendo Deus todo-poderoso, a Bíblia seria absolutamente perfeita, sem a menor discrepância e nem trechos dúbios. A Bíblia seria coerente e concisa, de fácil interpretação, clara, objetiva e infalível. Todavia, existem diversas contradições, passagens com múltiplo sentido e trechos execráveis. Bastaria tão somente 1(uma) contradição para invalidar a Bíblia como palavra de Deus, entretanto, existem muitas. Estima-se em mais de 2000 contradições explicitas e implícitas! Vejamos algumas:
Êxodo, capítulo 20, verso 4: “Não farás para ti imagem de escultura, nem alguma semelhança do que há em cima nos céus, nem em baixo na terra, nem nas águas debaixo da terra”.
Comentário(s): Este trecho fala por si só: É a proibição de imagens e esculturas.
Êxodo, capítulo 25, verso 18: “Farás também dois querubins de ouro; de ouro batido os farás, nas duas extremidades do propiciatório”.
Comentário(s): Aqui nesta passagem, Deus ordena que se façam esculturas de seres celestiais sobre a arca da aliança. Em Êxodo 20:4, Deus proíbe taxativamente a criação de imagens e esculturas e, no entanto, em outro momento, Ele ordena que se façam duas esculturas de querubins. Ou seja, Deus quebrou seu próprio mandamento, pois a referida proibição é parte integrante dos Dez Mandamentos.
A Bíblia possui muitos trechos onde Deus quebra seus próprios mandamentos, que, diga-se de passagem, foram muito mais que dez (se levarmos em conta tudo que Deus manda fazer ou proíbe na Bíblia, evidentemente). Esse Deus bíblico, além de tirano, é um contra-senso total.

Anônimo disse...

Além de Deus forçar pessoas a mentir, existe o ponto que Deus fala com um espírito que se predispõe a fazer tão sórdida atitude. Deus se iguala, mais uma vez, aos seres humanos, tornando-se inescrupuloso a ponto de fazer acordo com um espírito enganador para prejudicar uma determinada pessoa.
Existe também a questão dos governantes consultarem os profetas. Um fator bastante contraditório é que existem outras passagens na Bíblia em que se condena este tipo de comunicações sobrenaturais, mas em muitos trechos aparecem outras tantas narrações onde há freqüentes contatos desse gênero. Tal qual era costume em culturas politeístas, como os gregos, os egípcios, os babilônios, etc., em que se consultavam oráculos e sacerdotes. Vêem-se, na Bíblia, muitos líderes buscando o conselho de vaticinadores. Acreditava-se que os profetas falavam com Deus e com os anjos e, quando se desejava saber a vontade ou a opinião de Deus, procurava-se algum profeta. Este intermediava a comunicação entre Deus e os homens. Ninguém via e nem ouvia Deus, apenas o profeta. Isto também era prática comum em todas as culturas, principalmente as politeístas. Atualmente, existem pessoas que consultam clarividentes. O profeta afirmava que entrava em contato com Deus, mas quem poderia garantir a veracidade disso? Assim como existe charlatanismo hoje, podia existir naquele tempo. Existem videntes charlatões e certamente deviam existir profetas charlatões. Muitos prosélitos podem alegar que os profetas tinham contato com Deus e os clarividentes de hoje têm com espíritos, que muitos fiéis afirmam serem demônios (anjos caídos), mas o episódio narrado neste capítulo do primeiro livro de Reis trata de um contato de Deus com um espírito e este último contata os profetas. Isto evidencia que os profetas comunicavam-se com espíritos, assim como os clarividentes da atualidade. Os profetas de ontem eram os médiuns (videntes, clarividentes, paranormais, sensitivos, etc.) de hoje. Da mesma forma que um espírito zombeteiro enganou e engana os sensitivos de todas as épocas, quem pode garantir que muitos profetas bíblicos não foram enganados por espíritos que se passavam por Deus, a despeito de que a própria Bíblia afirma, em outros trechos, que jamais alguém viu Deus ou poderia vê-Lo. Então como pode algum profeta ter visto Deus? Temos aí outra contradição.
Não há diferença entre as consultas aos profetas, narrada nas passagens bíblicas, e uma consulta, por exemplo, a um pai-de-santo em um terreiro de umbanda, e com um agravante: O Deus bíblico se revela, em muitos trechos, tão humano quanto qualquer um de nós, manifestando-se tal qual um egum kiumba, expressando sentimentos, por vezes, demasiadamente mundanos e até execráveis.

Anônimo disse...

Comentário(s): Estas passagens são partes integrantes da narração de um plano de guerra. Segundo este capítulo, os governantes dos reinos de Israel e Judá planejam atacar a Síria e procuram o vaticínio de profetas para tomada de decisão. Os profetas inquiridos afirmam que obterão sucesso. Porém, um último profeta, levado à presença dos governantes, afirma que Deus autorizou um espírito a induzir os outros profetas à mentira. Este profeta afirma que Deus não só autorizou como também ordenou que o tal espírito agisse assim para que o governante de Israel caísse em um engodo. Neste trecho, Deus foi totalmente conivente com uma mentira. Isto contradiz o mandamento de não mentir. Se Deus ordena que um espírito ludibrie os profetas para que estes digam ao governante que ele triunfará, sendo que, na verdade, ele sucumbirá, então, Deus está induzindo os profetas a levantar falso testemunho contra o próximo, que neste caso é o governante de Israel. Falso testemunho, porque os profetas atribuíram ao governante um êxito que ele não teria em certa ação (é o mesmo que afirmar que alguém cometerá um crime que não cometerá ou vencerá uma eleição que não vencerá. É falso testemunho tanto quanto afirmar que outrem cometeu um crime sem tê-lo feito. Independente de ser passado, presente ou futuro.). O Deus bíblico quebrou um de seus mandamentos mais uma vez.

Anônimo disse...

Êxodo, capítulo 20, verso 16: “Não dirás falso testemunho contra o teu próximo”.
Comentário(s): Dez mandamentos. Proibição da mentira; da calúnia; da difamação.
I Reis, capítulo 22, versos de 19 a 23: “[19] Então ele disse: Ouve, pois, a palavra do SENHOR: Vi ao SENHOR assentado sobre o seu trono, e todo o exército do céu estava junto a ele, à sua mão direita e à sua esquerda. [20] E disse o SENHOR: Quem induzirá Acabe, para que suba, e caia em Ramote de Gileade? E um dizia desta maneira e outro de outra. [21] Então saiu um espírito, e se apresentou diante do SENHOR, e disse: Eu o induzirei. E o SENHOR lhe disse: Com quê? [22] E disse ele: Eu sairei, e serei um espírito de mentira na boca de todos os seus profetas. E ele disse: Tu o induzirás, e ainda prevalecerás; sai e faze assim. [23] Agora, pois, eis que o SENHOR pôs o espírito de mentira na boca de todos estes teus profetas, e o SENHOR falou o mal contra ti”.

Suriman disse...

Deseja saber as origens e a verdade por trás das religiões dominantes?
Leia um excelente livro, todo baseado em pesquisa séria, coerente e sem proselitismos. Leia QUIMERA e surpreenda-se. Disponível em http://www.clubedeautores.com.br/book/27985--QUIMERA

dada disse...

Realmente se alguém crê na BÍBLIA não pode acreditar em espiritismo, porém a minha fé não está na Biblia e sim no CRISTO, com exemplos de paz e amor , não de acusação ou de julgamento. Em 33 anos de vida, Jesus não acusou ninguém de nada, só pediu que saíssem os vendedores da frente dos templos, só. Não disse que fulano estava errado que era falso ou isso ou aquilo, devemos nos assemelhar ao mestre e não ao demônio como dizem que é o acusador. Se você acha que descobriu a verdade do universo, seja feliz meu irmão, e tome-a pra vc, como sendo um bálsamo para a sua alma, mas não tente "enfiar" na cabeça das pessoas que as outras pessoas que pensam ao contrário de vc não prestam. Seja mais humilde, isso sim é ser cristão.

Luiz Roberto Turatti disse...

“O diálogo com quem já foi para outro mundo é uma das bases do espiritismo, religião que tem origem na França do século XIX, mas floresceu unicamente no Brasil.”

“Não há rebanhos espíritas significativos em nenhum outro lugar do planeta — a não ser em países com grande concentração de imigrantes brasileiros, como o Japão e os Estados Unidos. Em seu país de origem (França), o espiritismo é confundido com bruxaria.”

Fonte: Veja/Especial, Edição 2182, 15/09/2010, páginas 134/144. Trechos da reportagem “O Brasil esotérico”.

Luiz Roberto Turatti disse...

“‘O espiritismo atrai muitos praticantes católicos no Brasil por não se apresentar como uma religião concorrente, que exige um rompimento com a Igreja Católica, por ter poucos dogmas e nenhuma hierarquia’, diz o sociólogo Antônio Flávio Pierucci, especialista em religiões da Universidade de São Paulo.”

“O espiritismo foi codificado em 1857 pelo pedagogo Hippolyte Léon Denizard Rivail, vulgo Allan Kardec. Na França, Kardec é considerado um pensador de pouca impotância por não ter dado nenhuma contribuição à história da filosofia. No Brasil, suas teorias encontraram terreno fértil numa sociedade habituada a conviver com a crença nos espíritos e na reencarnação.”

Fonte: Veja/Especial, Edição 2182, 15/09/2010, páginas 134/144. Trechos da reportagem “O Brasil esotérico”.

Gilgamesh disse...

Turatti, te encontrei aqui. De novo com os conceitos ultrapassados, para denegrir o Espiritismo e fazer proselitismo católico, lançando mão do velho ardil de fingir que é cético?
Para iniciar, alguns comentários de estudiosos da área Psi, à guisa de epígrafe:
“A obra de Quevedo não é fácil de ser julgada. Por um lado, seus conhecimentos sobre a história da Parapsicologia parecem ser vastos e impressionantes. No entanto, há razões mais que suficientes para concluir que Quevedo utiliza tal conhecimento para justificar seus fortes preconceitos ideológicos e teóricos, os quais evidentemente guardam certo compromisso com determinadas doutrinas da Igreja Católica. Portanto há, justificativa suficiente para rotular o Pe.Quevedo não como parapsicólogo, mas sim como um autor proselitista que deseja impulsionar de maneira desmedida sua ideologia católica.”
Dr. Alfono Martinez-Taboas, membro da Parapsychological Association, em seu artigo “Uma Revisão Crítica dos livros do Pe. Quevedo”.
“Turatti usa de recursos argumentativos já fora de moda desde a Idade Média e que são absolutamente execrados no meio acadêmico e científico. É costumeiro que ele apresente Quevedo como formado nisso, naquilo, como doutor (inclusive em maiúsculas), como se esses títulos fossem garantia de que Quevedo tivesse razão no que afirma! O argumento de autoridade é uma bobagem e algo absolutamente desnecessário, a não ser para aqueles que não podem apresentar argumentos. Doutor por doutor, eu também sou! E daí? Não concordo com Quevedo! Respeito o ser humano, mas não concordo com muitas de suas idéias! Os mais de “50 anos” de estudo não garantem que Quevedo saiba mais do que qualquer pessoa. Se assim fosse, como ficaria Quevedo frente a um espírita que estudou por mais de “60 anos”? Ora, são argumentos desprezíveis e infundados. Mas, para quem não tem argumentos… é uma saída, apesar de pouco honrosa…”
Dr. Wellington Zangari, coorndenador do núcleo InterPsi, da PUC de São Paulo.
*** Saiba mais em http://oespiritualismoocidental.blogspot.com/2010/03/padre-quevedo-e-luiz-roberto-turatti.html

Gilgamesh disse...

Turatti, te encontrei aqui. De novo com os conceitos ultrapassados, para denegrir o Espiritismo e fazer proselitismo católico, lançando mão do velho ardil de fingir que é cético?
Para iniciar, alguns comentários de estudiosos da área Psi, à guisa de epígrafe:
“A obra de Quevedo não é fácil de ser julgada. Por um lado, seus conhecimentos sobre a história da Parapsicologia parecem ser vastos e impressionantes. No entanto, há razões mais que suficientes para concluir que Quevedo utiliza tal conhecimento para justificar seus fortes preconceitos ideológicos e teóricos, os quais evidentemente guardam certo compromisso com determinadas doutrinas da Igreja Católica. Portanto há, justificativa suficiente para rotular o Pe.Quevedo não como parapsicólogo, mas sim como um autor proselitista que deseja impulsionar de maneira desmedida sua ideologia católica.”
Dr. Alfono Martinez-Taboas, membro da Parapsychological Association, em seu artigo “Uma Revisão Crítica dos livros do Pe. Quevedo”.
“Turatti usa de recursos argumentativos já fora de moda desde a Idade Média e que são absolutamente execrados no meio acadêmico e científico. É costumeiro que ele apresente Quevedo como formado nisso, naquilo, como doutor (inclusive em maiúsculas), como se esses títulos fossem garantia de que Quevedo tivesse razão no que afirma! O argumento de autoridade é uma bobagem e algo absolutamente desnecessário, a não ser para aqueles que não podem apresentar argumentos. Doutor por doutor, eu também sou! E daí? Não concordo com Quevedo! Respeito o ser humano, mas não concordo com muitas de suas idéias! Os mais de “50 anos” de estudo não garantem que Quevedo saiba mais do que qualquer pessoa. Se assim fosse, como ficaria Quevedo frente a um espírita que estudou por mais de “60 anos”? Ora, são argumentos desprezíveis e infundados. Mas, para quem não tem argumentos… é uma saída, apesar de pouco honrosa…”
Dr. Wellington Zangari, coorndenador do núcleo InterPsi, da PUC de São Paulo.
*** Saiba mais em http://oespiritualismoocidental.blogspot.com/2010/03/padre-quevedo-e-luiz-roberto-turatti.html

Gilgamesh disse...

Turatti, te encontrei aqui. De novo com os conceitos ultrapassados, para denegrir o Espiritismo e fazer proselitismo católico, lançando mão do velho ardil de fingir que é cético?
Para iniciar, alguns comentários de estudiosos da área Psi, à guisa de epígrafe:
“A obra de Quevedo não é fácil de ser julgada. Por um lado, seus conhecimentos sobre a história da Parapsicologia parecem ser vastos e impressionantes. No entanto, há razões mais que suficientes para concluir que Quevedo utiliza tal conhecimento para justificar seus fortes preconceitos ideológicos e teóricos, os quais evidentemente guardam certo compromisso com determinadas doutrinas da Igreja Católica. Portanto há, justificativa suficiente para rotular o Pe.Quevedo não como parapsicólogo, mas sim como um autor proselitista que deseja impulsionar de maneira desmedida sua ideologia católica.”
Dr. Alfono Martinez-Taboas, membro da Parapsychological Association, em seu artigo “Uma Revisão Crítica dos livros do Pe. Quevedo”.
“Turatti usa de recursos argumentativos já fora de moda desde a Idade Média e que são absolutamente execrados no meio acadêmico e científico. É costumeiro que ele apresente Quevedo como formado nisso, naquilo, como doutor (inclusive em maiúsculas), como se esses títulos fossem garantia de que Quevedo tivesse razão no que afirma! O argumento de autoridade é uma bobagem e algo absolutamente desnecessário, a não ser para aqueles que não podem apresentar argumentos. Doutor por doutor, eu também sou! E daí? Não concordo com Quevedo! Respeito o ser humano, mas não concordo com muitas de suas idéias! Os mais de “50 anos” de estudo não garantem que Quevedo saiba mais do que qualquer pessoa. Se assim fosse, como ficaria Quevedo frente a um espírita que estudou por mais de “60 anos”? Ora, são argumentos desprezíveis e infundados. Mas, para quem não tem argumentos… é uma saída, apesar de pouco honrosa…”
Dr. Wellington Zangari, coorndenador do núcleo InterPsi, da PUC de São Paulo.
*** Saiba mais em http://oespiritualismoocidental.blogspot.com/2010/03/padre-quevedo-e-luiz-roberto-turatti.html

Karla Valeria disse...

Tb concordo com vc sobre Chico Xavier, quem vê cara não vê coração, não podemos afirmar que este foi bom pq viveu na pobreza, de fato Chico poderia até ter feito caridade mas se esqueceu de dar graças e louvores a quem merece e assim deixou várias pessoas serem enganadas tb, pois não acreditam em JESUS como Deus e não aceitam sua redenção para nos salvar, ninguém sem Jesus pode ser bom e se salvar só.

Qto a um anônimo que falou das aparições da virgem Maria em Fátima, essas aparições ocorreram sem ninguém chama-la, ela não trouxe nenhum anatema ou sejá algum ensinamento que não condiz com o que a Bíblia explica por isso sabemos que não é um demônio, e outra Maria Santíssima foi levada aos céus e se Deus permite que alguém venha a passar mensagem mas sem nós querermos comunicar com este humano, isso é Deus que quis assim, o errado é querer se comunicar com mortos ou como está na Bíblia se algum anjo descer e lhe dizer algo que não está nos ensinamentos da Bíblia não creia pois é anatema, pode ser um demònio. A igreja católica não acredita em espíritismo, evocação de mortos, isso de nenhuma forma contradia a aparição da virgem de Fátima. Espíritas fazem de td pra tentar confundir e assim dividir.

Anônimo disse...

Dizer q. Chico é uma farsa ñ faz sentido pois ñ levava vantagem nenhuma com o q fazia , era uma pessoa pobre e simples q vivia sem conforto seu único objetivo era fazer o bem a caridade ao contrário do q se vê na maioria das religiões onde se busca fortuna pessoal , imaginem se os pastores , padres e bispos fossem como chico se a fortuna q arrecadam fossem destinadas a caridade como fez o chico , teríamos um mundo melhor e mais justo ñ acham? , mas infelizmente o ser humano é extremamente vaidoso e quando aparece um grande exemplo como chico querem destruílo pelo simples fato de ser espírita se ele fosse de outra religiao seria glorificado viraria santo ou algo parecido.

simone disse...

Lendo tudo isso fiquei refletindo ..QUEM são voces para julgarem..por acaso detém a Palavra...ou essa é livre e sopra na direção que o Espírito santo o desejar...Chico o conheci pessoalmente era um homem humilde , bom , desprovido de vaidade, humano e acima de tudo só praticou o bem ...Se via pessoas mortas , agraciado era ele ..pois JESUS no MONTE da transfiguração viu e conversou com MOISÉS e ELIAS ...mostrando que há vida além desse mundo ..SIM....
Vcs ficam em suas igrejas ...só pedindo favores a Deus , benefícios materiais , dinheiro , emprego , moradia ....Chico apenas consolava as pessoas que haviam perdido seus parentes, davam lhe esperança no dia de amanha e na certeza do ETERNO ..vcs ainda enxergarão o quanto estão errados ...Simone

Alguns princípios do editor deste blog

Para você que lê o que escrevo neste espaço, precisamos comunicar alguns princípios:
1) Os estudos, artigos e reflexões teológicas não seguem uma linha de teologia denominacional, mas de estudos pessoais. Eu não fico aqui defendendo a minha denominação, que é outro tipo de abordagem, o qual respeito, mas não pratico neste blog.
2) Não pretendo agradar nem machucar ninguém.
3) Não escrevo manietado por interesses nem pressões. Sigo minha consciência, e penso escrever de acordo com a Bíblia.
4) O que escrevo é o que escrevo. Não estou preocupado se as pessoas interpretam mal ou ficam criando significados diversos daquilo que o texto diz. Minha preocupação é dizer o que penso, e creio que meu Português não seja tão ruim a ponto de dizer algo diferente daquilo que quis dizer.
5) Sou aberto a críticas e respeito opiniões divergentes.
6) Minha intenção não é polemizar, ainda que meus pensamentos possam ser objeto de eventual polêmica.
7) O que escrevo aqui concerne ao trabalho independente de um aprendiz da Teologia, e por isso não estou representando minha denominação - é bom frisar.
8) Se quisermos um rótulo, sou um “pentecostal histórico moderado”: estou começando a entender que a plenitude do Espírito tem dois aspectos - moral (At 6.3; 11.24; Gl 5.22,23; Ef 5.18-21) e carismático (At 2.1-4; 4.31; 6.8) - e que o batismo com o Espírito Santo pode ser evidenciado por outros sinais que não a glossolalia, como o profetizar (At 2.1-4; 8.17; 10.44-47; 19.6). Creio que, de algum modo, os dons espirituais estão relacionados à plenitude do Espírito, mas não consigo compreender que as línguas estranhas sejam sinal sine qua non do batismo com o Espírito Santo. Entendo que o batismo com o Espírito Santo tem o propósito de capacitar a igreja para a evangelização (At 1.8), com o incremento de dons, e não para que se exalte o dom de línguas em detrimento dos demais. Quero destacar, acima de tudo, que nessa questão eu tenho ainda mais perguntas do que respostas, mas sou honesto em admitir isso.
9) Tenho um juízo crítico muito aguçado, e uma pena algo contundente. Se o leitor se assustar com isso, me perdoe.
10) Quanto à escatologia e interpretação do Apocalipse, não adoto a priori nenhuma corrente teológica, mas tão-somente a análise textual, naquela perspectiva da Teologia Bíblica.
11) Por fim, tenho convicção de que o SENHOR me chamou para pregar e para ensinar oralmente ou por escrito. Tenho convicção de que devo militar na área da educação cristã e da teologia. Se isso servir de ajuda, estou apenas tentando cumprir o meu chamado.


Fale comigo!

Gostaria de estabelecer contato com você. Talvez pensemos a respeito dos mesmos assuntos, e o diálogo é sempre bem-vindo e mais que necessário. Meu e-mail é alexesteves.rocha@gmail.com. Você poderá fazer sugestões de artigos, dar idéias para o formato do blog, tecer alguma crítica ou questionamento. Fique à vontade. Embora o blog seja uma coisa pessoal por natureza, gostaria de usar este espaço para conhecer um pouco de quem está do outro lado. Um abraço.

Para pensar:

Um dos terríveis problemas da Igreja evangélica brasileira é a falta de conhecimento da Bíblia como um sistema coerente de princípios, promessas e relatos que apontam para Cristo como Criador, Sustentador e Salvador. Em vez disso, prega-se um "jesus" diminuído, porque criado à imagem de seus idealizadores, e que faz uso de textos bíblicos isolados, como se fossem amuletos, peças mágicas a serem usadas ao bel-talante do indivíduo.

Arquivo do blog

Bases de Fé

Creio:
Em um só Deus e na Trindade.
Na inspiração verbal da Bíblia Sagrada, única regra infalível de fé normativa para a vida e o caráter cristão.
Na concepção virginal de Jesus, em sua morte vicária e expiatória, em sua ressurreição corporal e sua ascensão aos céus.
Na pecaminosidade do homem, e que somente o arrependimento e a fé na obra expiatória e redentora de Jesus Cristo é que pode salvá-lo.
Na necessidade absoluta do novo nascimento pela fé em Cristo e pelo poder atuante do Espírito Santo e da Palavra de Deus, para tornar o homem digno do Reino dos Céus.
No perdão dos pecados, na salvação presente e perfeita e na eterna justificação da alma recebidos gratuitamente de Deus pela fé no sacrifício efetuado por Jesus Cristo em nosso favor.
No batismo bíblico em águas, em nome do Pai, do Filho e do Espírito Santo, conforme determinou o Senhor Jesus Cristo.
Na necessidade e na possibilidade que temos de viver vida santa mediante a obra expiatória e redentora de Jesus, através do poder do Espírito Santo.
No batismo bíblico no Espírito Santo que nos é dado por Deus mediante a intercessão de Cristo.
Na atualidade dos dons espirituais distribuídos pelo Espírito Santo à Igreja para sua edificação, conforme a sua soberana vontade.
Na Segunda Vinda de Cristo.
Que todos os cristãos comparecerão ante o Tribunal de Cristo.
No juízo vindouro que recompensará os fiéis e condenará os infiéis.
E na vida eterna para os fiéis e morte eterna para os infiéis.