terça-feira, 4 de março de 2008

A tendência de espiritualizar tudo

Por que muitos crentes gostam de espiritualizar tudo? Parece que na mente dessas pessoas todas as coisas têm uma explicação espiritual, histórico-redentiva. Por isso, não conseguem explicar o relacionamento do cristão com a política, a sociedade, as instituições, a ciência, a filosofia. Acham que tudo o que não for "espiritual" é carnal ou demoníaco.
Esse pensamento é equivocado. Os que espiritualizam a vida não possuem uma teologia da criação, mas apenas uma teologia da redenção, e isso quando realmente têm uma teologia formada. Vêem o mundo somente depois da Queda, não observam princípios eternos nem instituições pré-tentação, como a família, o trabalho, o mandato cultural e a sociedade.
Adão e Eva foram criados antes do pecado. Eles cuidavam do jardim do Éden, Adão o lavrava e guardava. O trabalho, portanto, não adveio do pecado, mas a exploração do trabalhador e a necessidade de suar para obter o sustento.
As pragas, sim, vieram com o pecado, mas não a agricultura.
O princípio gregário (da socialização) foi instituído por Deus (Gn 2.18).
As relações sociais não começaram com o pecado - foram deturpadas por ele.
Adão nomeou os animais usando de uma criatividade que o SENHOR lhe concedeu.
Tudo era "bom", o ser humano era "muito bom", Deus fez o homem reto, esse é o estado de inocência.
Havia propósitos divinos no Éden, e o Apocalipse, em conjunto com Livros proféticos, nos diz que o plano de Deus não se esgotou, que haverá uma restauração. Haverá o novo, o renovado.
Jesus veio para "desfazer as obras do diabo", para "dar vida", para fazer "novas todas as coisas", para regenerar. A redenção é como que uma recriação, tornando-nos novas criaturas, andando em "novidade de vida".
Tratar de assuntos "seculares", como sociedade, política, economia, ciência, filosofia, não é, a princípio, afastar-se de Deus, porque o conhecimento e a sabedoria procedem de Deus. Afasta-se de Deus quem peca.
Aliás, "atacar" alguém, chamando-o de racional, não é atacar, mas elogiar. Da mesma forma, se me chamarem de humano demais, não acharei ruim, porque a verdadeira humanidade reside em Cristo, que me salvou. Dizer que a humanidade é necessariamente pecaminosa deve estar no contexto apropriado da teologia da redenção. No entanto, não posso afirmar que o ser humano é ruim desde sempre, porque o Criador não nos concebeu para o pecado.
Dito de maneira bem simples, o pecado não faz parte do plano original de Deus para a humanidade, o pecado é um intruso, um invasor, um esbulhador, chamem como quiser. Creio que já escrevi sobre isso aqui no blog.
Achar que tudo tem que ter uma explicação "espiritual" é desconsiderar que as paredes são feitas de tijolos, e não de versículos bíblicos. O mundo é real, palpável, contém partículas materiais, tangíveis. Existe o odor, o calor, a matéria, enfim, existe o universo. Será que isso não sugere que nem tudo eu posso explicar pela metafísica?

2 comentários:

Monica disse...

voce esta equivocado,isso se da na ocasiao do novo nascimento....se alguem ve tudo espiritualmente e pq ve todas as coisas pelos os olhos de Jesus Cristo e Sua vida esta diante de de todas as circunstâncias,nos auxiliando a aplicar Suas palavras a elas.As cascas dos olhos finalmente foram retiradas...e continua por toda a vida.

Rodrigo oliveira de sousa disse...

Meu Deus! Eu nunca vi tanta heresia em pouco texto assim. Todas as frases desse seu texto, Alex Esteves, contém algo antibíblico. Pra início de conversa,“espiritualizar” significa considerar todas as coisas à luz da direção e instrução do Espírito Santo. Em Jo 4:24 diz que “Deus é Espírito”. Portanto, aquilo que não é espiritual não pertence a Deus. E o que pertence a Deus é bíblico. Não vou nem continuar porque só ai a sua tese já foi para o inferno. Você precisa se converter!

Fale comigo!

Gostaria de estabelecer contato com você. Talvez pensemos a respeito dos mesmos assuntos, e o diálogo é sempre bem-vindo e mais que necessário. Meu e-mail é alexesteves.rocha@gmail.com. Você poderá fazer sugestões de artigos, dar idéias para o formato do blog, tecer alguma crítica ou questionamento. Fique à vontade. Embora o blog seja uma coisa pessoal por natureza, gostaria de usar este espaço para conhecer um pouco de quem está do outro lado. Um abraço.

Para pensar:

Um dos terríveis problemas da Igreja evangélica brasileira é a falta de conhecimento da Bíblia como um sistema coerente de princípios, promessas e relatos que apontam para Cristo como Criador, Sustentador e Salvador. Em vez disso, prega-se um "jesus" diminuído, porque criado à imagem de seus idealizadores, e que faz uso de textos bíblicos isolados, como se fossem amuletos, peças mágicas a serem usadas ao bel-talante do indivíduo.

Arquivo do blog

Bases de Fé

Creio:
Em um só Deus e na Trindade.
Na inspiração verbal da Bíblia Sagrada, única regra infalível de fé normativa para a vida e o caráter cristão.
Na concepção virginal de Jesus, em sua morte vicária e expiatória, em sua ressurreição corporal e sua ascensão aos céus.
Na pecaminosidade do homem, e que somente o arrependimento e a fé na obra expiatória e redentora de Jesus Cristo é que pode salvá-lo.
Na necessidade absoluta do novo nascimento pela fé em Cristo e pelo poder atuante do Espírito Santo e da Palavra de Deus, para tornar o homem digno do Reino dos Céus.
No perdão dos pecados, na salvação presente e perfeita e na eterna justificação da alma recebidos gratuitamente de Deus pela fé no sacrifício efetuado por Jesus Cristo em nosso favor.
No batismo bíblico em águas, em nome do Pai, do Filho e do Espírito Santo, conforme determinou o Senhor Jesus Cristo.
Na necessidade e na possibilidade que temos de viver vida santa mediante a obra expiatória e redentora de Jesus, através do poder do Espírito Santo.
No batismo bíblico no Espírito Santo que nos é dado por Deus mediante a intercessão de Cristo.
Na atualidade dos dons espirituais distribuídos pelo Espírito Santo à Igreja para sua edificação, conforme a sua soberana vontade.
Na Segunda Vinda de Cristo.
Que todos os cristãos comparecerão ante o Tribunal de Cristo.
No juízo vindouro que recompensará os fiéis e condenará os infiéis.
E na vida eterna para os fiéis e morte eterna para os infiéis.