terça-feira, 15 de abril de 2008

Analisando a frase: "As pessoas omissas geralmente são boas"

Essa frase foi dita por uma colega de segundo grau há cerca de 15 anos, quando a turma discutia um tema de interesse dos alunos, creio que sobre a necessidade ou não de pedir a saída de um professor.
Acho que no calor da discussão, não lembro bem, minha colega saiu-se com esta: "As pessoas omissas geralmente são boas", ou algo parecido. Ela referia-se aos que não esboçavam opinião nenhuma.
Minha colega tinha razão. Devido ao silêncio, as pessoas omissas não entram em polêmicas, não falam besteira, não agridem ninguém. Mas isso não quer dizer que elas sejam de fato gente boa. Significa tão-somente que elas não se expoem à avaliação dos outros, e não arranjam opositores, já que em suas vidas não há confrontos.
A Bíblia diz no Livro de Provérbios que até o tolo quando está calado parece sábio. E Tiago diz em sua Epístola que aquele que sabe o bem que deve fazer e não o faz comete pecado. Assim, a omissão não é necessariamente sábia nem necessariamente justa.
Em contrapartida, as pessoas que entram em polêmicas via de regra atraem dois tipos de pessoas, quais sejam, os admiradores e os opositores. Até mesmo alguns omissos gostam dos polêmicos, porque estes são seus porta-vozes. Outros omissos detestam os polêmicos, porque enxergam divergência como sinônimo de briga.
Agora, você já pensou se Paulo não entrasse em atrito com Pedro quando este demonstrou comportamento dissimulado perante judeus e gentios? Você já pensou se Lutero não entrasse em atrito com a Igreja Romana? E você acha que Jesus Cristo não era polêmico - quando de Seu ministério terreno?
Essa é apenas uma palavra em defesa dos polêmicos, tão injustiçados que são.

3 comentários:

Miriam Utida Sousa disse...

As pessoas omissas geralmente são egoístas ou medrosas.
O egoísta diz: "porquê me importar?"
O medroso não diz, tem medo do que pode acontecer se falar.
Em algum momento da vida podemos ser omissos, ou por medo ou por egoísmo.

Gilberto Esteves da Rocha disse...

Realmente. As pessoas omissas são geralmente esquecidas. Como diz o ditado popular: "Não é mel e nem cumbuca". Não querem dar opinião e por isso não atrai, nem amigos, nem inimigos. É preciso ter coragem para se expressar em público. Chego a pensar até que é pecado como diz Apocalipse 21:08 a cerca dos covardes (ou tímidos) não herdarão o Reino dos Céus.

Márcia Cristina V. Lopes disse...

Obrigada por nos defender!!!! Amei!!!

Fale comigo!

Gostaria de estabelecer contato com você. Talvez pensemos a respeito dos mesmos assuntos, e o diálogo é sempre bem-vindo e mais que necessário. Meu e-mail é alexesteves.rocha@gmail.com. Você poderá fazer sugestões de artigos, dar idéias para o formato do blog, tecer alguma crítica ou questionamento. Fique à vontade. Embora o blog seja uma coisa pessoal por natureza, gostaria de usar este espaço para conhecer um pouco de quem está do outro lado. Um abraço.

Para pensar:

Um dos terríveis problemas da Igreja evangélica brasileira é a falta de conhecimento da Bíblia como um sistema coerente de princípios, promessas e relatos que apontam para Cristo como Criador, Sustentador e Salvador. Em vez disso, prega-se um "jesus" diminuído, porque criado à imagem de seus idealizadores, e que faz uso de textos bíblicos isolados, como se fossem amuletos, peças mágicas a serem usadas ao bel-talante do indivíduo.

Arquivo do blog

Bases de Fé

Creio:
Em um só Deus e na Trindade.
Na inspiração verbal da Bíblia Sagrada, única regra infalível de fé normativa para a vida e o caráter cristão.
Na concepção virginal de Jesus, em sua morte vicária e expiatória, em sua ressurreição corporal e sua ascensão aos céus.
Na pecaminosidade do homem, e que somente o arrependimento e a fé na obra expiatória e redentora de Jesus Cristo é que pode salvá-lo.
Na necessidade absoluta do novo nascimento pela fé em Cristo e pelo poder atuante do Espírito Santo e da Palavra de Deus, para tornar o homem digno do Reino dos Céus.
No perdão dos pecados, na salvação presente e perfeita e na eterna justificação da alma recebidos gratuitamente de Deus pela fé no sacrifício efetuado por Jesus Cristo em nosso favor.
No batismo bíblico em águas, em nome do Pai, do Filho e do Espírito Santo, conforme determinou o Senhor Jesus Cristo.
Na necessidade e na possibilidade que temos de viver vida santa mediante a obra expiatória e redentora de Jesus, através do poder do Espírito Santo.
No batismo bíblico no Espírito Santo que nos é dado por Deus mediante a intercessão de Cristo.
Na atualidade dos dons espirituais distribuídos pelo Espírito Santo à Igreja para sua edificação, conforme a sua soberana vontade.
Na Segunda Vinda de Cristo.
Que todos os cristãos comparecerão ante o Tribunal de Cristo.
No juízo vindouro que recompensará os fiéis e condenará os infiéis.
E na vida eterna para os fiéis e morte eterna para os infiéis.