quarta-feira, 16 de julho de 2008

Escrevo, com muita honra, para meia-dúzia de leitores

Eu sei que escrevo ainda para poucos leitores. Meu público é realmente pequeno, a julgar pelas duas enquetes que, juntas, não passaram de quinze votos - e eu garanto que não votei. Isso se deve ao fato de eu não ser uma pessoa conhecida.
Com efeito, quem me conhece em Campo Grande-MS são os colegas, professores e gestores da faculdade de teologia, os irmãos mais próximos na igreja e meus colegas de trabalho. Fiz divulgação por e-mail ou pessoalmente, além do blog constar do artigo que foi publicado na última edição do periódico O Cidadão Evangélico.
Fora isso, não vejo como poderia divulgar este espaço, pois não deparo com grandes públicos, não sou convidado a pregar em reuniões maiores de uns tempos pra cá, com a agravante de que nossa mudança para este Estado nos fez começar todo um rol de novos contatos e amizades.
Mesmo assim, procuro escrever todos os dias. O blog é para mim como um arquivo, um laboratório e um ministério: é um arquivo porque nele deposito muitos e muitos textos que talvez sirvam para outras iniciativas no futuro; é um laboratório porque experimento minha inclinação para escrever e testo os conhecimentos adquiridos no estudo da Bíblia e da teologia; e é um ministério porque a meia-dúzia de leitores precisa de edificação na fé.
Não nego que gostaria de ampliar o alcance do nosso trabalho, mas não vejo ainda como poderia fazê-lo. Não se trata - eu espero - de angariar o reconhecimento público, mas de influenciar pessoas por meio de reflexões bíblicas. Toda pessoa que escreve deseja convencer ou comover - eu quero fazer as duas coisas, mas principalmente convencer.
Em geral, tenho recebido boas críticas por e-mail ou cara a cara. É muito difícil alguém postar um comentário. Quando li um comentário anônimo, discordei do teor, que me atribuía o interesse de dividir reinos e de "mostrar o intelecto", dentre outras coisas; mas apreciei muito o fato de uma pessoa que provavelmente não conheço ter sido alcançada por este meio de comunicação.
Não é fácil para mim falar ou escrever a poucas pessoas. Eu tenho - e não nego - o desejo de ampliar meu campo de ação. Só não descobri a maneira.
Enquanto isso, tenho que aproveitar o tempo para ler, estudar, pensar, orar. Sim, orar...
Quando nós atingirmos um público maior, espero inserir um texto comemorando.

Nenhum comentário:

Fale comigo!

Gostaria de estabelecer contato com você. Talvez pensemos a respeito dos mesmos assuntos, e o diálogo é sempre bem-vindo e mais que necessário. Meu e-mail é alexesteves.rocha@gmail.com. Você poderá fazer sugestões de artigos, dar idéias para o formato do blog, tecer alguma crítica ou questionamento. Fique à vontade. Embora o blog seja uma coisa pessoal por natureza, gostaria de usar este espaço para conhecer um pouco de quem está do outro lado. Um abraço.

Para pensar:

Um dos terríveis problemas da Igreja evangélica brasileira é a falta de conhecimento da Bíblia como um sistema coerente de princípios, promessas e relatos que apontam para Cristo como Criador, Sustentador e Salvador. Em vez disso, prega-se um "jesus" diminuído, porque criado à imagem de seus idealizadores, e que faz uso de textos bíblicos isolados, como se fossem amuletos, peças mágicas a serem usadas ao bel-talante do indivíduo.

Arquivo do blog

Bases de Fé

Creio:
Em um só Deus e na Trindade.
Na inspiração verbal da Bíblia Sagrada, única regra infalível de fé normativa para a vida e o caráter cristão.
Na concepção virginal de Jesus, em sua morte vicária e expiatória, em sua ressurreição corporal e sua ascensão aos céus.
Na pecaminosidade do homem, e que somente o arrependimento e a fé na obra expiatória e redentora de Jesus Cristo é que pode salvá-lo.
Na necessidade absoluta do novo nascimento pela fé em Cristo e pelo poder atuante do Espírito Santo e da Palavra de Deus, para tornar o homem digno do Reino dos Céus.
No perdão dos pecados, na salvação presente e perfeita e na eterna justificação da alma recebidos gratuitamente de Deus pela fé no sacrifício efetuado por Jesus Cristo em nosso favor.
No batismo bíblico em águas, em nome do Pai, do Filho e do Espírito Santo, conforme determinou o Senhor Jesus Cristo.
Na necessidade e na possibilidade que temos de viver vida santa mediante a obra expiatória e redentora de Jesus, através do poder do Espírito Santo.
No batismo bíblico no Espírito Santo que nos é dado por Deus mediante a intercessão de Cristo.
Na atualidade dos dons espirituais distribuídos pelo Espírito Santo à Igreja para sua edificação, conforme a sua soberana vontade.
Na Segunda Vinda de Cristo.
Que todos os cristãos comparecerão ante o Tribunal de Cristo.
No juízo vindouro que recompensará os fiéis e condenará os infiéis.
E na vida eterna para os fiéis e morte eterna para os infiéis.