terça-feira, 2 de setembro de 2008

Sonhar para viver

Os autores de auto-ajuda (evangélica, esotérica, empresarial ou pseudo-psicológica) não patentearam o discurso sobre os sonhos. Discorrer sobre a importância de sonhar não é exclusividade desse pessoal, nem se tornou uma coisa piegas. Sonhar é necessário para que se possa continuar vivo.
Fala-se tanto em sonhos, e de maneira tão errada, que o ato de sonhar ficou banalizado e distorcido. Pregadores evangélicos da linha neopentecostal - hoje imitados por gente pentecostal - têm pregado sobre sonhos como se cada indivíduo tivesse que sonhar com o que eles chamam de "coisas grandes": ascensão ministerial, bens materiais, reconhecimento social.
Em púlpitos antropocêntricos, fala-se comumente de obras portentosas, como pregar em várias nações, ser um pregador de renome, ser "honrado", estar entre os príncipes, "ser cabeça e não cauda", como se o sonho tivesse que ser dirigido a isso. Sonhar passa a ser sinônimo de megalomania, o que naturalmente induz a diversas patologias emocionais dentro das igrejas.
Mas, como eu disse no início, esse pessoal não patenteou os sonhos. Podemos discorrer sobre sonhos de um modo honesto e bíblico. Aliás, sonhar é preciso para que a pessoa continue tendo forças para viver. É uma questão de psicologia mesmo, da própria natureza humana.
Este texto me vem à mente agora porque hoje minha esposa me falava sobre o seu conceito de sonho, que é ir além da realidade. Sim, sonhar com o que já existe não é sonhar. O sonho precisa ir além, alcançar horizontes mais distantes que os nossos próprios olhos tão limitados. Esse é um combustível e tanto!
Ter os pés no chão e a mente no infinito - eis um ponto de equilíbrio para o sonhador. Planejar direitinho, trabalhar com dedicação, e esperar contra a esperança, à moda do apóstolo Paulo...
Quem deu sonhos a José? E no seu caso foram sonhos enquanto dormia, mas sonhos que o motivaram e certamente o ajudaram a vencer os longos anos de prisão no Egito. Imagino que, tendo sido vendido como escravo por seus irmãos e acusado injustamente de assédio sexual, José só manteve sua fé porque Deus já lhe havia falado primeiro. Ele tinha em Quem confiar, e foi esse Deus que lhe concedeu sonhos quando ainda bem jovem. O jovem escravo e prisioneiro tornou-se governador da mais importante nação do mundo, algo que não lhe subiu ao coração, mas que lhe fora, de algum modo, antecipado pelo SENHOR por meio dos sonhos antigos.
Na semana passada, precisamente no dia 28 de agosto, Barack Obama discursou, sendo ele o primeiro negro com chances reais de se tornar presidente dos Estados Unidos. Era o aniversário de 45 anos do memorável discurso I Have a Dream ("Eu Tenho um Sonho"), de Martyn Luther King, o pregador batista que iniciou um grande movimento por direitos civis entre os americanos. Seu sonho está se cumprindo no decurso das décadas, e jamais ele poderia imaginar que 45 anos mais tarde um outro negro falaria sem impedimento algum como presidenciável, num País marcado pelo racismo.
Se José sonhou, se Martyn Luther King sonhou, creio que devo sonhar também. E não digo isso porque eu esteja querendo cultivar um comportamento megalomaníaco - preciso sonhar porque sei que preciso viver.

Nenhum comentário:

Fale comigo!

Gostaria de estabelecer contato com você. Talvez pensemos a respeito dos mesmos assuntos, e o diálogo é sempre bem-vindo e mais que necessário. Meu e-mail é alexesteves.rocha@gmail.com. Você poderá fazer sugestões de artigos, dar idéias para o formato do blog, tecer alguma crítica ou questionamento. Fique à vontade. Embora o blog seja uma coisa pessoal por natureza, gostaria de usar este espaço para conhecer um pouco de quem está do outro lado. Um abraço.

Para pensar:

Um dos terríveis problemas da Igreja evangélica brasileira é a falta de conhecimento da Bíblia como um sistema coerente de princípios, promessas e relatos que apontam para Cristo como Criador, Sustentador e Salvador. Em vez disso, prega-se um "jesus" diminuído, porque criado à imagem de seus idealizadores, e que faz uso de textos bíblicos isolados, como se fossem amuletos, peças mágicas a serem usadas ao bel-talante do indivíduo.

Arquivo do blog

Bases de Fé

Creio:
Em um só Deus e na Trindade.
Na inspiração verbal da Bíblia Sagrada, única regra infalível de fé normativa para a vida e o caráter cristão.
Na concepção virginal de Jesus, em sua morte vicária e expiatória, em sua ressurreição corporal e sua ascensão aos céus.
Na pecaminosidade do homem, e que somente o arrependimento e a fé na obra expiatória e redentora de Jesus Cristo é que pode salvá-lo.
Na necessidade absoluta do novo nascimento pela fé em Cristo e pelo poder atuante do Espírito Santo e da Palavra de Deus, para tornar o homem digno do Reino dos Céus.
No perdão dos pecados, na salvação presente e perfeita e na eterna justificação da alma recebidos gratuitamente de Deus pela fé no sacrifício efetuado por Jesus Cristo em nosso favor.
No batismo bíblico em águas, em nome do Pai, do Filho e do Espírito Santo, conforme determinou o Senhor Jesus Cristo.
Na necessidade e na possibilidade que temos de viver vida santa mediante a obra expiatória e redentora de Jesus, através do poder do Espírito Santo.
No batismo bíblico no Espírito Santo que nos é dado por Deus mediante a intercessão de Cristo.
Na atualidade dos dons espirituais distribuídos pelo Espírito Santo à Igreja para sua edificação, conforme a sua soberana vontade.
Na Segunda Vinda de Cristo.
Que todos os cristãos comparecerão ante o Tribunal de Cristo.
No juízo vindouro que recompensará os fiéis e condenará os infiéis.
E na vida eterna para os fiéis e morte eterna para os infiéis.