terça-feira, 25 de março de 2008

Previsões que não podem deixar de se cumprir

Começo com uma anedota que talvez o leitor conheça:
Certo dia, uma suposta "profetisa" disse a uma grávida: Eis que o bebê que estás esperando é um varão. Mas, se duvidares, será uma varoa".
Ora, essa previsão jamais pode deixar de ser cumprida, pois tudo depende da condição estabelecida pela "profetisa": se a mulher não der à luz um menino, irá pensar que não teve fé suficiente.
Embora se trate de uma piada, e por mais que a situação pareça ridícula, isso ocorre todas as vezes em que pregadores mal-intencionados prometem aos ouvintes determinada coisa que, se não acontecer, terá sido pela exclusiva falta de fé do indivíduo que recebeu a promessa.
Andam proclamando prosperidade financeira, sentimental e tudo mais, porém sempre há a tal condição da "fé", que esses sujeitos chamam de "atitude de fé", e não de confiança na Palavra de Deus, como se a fé fosse um dispositivo mental que a pessoa precisa manter para receber bênçãos de Deus, como se o poder de Deus fosse ativado pela atitude de fé do indivíduo.
Assim, se a "bênção" acontecer, foi por causa da atitude de fé. Se a "bênção" não acontecer, foi por causa da falta dessa fé. Desse modo, considerando que muitas pessoas têm seus testemunhos para contar - seja devido à misericórdia divina, seja devido a uma casualidade - o fato é que outros se encorajam a pedir a Deus coisas que Ele não prometeu, que não constam da Palavra, ou que procedem tão-somente de corações egoístas.
Portanto, vivemos hoje a época das "profecias" que sempre serão cumpridas: quem for sábio, escapará delas, e de seus anunciadores.

Nenhum comentário:

Fale comigo!

Gostaria de estabelecer contato com você. Talvez pensemos a respeito dos mesmos assuntos, e o diálogo é sempre bem-vindo e mais que necessário. Meu e-mail é alexesteves.rocha@gmail.com. Você poderá fazer sugestões de artigos, dar idéias para o formato do blog, tecer alguma crítica ou questionamento. Fique à vontade. Embora o blog seja uma coisa pessoal por natureza, gostaria de usar este espaço para conhecer um pouco de quem está do outro lado. Um abraço.

Para pensar:

Um dos terríveis problemas da Igreja evangélica brasileira é a falta de conhecimento da Bíblia como um sistema coerente de princípios, promessas e relatos que apontam para Cristo como Criador, Sustentador e Salvador. Em vez disso, prega-se um "jesus" diminuído, porque criado à imagem de seus idealizadores, e que faz uso de textos bíblicos isolados, como se fossem amuletos, peças mágicas a serem usadas ao bel-talante do indivíduo.

Arquivo do blog

Bases de Fé

Creio:
Em um só Deus e na Trindade.
Na inspiração verbal da Bíblia Sagrada, única regra infalível de fé normativa para a vida e o caráter cristão.
Na concepção virginal de Jesus, em sua morte vicária e expiatória, em sua ressurreição corporal e sua ascensão aos céus.
Na pecaminosidade do homem, e que somente o arrependimento e a fé na obra expiatória e redentora de Jesus Cristo é que pode salvá-lo.
Na necessidade absoluta do novo nascimento pela fé em Cristo e pelo poder atuante do Espírito Santo e da Palavra de Deus, para tornar o homem digno do Reino dos Céus.
No perdão dos pecados, na salvação presente e perfeita e na eterna justificação da alma recebidos gratuitamente de Deus pela fé no sacrifício efetuado por Jesus Cristo em nosso favor.
No batismo bíblico em águas, em nome do Pai, do Filho e do Espírito Santo, conforme determinou o Senhor Jesus Cristo.
Na necessidade e na possibilidade que temos de viver vida santa mediante a obra expiatória e redentora de Jesus, através do poder do Espírito Santo.
No batismo bíblico no Espírito Santo que nos é dado por Deus mediante a intercessão de Cristo.
Na atualidade dos dons espirituais distribuídos pelo Espírito Santo à Igreja para sua edificação, conforme a sua soberana vontade.
Na Segunda Vinda de Cristo.
Que todos os cristãos comparecerão ante o Tribunal de Cristo.
No juízo vindouro que recompensará os fiéis e condenará os infiéis.
E na vida eterna para os fiéis e morte eterna para os infiéis.