segunda-feira, 28 de janeiro de 2008

Quem é Jesus para você?

O mundo será julgado conforme a maneira com que tratou a Jesus Cristo. No seu caso, Quem você pensa que é Jesus?
Você acha que Jesus foi apenas um líder espiritual?
Você acha que Jesus foi simplesmente o fundador do Cristianismo?
Você acha que Jesus foi um filósofo?
Você acha que Jesus foi um mestre diferente?
Você acha que Jesus foi uma pessoa iluminada que ensinava a fazer o bem?
Você acha que Jesus foi um revolucionário do tipo comunista?
Você acha que Jesus foi um profeta como os demais?
Você acha que Jesus foi um fantasma, um espírito sem corpo, uma emanação divina, uma reencarnação de um deus hindu?
Todas essas respostas seriam absurdamente erradas.
Certa vez, Jesus fez duas perguntas aos Seus discípulos: a) o que as pessoas diziam d'Ele; b) o que Seus discípulos diziam d'Ele.
As pessoas diziam que Jesus era João Batista, Elias ou um dos profetas. Note-se que João estava morto, e que Elias vivera séculos antes. De tão cegos, achavam que Jesus fosse o retorno de João Batista ou de Elias. Numa terceira corrente, achava-se que Jesus fosse um profeta comum.
Mas, ao perguntar a opinião dos Seus seguidores, Jesus ouviu a célebre frase de Pedro: "Tu és o Cristo, o Filho do Deus vivo". Ali estava o fundamento da Igreja - refiro-me a Jesus Cristo, e não ao pecador Pedro (ver Mt 16.13-18).
De uma só vez, Pedro afirmou a divindade e a missão de Jesus, ao utilizar a palavra "Cristo", que significa Messias (Ungido), e ao dizer que Jesus é o Filho de Deus, o que remete à natureza divina do Mestre. O apóstolo foi muito feliz em sua confissão, a qual, segundo Jesus, lhe fora dada por revelação do Pai.
Mas é necessário que essa confissão seja feita por você, pois com a boca se faz confissão para a salvação, e com o coração se crê para a justiça (Rm 10.9,10). Ninguém terá comunhão com Deus se não aceitar a Cristo como SENHOR e Salvador. Ninguém chegará ao Pai se não passar pelo Filho (Jo 14.6).

Nenhum comentário:

Fale comigo!

Gostaria de estabelecer contato com você. Talvez pensemos a respeito dos mesmos assuntos, e o diálogo é sempre bem-vindo e mais que necessário. Meu e-mail é alexesteves.rocha@gmail.com. Você poderá fazer sugestões de artigos, dar idéias para o formato do blog, tecer alguma crítica ou questionamento. Fique à vontade. Embora o blog seja uma coisa pessoal por natureza, gostaria de usar este espaço para conhecer um pouco de quem está do outro lado. Um abraço.

Para pensar:

Um dos terríveis problemas da Igreja evangélica brasileira é a falta de conhecimento da Bíblia como um sistema coerente de princípios, promessas e relatos que apontam para Cristo como Criador, Sustentador e Salvador. Em vez disso, prega-se um "jesus" diminuído, porque criado à imagem de seus idealizadores, e que faz uso de textos bíblicos isolados, como se fossem amuletos, peças mágicas a serem usadas ao bel-talante do indivíduo.

Arquivo do blog

Bases de Fé

Creio:
Em um só Deus e na Trindade.
Na inspiração verbal da Bíblia Sagrada, única regra infalível de fé normativa para a vida e o caráter cristão.
Na concepção virginal de Jesus, em sua morte vicária e expiatória, em sua ressurreição corporal e sua ascensão aos céus.
Na pecaminosidade do homem, e que somente o arrependimento e a fé na obra expiatória e redentora de Jesus Cristo é que pode salvá-lo.
Na necessidade absoluta do novo nascimento pela fé em Cristo e pelo poder atuante do Espírito Santo e da Palavra de Deus, para tornar o homem digno do Reino dos Céus.
No perdão dos pecados, na salvação presente e perfeita e na eterna justificação da alma recebidos gratuitamente de Deus pela fé no sacrifício efetuado por Jesus Cristo em nosso favor.
No batismo bíblico em águas, em nome do Pai, do Filho e do Espírito Santo, conforme determinou o Senhor Jesus Cristo.
Na necessidade e na possibilidade que temos de viver vida santa mediante a obra expiatória e redentora de Jesus, através do poder do Espírito Santo.
No batismo bíblico no Espírito Santo que nos é dado por Deus mediante a intercessão de Cristo.
Na atualidade dos dons espirituais distribuídos pelo Espírito Santo à Igreja para sua edificação, conforme a sua soberana vontade.
Na Segunda Vinda de Cristo.
Que todos os cristãos comparecerão ante o Tribunal de Cristo.
No juízo vindouro que recompensará os fiéis e condenará os infiéis.
E na vida eterna para os fiéis e morte eterna para os infiéis.