quinta-feira, 4 de março de 2010

José Mindlin, Daniel, José, Ester...

Confesso uma ignorância: não sabia que José Mindlin era judeu. Sabia que era "bibliófilo", que fora Secretário da Cultura do Estado de São Paulo, e só. Com a sua morte no final de fevereiro, aos 95 anos de idade, esse membro da Academia Brasileira de Letras teve sua biografia comentada nos jornais.
Mindlin, além de amante dos livros, dono da Metal Leve e imortal, teve uma passagem importante na década de 70: então Secretário da Cultura, não quis demitir o jornalista Vladimir Herzog a mando do regime militar. Pouco depois, Herzog foi morto nos porões da ditadura. Mindlin deu seu recado, não participando do cerco político a um homem indefeso.
Não sou daqueles que veem em Israel um povo equivalente à Igreja. Entendo que o Israel de Deus hoje é a Igreja de Cristo, e que não há um plano paralelo para Israel, a não ser algum tipo de bênção por ter sido alvo da escolha divina para a vinda do Messias (Rm 9 a 11 nos ajuda nisso)...
Mas não posso olvidar uma coisa curiosa: onde os judeus chegam, alguma coisa acontece, seja como "cristãos-novos", seja na pele do empresário e comunicador Senor Abravanel - conhecido como Sílvio Santos - seja como o brilhante compositor Friedrich Mäller, ou Albert Einstein, ou Sigmund Freud, ou, ainda, Karl Marx (para quem gosta). Não se pode negar que esses judeus, e tantos outros espalhados pelo mundo, marcaram época, e há muitos judeus habilidosos nas ciências, nas artes, na literatura, não apenas no comércio!
A história bíblica nos conta sobre alguns filhos de Abraão* bem-sucedidos fora de sua pátria:
A) que dizer de José, que de escravo e prisioneiro passou a governador do Império Egípcio, que dominava o mundo de então? Foi ele a segunda pessoa de Faraó, o administrador do reino.
B) que dizer de Daniel, que, sendo apenas um jovem exilado, passou a ser um dos três mais importantes estadistas sob o rei persa?
C) que dizer de Ester, que, em sendo casada com o rei Assuero, da Pérsia, conseguiu, sabiamente, evitar a matança de seu povo? Isso foi muito importante para garantir a vinda do Messias, o leitor já pensou nisso?
Mindlin, Daniel, Marx, Freud, José, Sílvio Santos, Mäller, Ester, Einstein etc. Judeus, sim, mas em meio a culturas diferentes. Cada um a seu modo, deixaram sua influência.

*Usei a expressão "filhos de Abraão" porque José não pode ser chamado de "judeu", já que não havia ainda as Doze Tribos. Judá, de onde vem o termo "judeu", era irmão dele.





3 comentários:

martins111 disse...

Primeiramente ao adentrar nesta página reconheço seu valor e a importância de seu autor para a nobre causa do Senhor Jesus Cristo.
Dito isso, quero convidar você que está lendo estas minhas palavras, a prestar um pouco mais de atenção as revelações do Espírito Santo Verdadeiro em nossos dias.
Por se tratar de um assunto de interesse universal, pediria sua amável atenção, em uma breve, mais com certeza, produtiva visita ao nosso blog, onde estão depositadas Revelações do Senhor Jesus Cristo, para as quais peço encarecidamente que nos ajude a divulgar. Pois estamos vivenciando um memento muito sensível da palavra profética. Desde já suplico as bênçãos do Pai, do Filho e do Espírito Santo Verdadeiro sobre todo aquele que atender esse nosso chamado em nome do Senhor Jesus Cristo. Clique em martins111 - João Joaquim Martins.

Alex Esteves da Rocha Sousa disse...

Irmão Martins:

Agradeço-lhe pela visita ao blog.
Li algumas coisas, en passant, no seu "site", mas não entendi uma coisa: o senhor defendeu, em sua monografia, com base em Kelsen e Bittar, a existência de duas divindades, Javé e Jesus? E disse que a justiça de Jesus é melhor que a de Javé, comparando o Novo com o Antigo? É isso mesmo?

João Armando disse...

Prefiro o termo "hebreu" tal como Paulo. Têm muitíssimos bons representantes em todas as áreas do conhecimento humano - como você bem o colocou, para o bem (Sabin, Einstein etc.) e para o mal (Freud, Marx etc.) Mas, para o que realmente conta - a graça de Deus - qualquer hebreu hoje terá de deixar de o ser e se declarar cristão, seguidor de Jesus. No Corpo de Cristo não há judeu nem grego, aleluia!

Fale comigo!

Gostaria de estabelecer contato com você. Talvez pensemos a respeito dos mesmos assuntos, e o diálogo é sempre bem-vindo e mais que necessário. Meu e-mail é alexesteves.rocha@gmail.com. Você poderá fazer sugestões de artigos, dar idéias para o formato do blog, tecer alguma crítica ou questionamento. Fique à vontade. Embora o blog seja uma coisa pessoal por natureza, gostaria de usar este espaço para conhecer um pouco de quem está do outro lado. Um abraço.

Para pensar:

Um dos terríveis problemas da Igreja evangélica brasileira é a falta de conhecimento da Bíblia como um sistema coerente de princípios, promessas e relatos que apontam para Cristo como Criador, Sustentador e Salvador. Em vez disso, prega-se um "jesus" diminuído, porque criado à imagem de seus idealizadores, e que faz uso de textos bíblicos isolados, como se fossem amuletos, peças mágicas a serem usadas ao bel-talante do indivíduo.

Arquivo do blog

Bases de Fé

Creio:
Em um só Deus e na Trindade.
Na inspiração verbal da Bíblia Sagrada, única regra infalível de fé normativa para a vida e o caráter cristão.
Na concepção virginal de Jesus, em sua morte vicária e expiatória, em sua ressurreição corporal e sua ascensão aos céus.
Na pecaminosidade do homem, e que somente o arrependimento e a fé na obra expiatória e redentora de Jesus Cristo é que pode salvá-lo.
Na necessidade absoluta do novo nascimento pela fé em Cristo e pelo poder atuante do Espírito Santo e da Palavra de Deus, para tornar o homem digno do Reino dos Céus.
No perdão dos pecados, na salvação presente e perfeita e na eterna justificação da alma recebidos gratuitamente de Deus pela fé no sacrifício efetuado por Jesus Cristo em nosso favor.
No batismo bíblico em águas, em nome do Pai, do Filho e do Espírito Santo, conforme determinou o Senhor Jesus Cristo.
Na necessidade e na possibilidade que temos de viver vida santa mediante a obra expiatória e redentora de Jesus, através do poder do Espírito Santo.
No batismo bíblico no Espírito Santo que nos é dado por Deus mediante a intercessão de Cristo.
Na atualidade dos dons espirituais distribuídos pelo Espírito Santo à Igreja para sua edificação, conforme a sua soberana vontade.
Na Segunda Vinda de Cristo.
Que todos os cristãos comparecerão ante o Tribunal de Cristo.
No juízo vindouro que recompensará os fiéis e condenará os infiéis.
E na vida eterna para os fiéis e morte eterna para os infiéis.