sábado, 22 de março de 2008

Comentando a auto-apresentação de uma Igreja

No "site" de determinada Igreja ainda não tão conhecida - mas que já tem uma "filial" em Campo Grande-MS, bem perto de onde eu moro - a apresentação diz exatamente isso: "Com sua doutrina não ortodoxa, segue a risca os ensinamentos bíblicos" (sic). O destaque é meu.
Então, a Igreja - cujo nome não cito por questão de ética - se classifica como não ortodoxa. Tudo bem, não sei se isso é alguma vantagem, não sei o que ela entende por ortodoxia, não sei se é contrária ao que se costuma chamar de doutrina ortodoxa. O curioso é alguém se orgulhar de não ser ortodoxo, porque ortodoxia significa literalmente "crença correta". Assim, vemos que faltou uma explicação.
Mais do que isso, a Igreja diz que segue à risca os ensinamentos bíblicos. Ora, se ela não é ortodoxa e segue à risca os ensinamentos bíblicos, segue-se que os ensinamentos bíblicos não são ortodoxos. Para essa Igreja, ou pelo menos para quem escreveu isso no "site", seguir a Bíblia é não ser ortodoxo!
Não ser ortodoxo é ser "heterodoxo", também conhecido como "herético". Não creio que essa Igreja tenha querido dizer isso. Ninguém vai proclamar: "Siga-me, pois eu ensino heresias". A pecha de heresia sempre é atribuída por terceiros, jamais pelo próprio indivíduo denominado herege.
Noutra ordem de idéias, não-ortodoxo é o adepto de alguma das correntes da teologia liberal ou modernismo, que se opõe aos chamados fundamentalistas. Dependendo da linha que se considerar, o liberalismo teológico a) desprestigia as Cartas de Paulo; b) não acredita no Cristo da Fé, somente no Jesus histórico; c) diz que Jesus foi apenas um modelo ético; d) descrê em milagres, na Ressurreição de Cristo, em tudo o que é sobrenatural; e) entende os relatos bíblicos como fruto da consciência ou experiência religiosa de um povo através dos séculos; f) prega uma escatologia sem a volta de Jesus e sem os eventos conseqüentes; g) não crê na inspiração, autoridade doutrinária e inerrância das Escrituras.
Portanto, para não ser ortodoxa, essa Igreja tem duas hipóteses, quais sejam, é liberal ou entrou em contradição, porque diz seguir a Bíblia à risca e ao mesmo tempo diz não ser ortodoxa.
Mas há ainda uma terceria hipótese! Essa Igreja pode se dizer não ortodoxa frente àquilo que os outros chamam de ortodoxo, colocando-se como uma alternativa mais bíblica. No entanto, pelo que eu vi no "site", duvido muito de que eles tenham sido tão arrojados e vanguardistas. Prefiro atribuir a frase a um terrível lapso. Afinal, lapsos também existem.

Nenhum comentário:

Fale comigo!

Gostaria de estabelecer contato com você. Talvez pensemos a respeito dos mesmos assuntos, e o diálogo é sempre bem-vindo e mais que necessário. Meu e-mail é alexesteves.rocha@gmail.com. Você poderá fazer sugestões de artigos, dar idéias para o formato do blog, tecer alguma crítica ou questionamento. Fique à vontade. Embora o blog seja uma coisa pessoal por natureza, gostaria de usar este espaço para conhecer um pouco de quem está do outro lado. Um abraço.

Para pensar:

Um dos terríveis problemas da Igreja evangélica brasileira é a falta de conhecimento da Bíblia como um sistema coerente de princípios, promessas e relatos que apontam para Cristo como Criador, Sustentador e Salvador. Em vez disso, prega-se um "jesus" diminuído, porque criado à imagem de seus idealizadores, e que faz uso de textos bíblicos isolados, como se fossem amuletos, peças mágicas a serem usadas ao bel-talante do indivíduo.

Arquivo do blog

Bases de Fé

Creio:
Em um só Deus e na Trindade.
Na inspiração verbal da Bíblia Sagrada, única regra infalível de fé normativa para a vida e o caráter cristão.
Na concepção virginal de Jesus, em sua morte vicária e expiatória, em sua ressurreição corporal e sua ascensão aos céus.
Na pecaminosidade do homem, e que somente o arrependimento e a fé na obra expiatória e redentora de Jesus Cristo é que pode salvá-lo.
Na necessidade absoluta do novo nascimento pela fé em Cristo e pelo poder atuante do Espírito Santo e da Palavra de Deus, para tornar o homem digno do Reino dos Céus.
No perdão dos pecados, na salvação presente e perfeita e na eterna justificação da alma recebidos gratuitamente de Deus pela fé no sacrifício efetuado por Jesus Cristo em nosso favor.
No batismo bíblico em águas, em nome do Pai, do Filho e do Espírito Santo, conforme determinou o Senhor Jesus Cristo.
Na necessidade e na possibilidade que temos de viver vida santa mediante a obra expiatória e redentora de Jesus, através do poder do Espírito Santo.
No batismo bíblico no Espírito Santo que nos é dado por Deus mediante a intercessão de Cristo.
Na atualidade dos dons espirituais distribuídos pelo Espírito Santo à Igreja para sua edificação, conforme a sua soberana vontade.
Na Segunda Vinda de Cristo.
Que todos os cristãos comparecerão ante o Tribunal de Cristo.
No juízo vindouro que recompensará os fiéis e condenará os infiéis.
E na vida eterna para os fiéis e morte eterna para os infiéis.