sexta-feira, 15 de janeiro de 2010

Agora foi a vez do Cônsul-Geral do Haiti

Depois de Pat Robertson, ontem foi a vez de o Cônsul-Geral do Haiti no Brasil, Sr. George Samuel Antoine, falar besteira sobre a tragédia em seu país. Em matéria veiculada pelo SBT, vê-se que, sem saber que estava sendo gravado, o Sr. Antoine diz que o que tem ocorrido no Haiti é bom para eles, porque os torna conhecidos. Diz, ainda, que africano é amaldiçoado, e que tudo é resultado da prática da macumba. Segundo a reportagem, ele mesmo tem mais de cem parentes naquele país, e mesmo assim abre a boca para demonstrar seu preconceito racial e religioso em meio a essa catástrofe.
Esse diplomata haitiano está sendo racista porque, ao falar que africano é amaldiçoado, está atacando a etnia negra, que forma a maioria dos habitantes do Haiti, descendentes de escravos. E está sendo preconceituoso com a religião de matriz africana, pois, por mais que discorde do vodu, do candomblé e de outras correntes, como eu discordo, não pode associar uma tragédia natural à prática de uma religião. Isso é no mínimo falta de misericórdia com o seu próprio povo.
Mas, apesar das bobagens faladas por um telepastor norte-americano e por um diplomata haitiano, vale destacar a solidariedade de países, artistas, empresários, militares, médicos, organizações não-governamentais, missionários, enfim, a solidariedade internacional em favor do Haiti. Um país pobre e em construção institucional e material ser vitimado por um terremoto de grandes proporções é coisa para comover qualquer pessoa. Outros países sofrem frequentes terremotos, como o Japão, que tem, em média, três tremores diários. Todavia, os japoneses têm conhecimento, dinheiro e organização para evitar danos pessoais e materiais, e o fazem com sucesso. Na realidade, a maior de todas as tragédias não é de ordem natural. Os mais graves problemas, os que mais chocam, são os que decorrem da ação ou da inação humana, como a miséria, a corrupção e a injustiça social.

Um comentário:

João Armando disse...

O cônsul errou e acertou. Pois é. Vejamos:
a) Errou muito como profissional. A última coisa que poderia ter dito um CÔNSUL, logo de onde, de que povo... era dizer o que disse.
b) Acertou ao dizer que o povo negro é amaldiçoado. Choquei? Entendo... mas não sou racista. Repito - os negros são amaldiçoados! Mas antes que me processem por racismo, devo acrescentar - também os BRANCOS, todos, os mestiços, os asiáticos... Toda a raça humana. Com a exceção do povo de Deus, a quem Jesus salvou e levou sobre si a maldição do pecado, TODA A RAÇA HUMANA - independentemente da cor da pele, nasce já amaldiçoada pelo pecado.
c) Ele errou ao pretender negar o inegável, no dia seguinte, ao ser confrontado com os fatos. Disse que não disse, e com isso enrolou-se mais ainda. Isso me fez pensar no Dia do Juízo, quando tantas palavras serão publicadas dos eirados...
Mas ironias à parte, que Deus tenha misericórdia daquele povo. Que o povo de Deus se lembre deles nesta hora, também.

Fale comigo!

Gostaria de estabelecer contato com você. Talvez pensemos a respeito dos mesmos assuntos, e o diálogo é sempre bem-vindo e mais que necessário. Meu e-mail é alexesteves.rocha@gmail.com. Você poderá fazer sugestões de artigos, dar idéias para o formato do blog, tecer alguma crítica ou questionamento. Fique à vontade. Embora o blog seja uma coisa pessoal por natureza, gostaria de usar este espaço para conhecer um pouco de quem está do outro lado. Um abraço.

Para pensar:

Um dos terríveis problemas da Igreja evangélica brasileira é a falta de conhecimento da Bíblia como um sistema coerente de princípios, promessas e relatos que apontam para Cristo como Criador, Sustentador e Salvador. Em vez disso, prega-se um "jesus" diminuído, porque criado à imagem de seus idealizadores, e que faz uso de textos bíblicos isolados, como se fossem amuletos, peças mágicas a serem usadas ao bel-talante do indivíduo.

Arquivo do blog

Bases de Fé

Creio:
Em um só Deus e na Trindade.
Na inspiração verbal da Bíblia Sagrada, única regra infalível de fé normativa para a vida e o caráter cristão.
Na concepção virginal de Jesus, em sua morte vicária e expiatória, em sua ressurreição corporal e sua ascensão aos céus.
Na pecaminosidade do homem, e que somente o arrependimento e a fé na obra expiatória e redentora de Jesus Cristo é que pode salvá-lo.
Na necessidade absoluta do novo nascimento pela fé em Cristo e pelo poder atuante do Espírito Santo e da Palavra de Deus, para tornar o homem digno do Reino dos Céus.
No perdão dos pecados, na salvação presente e perfeita e na eterna justificação da alma recebidos gratuitamente de Deus pela fé no sacrifício efetuado por Jesus Cristo em nosso favor.
No batismo bíblico em águas, em nome do Pai, do Filho e do Espírito Santo, conforme determinou o Senhor Jesus Cristo.
Na necessidade e na possibilidade que temos de viver vida santa mediante a obra expiatória e redentora de Jesus, através do poder do Espírito Santo.
No batismo bíblico no Espírito Santo que nos é dado por Deus mediante a intercessão de Cristo.
Na atualidade dos dons espirituais distribuídos pelo Espírito Santo à Igreja para sua edificação, conforme a sua soberana vontade.
Na Segunda Vinda de Cristo.
Que todos os cristãos comparecerão ante o Tribunal de Cristo.
No juízo vindouro que recompensará os fiéis e condenará os infiéis.
E na vida eterna para os fiéis e morte eterna para os infiéis.