terça-feira, 11 de março de 2008

A lógica das esquerdas

A lógica das esquerdas é a seguinte: quando estão na oposição, clamam contra tudo o que vem do governo; quando estão no governo, dizem que as "elites" não querem que o país dê certo.
O presidente Lula faz quase tudo o que recriminou quando era membro da oposição. Praticamente pediu que esquecêssemos o que ele pregava quando candidato à presidência em 1989, 1994 e 1998.
FHC pediu que esquecêssemos o que ele escrevera como sociólogo. Ele também é oriundo da esquerda, embora uma esquerda menos amarga e mais inteligente. Assim, nossos derradeiros presidentes pediram que esquecêssemos o que eles haviam feito a vida toda. Lula rejeitou sua biografia; FHC, sua bibliografia.
Os sem-terra (Via Campesina e MST) têm promovido depredações em propriedades privadas da Monsanto, da Vale, de uma siderúrgica no Maranhão. É a coisa mais feia do mundo aquele pessoal quebrando, arrancando, destruindo, violando. Eles não querem plantar nem construir, mas destruir e desarraigar. É a lógica anti-instituição, anti-governo, anti-direito.
A esquerda brasileira e latino-americana não sabe conviver com a democracia. Ela prega contra a liberdade de imprensa, contra os mecanismos civilizados de organização política. A ordem é vista como estrutura a favor das "elites". Usam a democracia enquanto lhes convém.
O governo petista parece querer a estatização da vida - a ideologia governamental na TV estatal, a "igualdade racial" imposta por um sistema arbitrário de cotas, a escola integral, modificações nos currículos escolares para introdução de matérias que "explicam" como as elites dividiram o Brasil em pobres e ricos, negros e brancos.
Os regimes autoritários e totalitários começam com um líder muito forte e uma idéia vendida como sendo muito boa. Com uma solução de problemas que afetam a maioria carente, um parlamento sem credibilidade e uma deseducação ancestral, tem-se a fórmula perfeita para a instalação de governos ditatoriais, de salvadores-da-pátria.
Não quero assustar ninguém, mas me assusto com a possibilidade de estatização da vida. Em minha humilde concepção, o esquerdismo tupiniquim não sabe fazer outra coisa senão dividir, afastar, diminuir, romper, reinventar a roda. É uma lógica do atraso, do ideologismo que sabe muito bem ser pragmático quando pretende se impor.

Nenhum comentário:

Fale comigo!

Gostaria de estabelecer contato com você. Talvez pensemos a respeito dos mesmos assuntos, e o diálogo é sempre bem-vindo e mais que necessário. Meu e-mail é alexesteves.rocha@gmail.com. Você poderá fazer sugestões de artigos, dar idéias para o formato do blog, tecer alguma crítica ou questionamento. Fique à vontade. Embora o blog seja uma coisa pessoal por natureza, gostaria de usar este espaço para conhecer um pouco de quem está do outro lado. Um abraço.

Para pensar:

Um dos terríveis problemas da Igreja evangélica brasileira é a falta de conhecimento da Bíblia como um sistema coerente de princípios, promessas e relatos que apontam para Cristo como Criador, Sustentador e Salvador. Em vez disso, prega-se um "jesus" diminuído, porque criado à imagem de seus idealizadores, e que faz uso de textos bíblicos isolados, como se fossem amuletos, peças mágicas a serem usadas ao bel-talante do indivíduo.

Arquivo do blog

Bases de Fé

Creio:
Em um só Deus e na Trindade.
Na inspiração verbal da Bíblia Sagrada, única regra infalível de fé normativa para a vida e o caráter cristão.
Na concepção virginal de Jesus, em sua morte vicária e expiatória, em sua ressurreição corporal e sua ascensão aos céus.
Na pecaminosidade do homem, e que somente o arrependimento e a fé na obra expiatória e redentora de Jesus Cristo é que pode salvá-lo.
Na necessidade absoluta do novo nascimento pela fé em Cristo e pelo poder atuante do Espírito Santo e da Palavra de Deus, para tornar o homem digno do Reino dos Céus.
No perdão dos pecados, na salvação presente e perfeita e na eterna justificação da alma recebidos gratuitamente de Deus pela fé no sacrifício efetuado por Jesus Cristo em nosso favor.
No batismo bíblico em águas, em nome do Pai, do Filho e do Espírito Santo, conforme determinou o Senhor Jesus Cristo.
Na necessidade e na possibilidade que temos de viver vida santa mediante a obra expiatória e redentora de Jesus, através do poder do Espírito Santo.
No batismo bíblico no Espírito Santo que nos é dado por Deus mediante a intercessão de Cristo.
Na atualidade dos dons espirituais distribuídos pelo Espírito Santo à Igreja para sua edificação, conforme a sua soberana vontade.
Na Segunda Vinda de Cristo.
Que todos os cristãos comparecerão ante o Tribunal de Cristo.
No juízo vindouro que recompensará os fiéis e condenará os infiéis.
E na vida eterna para os fiéis e morte eterna para os infiéis.