segunda-feira, 19 de maio de 2008

QUEM SE PREOCUPA COM A ORTODOXIA?

Debato-me contra heresias que insistem em se infiltrar na Igreja brasileira. Já escrevi, pensei e ensinei sobre os vícios da Confissão Positiva, da Teologia da Prosperidade, do Triunfalismo; sobre os exageros do pentecostalismo histórico e os abusos do pentecostalismo pós-moderno; sobre as distorções hermenêuticas por falta de boa gramática ou por má-fé. Tenho sofrido com o subjetivismo, o pluralismo, o relativismo, o secularismo, o hedonismo, o individualismo de nosso tempo, nas igrejas. Estou chateado com tudo isso.
Antes, porém, acreditava que o exame honesto da Escritura faria com que as pessoas se deixassem persuadir pela Verdade. Cria que faltava exposição organizada e freqüente da Bíblia para que as pessoas, enfim, compreendessem o que dizem os textos, e que assim viessem a entender que muito do que se diz em púlpitos afasta a centralidade da Cruz. Agora, continuo com a certeza de que faltam bons expositores da Bíblia, mas não considero que sua presença abundante mudaria muito.
Gostaria de não me inclinar a esse pensamento pessimista, pois cultivo o sonho de, um dia feliz, ter à minha disposição um lugar em que eu possa pregar e ensinar a Bíblia versículo por versículo, com critérios sadios de interpretação, a um público sedento. Será que terei essa oportunidade ainda?
Tenho a impressão de que o argumento "está escrito", outrora forte, padece diante de "palavras fictícias" com as quais se faz comércio de mentes incautas (II Pe 2.3). Parece-me que, se para mim é suficiente o cânon bíblico, para outros vale mais a emoção, o resultado, a experiência, o sonho realizado, o "crescimento" da igreja.
Vou completar 31 anos de idade no dia 23 de maio. Estou relativamente novo, mas não sou menino, e já me sinto cansado. É um cansaço emocional, de quem não acha pasto verdejante nem água de refrigério (Sl 23) por esses apriscos que tenho conhecido.
Eu só queria poder compartilhar a Verdade, mas percebo que a mentira voa a jato.

2 comentários:

Alex Esteves da Rocha Sousa disse...

Eu me preocupo e também fico triste por não ver pregado o evangelho genuíno em grande número de púlpitos por aí. Se nós que somos miseráveis pecadores nos indignamos com isso, imagine o próprio Cristo, o que diria? "Vomitar-te-ei?"

Miriam Utida Sousa disse...

ops. desculpe. enviei um comentário no seu login

Fale comigo!

Gostaria de estabelecer contato com você. Talvez pensemos a respeito dos mesmos assuntos, e o diálogo é sempre bem-vindo e mais que necessário. Meu e-mail é alexesteves.rocha@gmail.com. Você poderá fazer sugestões de artigos, dar idéias para o formato do blog, tecer alguma crítica ou questionamento. Fique à vontade. Embora o blog seja uma coisa pessoal por natureza, gostaria de usar este espaço para conhecer um pouco de quem está do outro lado. Um abraço.

Para pensar:

Um dos terríveis problemas da Igreja evangélica brasileira é a falta de conhecimento da Bíblia como um sistema coerente de princípios, promessas e relatos que apontam para Cristo como Criador, Sustentador e Salvador. Em vez disso, prega-se um "jesus" diminuído, porque criado à imagem de seus idealizadores, e que faz uso de textos bíblicos isolados, como se fossem amuletos, peças mágicas a serem usadas ao bel-talante do indivíduo.

Arquivo do blog

Bases de Fé

Creio:
Em um só Deus e na Trindade.
Na inspiração verbal da Bíblia Sagrada, única regra infalível de fé normativa para a vida e o caráter cristão.
Na concepção virginal de Jesus, em sua morte vicária e expiatória, em sua ressurreição corporal e sua ascensão aos céus.
Na pecaminosidade do homem, e que somente o arrependimento e a fé na obra expiatória e redentora de Jesus Cristo é que pode salvá-lo.
Na necessidade absoluta do novo nascimento pela fé em Cristo e pelo poder atuante do Espírito Santo e da Palavra de Deus, para tornar o homem digno do Reino dos Céus.
No perdão dos pecados, na salvação presente e perfeita e na eterna justificação da alma recebidos gratuitamente de Deus pela fé no sacrifício efetuado por Jesus Cristo em nosso favor.
No batismo bíblico em águas, em nome do Pai, do Filho e do Espírito Santo, conforme determinou o Senhor Jesus Cristo.
Na necessidade e na possibilidade que temos de viver vida santa mediante a obra expiatória e redentora de Jesus, através do poder do Espírito Santo.
No batismo bíblico no Espírito Santo que nos é dado por Deus mediante a intercessão de Cristo.
Na atualidade dos dons espirituais distribuídos pelo Espírito Santo à Igreja para sua edificação, conforme a sua soberana vontade.
Na Segunda Vinda de Cristo.
Que todos os cristãos comparecerão ante o Tribunal de Cristo.
No juízo vindouro que recompensará os fiéis e condenará os infiéis.
E na vida eterna para os fiéis e morte eterna para os infiéis.