quinta-feira, 10 de julho de 2008

A opinião dos outros

Veja essas opiniões de diversos grupos e indivíduos sobre determinado personagem da História (e seus companheiros):
"...tagarela" (filósofos epicureus e estóicos).
"Parece pregador de estranhos deuses" (idem).
"Estes homens, sendo judeus, perturbam a nossa cidade, propagando costumes que não podemos receber, nem praticar, porque somos romanos" (homens filipenses que haviam perdido os lucros da exploração de uma jovem adivinhadora, possessa de demônios).
"Estes que têm transtornado o mundo chegaram também aqui, os quais Jasom hospedou. Todos estes procedem contra os decretos de César, afirmando ser Jesus outro rei" (judeus invejosos na cidade de Tessalônica).
"Este persuade os homens a adorar a Deus por modo contrário à lei" (judeus em Corinto).
"Este Paulo tem persuadido e desencaminhado muita gente, afirmando não serem deuses os que são feitos por mãos humanas. Não somente há o perigo de a nossa profissão cair em descrédito, como também o de o próprio templo da grande deusa, Diana, ser estimado em nada, e ser mesmo destruída a majestade daquela que toda a Ásia e o mundo adoram" (Demétrio, ourives que lucrava com o comércio religioso em Éfeso).
"...dezenas de milhares há entre os judeus que creram, e todos são zelosos da lei; e foram informados a teu respeito que ensinas todos os judeus entre os gentios a apostatarem de Moisés, dizendo-lhes que não devem circuncidar seus filhos, nem andar segundo os costumes da lei" (Tiago dando notícia de comentários de cristãos judeus).
"Israelitas, socorro! Este é o homem que por toda parte ensina todos a serem contra o povo, contra a lei e contra este lugar; ainda mais, introduziu até gregos no templo e profanou este recinto sagrado" (judeus da Ásia visitando Jerusalém).
"Sabes o grego? Não és tu, porventura, o egípcio que, há tempos, sublevou e conduziu ao deserto quatro mil sicários?" (um comandante romano em Jerusalém).
"...tendo nós verificado que este homem é uma peste e promove sedições entre os judeus esparsos por todo o mundo, sendo também o principal agitador da seita dos nazarenos, o qual também tentou profanar o templo..." (Tértulo, orador, fazendo acusação formal perante o governador Félix).
"Estás louco, Paulo! As muitas letras te fazem delirar!" (o governador Festo em audiência com a presença do rei Agripa).
"Certamente, esse homem é assassino, porque, salvo do mar, a Justiça não o deixa viver" (uns bárbaros na ilha de Malta).
"As cartas, com efeito, dizem, são graves e fortes; mas a presença pessoal dele é fraca, e a palavra, desprezível" (crentes de Corinto).
Essas foram algumas das opiniões proferidas sobre o apóstolo Paulo. Ele foi tido como perturbador da ordem, rebelde, sacrílego, tagarela, louco, assassino,
contrário à Lei de Moisés e ao templo. Até mesmo o tiveram como pregador de outros deuses! Paulo não era nada disso, mas indivíduos e grupos divulgavam opiniões erradas a seu respeito por diversas razões: inveja, preconceito, legalismo e interesses econômicos contrariados. Outros, como o comandante romano e os filósofos em Atenas, pensaram errado por falta de conhecimento mesmo. De qualquer modo, nutriram pensamentos equivocados.
Ninguém está isento disso. As pessoas podem pensar absurdos sobre nós. Mas nós não devemos dar vazão a todo e qualquer comentário que vierem fazer sobre terceiros. Precisamos medir o testemunho pela pessoa que o traz. Além disso, precisamos conhecer os fatos - se for o caso -, não alimentar fofocas, permitir o "direito de defesa", não deixar que falem mal de quem não está presente, não tirar conclusões a partir da versão de uma só parte, e entender que cada frase que proferimos pode assumir sentidos diferentes, dependendo de quem ouve.
Pensavam tantas coisas de Paulo! O importante era o que Jesus Cristo pensava dele, e quem lê a Bíblia sabe que Paulo foi o apóstolo dos gentios, chamado para anunciar o Evangelho em diversos lugares.
Homem culto, de três mundos (grego, romano e judeu), Paulo conhecia profundamente as Escrituras, tinha noções de Direito, era instruído em filosofias e poemas, falava fluentemente o hebraico, escrevia naturalmente em grego, tinha cidadania romana por nascimento. Não tinha nada de tagarela, muito menos de louco. Fora assassino no passado, quando perseguia os cristãos e achava que isso era a coisa mais certa do mundo. Salvo por Cristo, Paulo mudou completamente.
Paulo passou boa parte do seu ministério defendendo suas credenciais e explicando que a Salvação é pela graça, mediante a fé. Sempre teve opositores veementes e inescrupulosos. Paulo nunca foi unanimidade, e era polêmico sem querer.
Tudo isso não serve de consolo para nós?
Textos bíblicos em ordem de citação: At 16.20,21; 17.5-7,18; 18.12; 19.26; 21.20, 21, 28, 37, 38; 24.5; 26.24; 28.4; II Co 10.10.

Nenhum comentário:

Fale comigo!

Gostaria de estabelecer contato com você. Talvez pensemos a respeito dos mesmos assuntos, e o diálogo é sempre bem-vindo e mais que necessário. Meu e-mail é alexesteves.rocha@gmail.com. Você poderá fazer sugestões de artigos, dar idéias para o formato do blog, tecer alguma crítica ou questionamento. Fique à vontade. Embora o blog seja uma coisa pessoal por natureza, gostaria de usar este espaço para conhecer um pouco de quem está do outro lado. Um abraço.

Para pensar:

Um dos terríveis problemas da Igreja evangélica brasileira é a falta de conhecimento da Bíblia como um sistema coerente de princípios, promessas e relatos que apontam para Cristo como Criador, Sustentador e Salvador. Em vez disso, prega-se um "jesus" diminuído, porque criado à imagem de seus idealizadores, e que faz uso de textos bíblicos isolados, como se fossem amuletos, peças mágicas a serem usadas ao bel-talante do indivíduo.

Arquivo do blog

Bases de Fé

Creio:
Em um só Deus e na Trindade.
Na inspiração verbal da Bíblia Sagrada, única regra infalível de fé normativa para a vida e o caráter cristão.
Na concepção virginal de Jesus, em sua morte vicária e expiatória, em sua ressurreição corporal e sua ascensão aos céus.
Na pecaminosidade do homem, e que somente o arrependimento e a fé na obra expiatória e redentora de Jesus Cristo é que pode salvá-lo.
Na necessidade absoluta do novo nascimento pela fé em Cristo e pelo poder atuante do Espírito Santo e da Palavra de Deus, para tornar o homem digno do Reino dos Céus.
No perdão dos pecados, na salvação presente e perfeita e na eterna justificação da alma recebidos gratuitamente de Deus pela fé no sacrifício efetuado por Jesus Cristo em nosso favor.
No batismo bíblico em águas, em nome do Pai, do Filho e do Espírito Santo, conforme determinou o Senhor Jesus Cristo.
Na necessidade e na possibilidade que temos de viver vida santa mediante a obra expiatória e redentora de Jesus, através do poder do Espírito Santo.
No batismo bíblico no Espírito Santo que nos é dado por Deus mediante a intercessão de Cristo.
Na atualidade dos dons espirituais distribuídos pelo Espírito Santo à Igreja para sua edificação, conforme a sua soberana vontade.
Na Segunda Vinda de Cristo.
Que todos os cristãos comparecerão ante o Tribunal de Cristo.
No juízo vindouro que recompensará os fiéis e condenará os infiéis.
E na vida eterna para os fiéis e morte eterna para os infiéis.