quinta-feira, 11 de setembro de 2008

O Sabiá-laranjeira

De uns dias pra cá comecei a ouvir um canto muito bonito de pássaro - é o sabiá-laranjeira, pelo que soube. Eu não entendo nada de pássaros, mas entendo de reconhecer o que é belo.
O sabiá canta todos os dias várias vezes ao dia. Seu canto é firme e naturalmente afinado. Fiquei pensando no motivo de sua aparição, e minha esposa sugeriu que tenha sido pelo corte de uma árvore da vizinhança, onde o sabiá devia ter sua morada. Desalojado, procurou nova habitação, e eis residindo nas copas próximas à nossa casa.
Então, pensei outra coisa: uma árvore teve que ser cortada para que nós pudéssemos ser brindados com um canto tão bonito, e que me faz achar que somos afortunados, bem privilegiados mesmo, no contexto urbano que anda longe dos prazeres bucólicos.
Assim como o sabiá e as árvores, sinto-me às vezes deslocado ou podado. Mas me sinto feliz com o canto serene e perene do alegre sabiá, que, se não canta na árvore de antes, canta agora aos nossos ouvidos, de tal maneira que não acredito ser digno de ouvir um canto dessa magnitude. Assim como não consigo acreditar que de vez em quando as araras campo-grandenses passam rasgando o céu azul bem diante de nossos olhos, no contexto nada bucólico e nada pantaneiro da cidade capital.

Um comentário:

Roger disse...

Que texto bonito, Alex, de arrepiar, como o canto do seu amigo sabiá.

Me fez pensar que há 10 anos não ouço esse canto, nem do pássaro preto... me deu muitas saudades de nosso Brasil! Me fez entender o poeta um pouco mais o poeta exilado.

Fale comigo!

Gostaria de estabelecer contato com você. Talvez pensemos a respeito dos mesmos assuntos, e o diálogo é sempre bem-vindo e mais que necessário. Meu e-mail é alexesteves.rocha@gmail.com. Você poderá fazer sugestões de artigos, dar idéias para o formato do blog, tecer alguma crítica ou questionamento. Fique à vontade. Embora o blog seja uma coisa pessoal por natureza, gostaria de usar este espaço para conhecer um pouco de quem está do outro lado. Um abraço.

Para pensar:

Um dos terríveis problemas da Igreja evangélica brasileira é a falta de conhecimento da Bíblia como um sistema coerente de princípios, promessas e relatos que apontam para Cristo como Criador, Sustentador e Salvador. Em vez disso, prega-se um "jesus" diminuído, porque criado à imagem de seus idealizadores, e que faz uso de textos bíblicos isolados, como se fossem amuletos, peças mágicas a serem usadas ao bel-talante do indivíduo.

Arquivo do blog

Bases de Fé

Creio:
Em um só Deus e na Trindade.
Na inspiração verbal da Bíblia Sagrada, única regra infalível de fé normativa para a vida e o caráter cristão.
Na concepção virginal de Jesus, em sua morte vicária e expiatória, em sua ressurreição corporal e sua ascensão aos céus.
Na pecaminosidade do homem, e que somente o arrependimento e a fé na obra expiatória e redentora de Jesus Cristo é que pode salvá-lo.
Na necessidade absoluta do novo nascimento pela fé em Cristo e pelo poder atuante do Espírito Santo e da Palavra de Deus, para tornar o homem digno do Reino dos Céus.
No perdão dos pecados, na salvação presente e perfeita e na eterna justificação da alma recebidos gratuitamente de Deus pela fé no sacrifício efetuado por Jesus Cristo em nosso favor.
No batismo bíblico em águas, em nome do Pai, do Filho e do Espírito Santo, conforme determinou o Senhor Jesus Cristo.
Na necessidade e na possibilidade que temos de viver vida santa mediante a obra expiatória e redentora de Jesus, através do poder do Espírito Santo.
No batismo bíblico no Espírito Santo que nos é dado por Deus mediante a intercessão de Cristo.
Na atualidade dos dons espirituais distribuídos pelo Espírito Santo à Igreja para sua edificação, conforme a sua soberana vontade.
Na Segunda Vinda de Cristo.
Que todos os cristãos comparecerão ante o Tribunal de Cristo.
No juízo vindouro que recompensará os fiéis e condenará os infiéis.
E na vida eterna para os fiéis e morte eterna para os infiéis.