quinta-feira, 27 de março de 2008

Um crente que conheci

Conheci um irmão em Cristo que se converteu há muito tempo, e que tem uma história rica e edificante.
Tratava-se de um homem simples, às vezes simplório. Falava muito, tinha a emoção à flor da pele, e era uma mistura de iniciativa e inconstância. Uma vez chegou a dar um extraordinário passo de fé, mas vacilou e só não sucumbiu porque Jesus o segurou. Era mesmo uma pessoa arrojada...
Desde sua conversão, aquele irmão se tornou um discípulo fiel a Cristo, mas isso não o impedia de deslizar de vez em quando. Como falava demais, era duramente repreendido. Por outro lado, ninguém conseguia dizer coisas tão belas como ele. Que pessoa interessante!
A religiosidade tradicional também o atrapalhou. Seu coração era povoado de superstições e falsas idéias teológicas. Parece que não foi fácil para ele compreender Quem Jesus é e o que veio fazer no mundo.
A maturidade custou a chegar. Embora muito apegado a Jesus, no começo ele nem orava direito. Em um momento de oração, foi pego dormindo. Nem por isso deixava o jeitão atirado. Julgava-se incapaz de renunciar a Cristo ou causar escândalo.
Quando deparou com uma situação de crise, a maior de sua vida, aquele irmão não pensou duas vezes: lançou mão de uma arma e provocou séria lesão num soldado. Não fosse Jesus, aquele soldado estaria lesionado definitivamente.
Mas, apesar de sua coragem, acabou negando Jesus. Aquele foi o dia mais infeliz de sua existência. Graças a Deus, ele foi perdoado, e confessou a Jesus de maneira irrefutável.
Conquanto tenha se tornado líder na igreja, demorou muito para que aquele irmão entendesse o plano de salvação. E certo dia precisou receber uma visão celestial para que fosse evangelizar uma família inteira.
Deus concedeu àquele homem experiências carismáticas, capacitação na Palavra e uma importantíssima posição de liderança. Por incrível que pareça, outro líder teve que repreendê-lo severamente e em público, para evitar uma divisão no Corpo de Cristo. Esse fato demonstrou que a maturidade ainda não havia chegado. Mas ela finalmente chegou, porque é o Espírito que nos santifica.
Passado o tempo, tenho em minhas mãos duas cartas que ele deixou. Não entendo como um homem tão simples pôde ter escrito algo tão profundo e maravilhoso. São duas cartas belíssimas, que revelam um conhecimento vasto das coisas sagradas, e uma sublime exortação à fé cristã.
Esse irmão tem o mesmo nome de um tio meu, já falecido. O nome é Simão. Eu não conheci o meu tio, que morreu lá no Piauí, mas ouvia falar muito bem dele. Quanto ao Simão que me deixou as duas cartas, ele recebeu de Jesus um novo nome, e passou a ser chamado de Pedro. Um dia irei encontrá-lo.

Nenhum comentário:

Fale comigo!

Gostaria de estabelecer contato com você. Talvez pensemos a respeito dos mesmos assuntos, e o diálogo é sempre bem-vindo e mais que necessário. Meu e-mail é alexesteves.rocha@gmail.com. Você poderá fazer sugestões de artigos, dar idéias para o formato do blog, tecer alguma crítica ou questionamento. Fique à vontade. Embora o blog seja uma coisa pessoal por natureza, gostaria de usar este espaço para conhecer um pouco de quem está do outro lado. Um abraço.

Para pensar:

Um dos terríveis problemas da Igreja evangélica brasileira é a falta de conhecimento da Bíblia como um sistema coerente de princípios, promessas e relatos que apontam para Cristo como Criador, Sustentador e Salvador. Em vez disso, prega-se um "jesus" diminuído, porque criado à imagem de seus idealizadores, e que faz uso de textos bíblicos isolados, como se fossem amuletos, peças mágicas a serem usadas ao bel-talante do indivíduo.

Arquivo do blog

Bases de Fé

Creio:
Em um só Deus e na Trindade.
Na inspiração verbal da Bíblia Sagrada, única regra infalível de fé normativa para a vida e o caráter cristão.
Na concepção virginal de Jesus, em sua morte vicária e expiatória, em sua ressurreição corporal e sua ascensão aos céus.
Na pecaminosidade do homem, e que somente o arrependimento e a fé na obra expiatória e redentora de Jesus Cristo é que pode salvá-lo.
Na necessidade absoluta do novo nascimento pela fé em Cristo e pelo poder atuante do Espírito Santo e da Palavra de Deus, para tornar o homem digno do Reino dos Céus.
No perdão dos pecados, na salvação presente e perfeita e na eterna justificação da alma recebidos gratuitamente de Deus pela fé no sacrifício efetuado por Jesus Cristo em nosso favor.
No batismo bíblico em águas, em nome do Pai, do Filho e do Espírito Santo, conforme determinou o Senhor Jesus Cristo.
Na necessidade e na possibilidade que temos de viver vida santa mediante a obra expiatória e redentora de Jesus, através do poder do Espírito Santo.
No batismo bíblico no Espírito Santo que nos é dado por Deus mediante a intercessão de Cristo.
Na atualidade dos dons espirituais distribuídos pelo Espírito Santo à Igreja para sua edificação, conforme a sua soberana vontade.
Na Segunda Vinda de Cristo.
Que todos os cristãos comparecerão ante o Tribunal de Cristo.
No juízo vindouro que recompensará os fiéis e condenará os infiéis.
E na vida eterna para os fiéis e morte eterna para os infiéis.