quinta-feira, 14 de janeiro de 2010

Mão Santa para Vice-Presidente?

Anteontem, deparei com um vídeo no "site" do uol em que o senador piauiense Mão Santa (PSC), entrevistado por uma TV do seu Estado, falava de sua mais nova pretensão: candidatar-se a Vice-Presidente na chapa de José Serra (PSDB-SP).
Mão Santa dizia que a ideia fora cogitada pelo ex-presidente Fernando Henrique Cardoso num jantar informal. Falando das possibilidades para vice de Serra, FHC teria comentado sobre um candidato a vice nordestino, região em que os tucanos têm pouca penetração. Esse candidato não deveria ser baiano para não incomodar os pernambucanos, nem pernambucano para não incomodar os baianos. Assim, teria citado o Mão Santa, por sua popularidade e capacidade de falar com o povo.
Mão Santa - cujo nome é Francisco de Assis Moraes Souza - foi prefeito, deputado e governador do Piauí de 1995 a 2001, tendo sido cassado pelo Tribunal Superior Eleitoral por abuso do poder econômico. Em 2002, foi eleito senador da República, e desde 2003 já fez mais de 1000 discursos da tribuna do Senado, muitos deles na segunda e na sexta, quando não há uma alma viva naquele lugar, senão ele, para ser gravado pela TV Senado e pela Rádio Senado.
Com suas múltiplas aparições, Mão Santa ficou conhecido de muitos espectadores pelo Brasil afora. Não tem peso político como um José Sarney ou um Renan Calheiros, nem oratória elegante como um Arthur Virgílio; tampouco desfruta do conhecimento de um Aloizio Mercadante ou de uma Marina Silva. Mas, com seus apartes e discursos extensos e engraçados, com sua verborragia pretensamente erudita, chama a atenção do populacho.
Não gosto do estilo de oratória do senador Mão Santa. Suas frequentes citações de Sêneca e Rui Barbosa não tornam o seu discurso bonito nem eficiente. Parecem palavras ao vento, que nem se dão ao trabalho de uma dicção adequada. Gosto apenas de sua coragem de falar contra o petismo, e de sua firmeza em criticar o "Luiz Inácio", como ele chama o presidente. Mas isso é pouco, muito pouco para um estadista.
O senador Mão Santa gaba-se de ser inteligente, cirurgião bem-sucedido por cujo serviço ganhou o apelido que hoje ostenta como político. Acha-se muito bom, o melhor, um grande político. Não vê concorrente para seu desejo de ser candidato a vice. Já se enxerga no Palácio do Jaburu.
Não vejo assim. Tudo bem que ele seja inteligente, mas esse negócio de ser inteligente não diz nada. Muitas pessoas fariam mais que ele se tivessem condições de estudar.
Nascido baiano, toda a minha família é piauiense de Alto Longá, meus pais são primos, têm o Esteves em comum. Desde pequeno, ouço coisas como "Fulano é inteligente", "Fulano não é inteligente, mas é esforçado". Ficou em minha mente a ideia de que os piauienses dão muito valor à inteligência. Não sei, mas me veio essa lembrança quando vi o Mão Santa se gabando dessa qualidade. Todavia, com inteligência ou sem ela, não dá para sustentar uma candidatura tamanha sem outros adjetivos.
Tenho receio de políticos que se arvoram qualificados como "o mais inteligente", "o mais culto", "o mais preparado". Seria como cultuar a personalidade do déspota esclarecido. Num debate eleitoral em 2002, Lula dissera ser a única solução para o país em determinado assunto. Serra, esperto, corrigiu o adversário: não se enxergava como a única solução, mas como "a melhor".
Vejam bem: não tenho nada contra o conterrâneo de meus pais, avós, bisavós etc. Mão Santa parece boa gente, mas para uma conversa à beira do rio Poti. Para ser candidato a Vice-Presidente da República, bem que com sua inteligência e cultura poderia antever os ataques que sofreria. E quanto prejudicaria o candidato Serra...
Ei! Espere aí...Talvez eu tenha subestimado a capacidade do Mão Santa! Quem sabe o que ele quer não é prejudicar o tucano? Eita homem sabido...

Nenhum comentário:

Fale comigo!

Gostaria de estabelecer contato com você. Talvez pensemos a respeito dos mesmos assuntos, e o diálogo é sempre bem-vindo e mais que necessário. Meu e-mail é alexesteves.rocha@gmail.com. Você poderá fazer sugestões de artigos, dar idéias para o formato do blog, tecer alguma crítica ou questionamento. Fique à vontade. Embora o blog seja uma coisa pessoal por natureza, gostaria de usar este espaço para conhecer um pouco de quem está do outro lado. Um abraço.

Para pensar:

Um dos terríveis problemas da Igreja evangélica brasileira é a falta de conhecimento da Bíblia como um sistema coerente de princípios, promessas e relatos que apontam para Cristo como Criador, Sustentador e Salvador. Em vez disso, prega-se um "jesus" diminuído, porque criado à imagem de seus idealizadores, e que faz uso de textos bíblicos isolados, como se fossem amuletos, peças mágicas a serem usadas ao bel-talante do indivíduo.

Arquivo do blog

Bases de Fé

Creio:
Em um só Deus e na Trindade.
Na inspiração verbal da Bíblia Sagrada, única regra infalível de fé normativa para a vida e o caráter cristão.
Na concepção virginal de Jesus, em sua morte vicária e expiatória, em sua ressurreição corporal e sua ascensão aos céus.
Na pecaminosidade do homem, e que somente o arrependimento e a fé na obra expiatória e redentora de Jesus Cristo é que pode salvá-lo.
Na necessidade absoluta do novo nascimento pela fé em Cristo e pelo poder atuante do Espírito Santo e da Palavra de Deus, para tornar o homem digno do Reino dos Céus.
No perdão dos pecados, na salvação presente e perfeita e na eterna justificação da alma recebidos gratuitamente de Deus pela fé no sacrifício efetuado por Jesus Cristo em nosso favor.
No batismo bíblico em águas, em nome do Pai, do Filho e do Espírito Santo, conforme determinou o Senhor Jesus Cristo.
Na necessidade e na possibilidade que temos de viver vida santa mediante a obra expiatória e redentora de Jesus, através do poder do Espírito Santo.
No batismo bíblico no Espírito Santo que nos é dado por Deus mediante a intercessão de Cristo.
Na atualidade dos dons espirituais distribuídos pelo Espírito Santo à Igreja para sua edificação, conforme a sua soberana vontade.
Na Segunda Vinda de Cristo.
Que todos os cristãos comparecerão ante o Tribunal de Cristo.
No juízo vindouro que recompensará os fiéis e condenará os infiéis.
E na vida eterna para os fiéis e morte eterna para os infiéis.