quarta-feira, 7 de abril de 2010

E depois tem gente querendo ser apóstolo...

O condenado entra na sala para o cumprimento da sentença. O juiz ordena e o carrasco dá 39 açoites, porque a pena é de 40, mas não se dão todos eles por uma margem de erro - já que a lei determina que o exagero da pena promove o desprezo do réu, e ninguém quer ser culpado de impor penas exageradas.
O condenado recebe a ordem de deitar-se no chão. Ele tem que ficar com as costas para cima, pois irá receber as pancadas. E isso ainda ocorrerá outras quatro vezes, por situações diferentes, e sem nenhum fundamento.
Noutra ocasião, o mesmo homem sofre um apedrejamento. Ele não tem culpa, mas fica aparentemente morto, de tal modo que os seus ofensores o deixam para ser comido pelos abutres. Só não morreu porque foi cuidado por pessoas que o conheciam. Mas o atentado pode ter deixado marcas indeléveis, doenças para toda a vida.
Esse mesmo homem também sofreu uma punição com varas por três vezes. Foi preso injustamente, e, segundo a tradição, foi decapitado. Em sua missão, não cometeu crimes.
Refiro-me ao apóstolo Paulo, o mesmo Saulo de Tarso. Homem erudito, cidadão de três culturas - judaica, romana e grega -, Paulo tinha uma mente privilegiada. Escrevia em grego, conhecia seus direitos de cidadão romano, era versado em todo o conhecimento dos hebreus, poesias gentílicas e filosofias. Era um homem culto, fora formado na Escola de Gamaliel. Dizem que era membro do Sinédrio. Pedro reconhece que suas Cartas eram "difíceis de entender".
Bater num homem, humilhá-lo, desprezá-lo, arrancar-lhe sangue, fazer com que ele sinta dor física e dor moral, isso é uma coisa horrível, deprimente. Paulo sofreu essas coisas. Jesus o avisara: "Mostrar-te-ei o quanto importa sofrer em meu Nome".
Todavia, Paulo fora talhado para a sua missão. Deus o escolheu, consagrou e preparou. Não era um intruso, um voluntarista, um egocêntrico. Não quis aparecer. Na verdade, seu trabalho não teve glória humana.
Penso que esses falsos apóstolos da atualidade veem a Bíblia sem a seriedade necessária. Talvez enxerguem a Bíblia com um olhar hollywoodiano. Não entendem que o apostolado é um dom especialíssimo, e não um cargo ou título. Esses indivíduos não são apóstolos. São impostores.
Se Paulo pudesse olhar para a face desses falsos apóstolos, o que ele pensaria? Fico com vergonha pelos "apóstolos" brasileiros. Que decepção!
Voltemos à cena do condenado na sala em que receberá os 39 açoites. Paulo sabe que nada fez de errado para merecer aquela punição. Ele apenas pregou o Evangelho. Anunciou a redenção na Pessoa de Jesus Cristo. Ele disse que Jesus de Nazaré é o Filho de Deus, Aquele predito pelos antigos profetas. Ele disse que Jesus ressuscitou, e que tudo o que fez serviu para a Salvação dos pecadores. Foi esse o seu "crime".
O apostolado de Paulo sempre esteve cercado de injúrias, prisões, sofrimentos, dificuldades com os irmãos, com os judeus, com os gentios, fome, privações, além das atividades normais do ministério. Ele foi um homem autêntico, não um arremedo de líder. Paulo não foi um homem deste mundo.
É extremamente constrangedor para a Igreja brasileira aceitar que homens se autoproclamem "apóstolos". Mais do que bispos ou pastores, agora eles são "apóstolos". Depois, o que mais quererão ser? Vigários de Cristo? Anjos? Ridículos esses senhores. Mais ridículos ainda aqueles que os seguem.
Fico muito chateado com toda essa tolice.



2 comentários:

francisco disse...

Otimo texto ! MAS lamento , esqeuceu que hoje estao prendendo apostolos inustamente ? na america do norte tem um grande pregador preso por ficar com seu direito de salario, alguns milhoes ofertados pela tv, no brasil um apostolo foi preso antes de se consagrar a apostolo com uma escopeta e umas carabinas para caçar elefantes em sao paulo
outro dia foi preso um com miseros milhares de dolares nao declarados,
tem ums profetas que compraram quase um estado americano sendo investigado injustamente pelas altoridades americanas

sao tantas injustiças
aproveito para colocar para vossa apreciaçao esse brilhante sermao que disrcordo apenas de um intem mal colocado
http://www.youtube.com/watch?v=UF9fg_wD0QU&NR=1 o que fala da proibiçao de pedir bens materiais

João Armando disse...

Bom texto. Não é só no quesito "sofrimento" que os apóstolos hodiernos diferem dos neotestamentários. Paulo e os demais pregavam, viajavam, abriam trabalhos... Hoje em dia, pensam que são supervisores que ficam sentados nos seus escritórios com ar condicionado, vigilância armada, motoristas, carros (e aviões particulares) de luxo... E sair, ganhar almas que é bom, nada.

Fale comigo!

Gostaria de estabelecer contato com você. Talvez pensemos a respeito dos mesmos assuntos, e o diálogo é sempre bem-vindo e mais que necessário. Meu e-mail é alexesteves.rocha@gmail.com. Você poderá fazer sugestões de artigos, dar idéias para o formato do blog, tecer alguma crítica ou questionamento. Fique à vontade. Embora o blog seja uma coisa pessoal por natureza, gostaria de usar este espaço para conhecer um pouco de quem está do outro lado. Um abraço.

Para pensar:

Um dos terríveis problemas da Igreja evangélica brasileira é a falta de conhecimento da Bíblia como um sistema coerente de princípios, promessas e relatos que apontam para Cristo como Criador, Sustentador e Salvador. Em vez disso, prega-se um "jesus" diminuído, porque criado à imagem de seus idealizadores, e que faz uso de textos bíblicos isolados, como se fossem amuletos, peças mágicas a serem usadas ao bel-talante do indivíduo.

Arquivo do blog

Bases de Fé

Creio:
Em um só Deus e na Trindade.
Na inspiração verbal da Bíblia Sagrada, única regra infalível de fé normativa para a vida e o caráter cristão.
Na concepção virginal de Jesus, em sua morte vicária e expiatória, em sua ressurreição corporal e sua ascensão aos céus.
Na pecaminosidade do homem, e que somente o arrependimento e a fé na obra expiatória e redentora de Jesus Cristo é que pode salvá-lo.
Na necessidade absoluta do novo nascimento pela fé em Cristo e pelo poder atuante do Espírito Santo e da Palavra de Deus, para tornar o homem digno do Reino dos Céus.
No perdão dos pecados, na salvação presente e perfeita e na eterna justificação da alma recebidos gratuitamente de Deus pela fé no sacrifício efetuado por Jesus Cristo em nosso favor.
No batismo bíblico em águas, em nome do Pai, do Filho e do Espírito Santo, conforme determinou o Senhor Jesus Cristo.
Na necessidade e na possibilidade que temos de viver vida santa mediante a obra expiatória e redentora de Jesus, através do poder do Espírito Santo.
No batismo bíblico no Espírito Santo que nos é dado por Deus mediante a intercessão de Cristo.
Na atualidade dos dons espirituais distribuídos pelo Espírito Santo à Igreja para sua edificação, conforme a sua soberana vontade.
Na Segunda Vinda de Cristo.
Que todos os cristãos comparecerão ante o Tribunal de Cristo.
No juízo vindouro que recompensará os fiéis e condenará os infiéis.
E na vida eterna para os fiéis e morte eterna para os infiéis.